Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Review Mortal Kombat 1 | Um novo começo com gostinho familiar

Por| Editado por Jones Oliveira | 19 de Setembro de 2023 às 13h13

Link copiado!

Reprodução/NetherRealm Studios
Reprodução/NetherRealm Studios

Desde Mortal Kombat 9, lançado em 2011, é possível dizer que a franquia Mortal Kombat encontrou uma boa base para evoluir. O game, que servia como um reboot para a série, mudou o suficiente o estilo de gameplay para parecer novidade e mostrou um novo caminho para a equipe da NetherRealm Studios seguir nos próximos jogos.

Depois de dois jogos que evoluíram a fórmula e trouxeram melhorias gráficas e de desempenho, Mortal Kombat 1 promete um novo reboot. Dessa vez, reiniciando a trama (até certo ponto), e entregando uma nova evolução para o gameplay, o jogo segue firme na base consolidada anteriormente, mas ainda conseguindo ser diferente o suficiente dos títulos passados.

Continua após a publicidade

Reboot que é continuação

Os acontecimentos do DLC Aftermath, de Mortal Kombat 11, já deixavam claro o caminho que a franquia seguiria no próximo jogo. Após uma batalha pela própria realidade, Liu Kang saiu vitorioso no papel de um novo deus, planejando a recriação do universo.

É esse universo que conhecemos em Mortal Kombat 1. Elementos bastante familiares dos fãs retornam com uma nova roupagem, como Raiden agora é um mortal, Mileena é a herdeira do trono da Exoterra (Outworld no original). Por mais que tudo queira parecer novo, ainda tem o mesmo gostinho de Mortal Kombat de antes, o que não é particularmente ruim.

Tentar algo muito diferente talvez alienasse fãs e até mesmo novos jogadores, já que a franquia é imensamente conhecida, mas até certo ponto, os desdobramentos da história não parecem tão interessantes como poderiam ser. Existem mudanças que são muito bem-vindas, como a alteração de alinhamento de alguns personagens, que antes eram vilões e passam a ser aliados, que ajudam a criar uma nova dinâmica entre os lutadores.

Porém, tudo segue o tom dos jogos anteriores, com situações que se repetem, pois forças do universo parecem garantir que alguns acontecimentos precisam acontecer com personagens específicos para manter o equilíbrio das coisas.

Isso lembra um pouco o que foi feito em MK 9, o que faz com que até os últimos capítulos, a história perca força. O último ato da história de Mortal Kombat 1 é completamente maluco. Se isso é bom ou ruim, vai do quanto você aprecia a trama da franquia.

Continua após a publicidade

Particularmente, confesso ter ficado intrigado quando a ideia é mencionada, mas o desenvolvimento para a resolução de MK1 me pareceu apressado e sem o impacto que poderia ter.

Lutando como sempre, mas agora com ajuda

Passando pela história e chegando ao que realmente importa, Mortal Kombat 1 é exatamente o que você espera de um jogo da franquia. Por mais que ele traga algumas novidades bem interessantes que o torna diferente o suficiente de Mortal Kombat 11, ele ainda será extremamente familiar para quem, por exemplo, jogou apenas o título de 2011.

Continua após a publicidade

É impressionante como o NetherRealm Studios consegue refinar o gameplay da franquia Mortal Kombat a cada novo capítulo e experimentando com algumas novidades, como é o caso dos Kameos em MK1.

Agora, os jogadores podem selecionar um segundo personagem antes dos combates que podem ajudá-lo. São lutadores que acabaram ficando de fora do elenco de bonecos selecionáveis, muitos com o visual clássico em que apareceram anteriormente.

Nomes como Jax, Kano, Sonya Blade agora são coadjuvantes, ainda que decisivos em muitos combates. Esses Kameos têm uma barra de energia própria, podendo ser chamados pelo jogador para aplicar um golpe que faz a diferença na hora de quebrar a defesa de um adversário.

Continua após a publicidade

Com cada Kameo tendo até três golpes próprios, é possível escolher assistentes que conseguem cobrir possíveis defeitos de lutadores, algo que na mão de um jogador que sabe bem o que está fazendo, torna o combate bem mais competitivo.

O modo online de Mortal Kombat 1 lembra muito o do último jogo da franquia, com temporadas que permitem que jogadores desbloqueiem itens e skins, com um netcode que funciona bem na hora de colocar lutadores do mesmo nível para lutar.

Ainda existe espaço para melhorias, como a criação de salas ou mais opções de matchmaking. Durante nossos testes, não foi difícil encontrar oponentes de níveis similares, mas muitas vezes, ainda existia uma demora para que a conexão fosse feita com agilidade, fazendo com que a espera olhando para o nada fosse considerável (testes feitos com internet de alta velocidade, no cabo, em um PS5).

Continua após a publicidade

Modo Invasão mistura porrada e RPG

Existe um modo em Mortal Kombat 1 chamado Invasões, em que o jogador escolhe um personagem e é colocado em um cenário que lembra muito um tabuleiro. Indo para cada espaço do local, você enfrenta lutadores variados, podendo equipar itens para melhorar seu desempenho.

O modo mistura elementos do antigo modo Konquest e Tower of Time, com lutadores com fraquezas e vantagens elementais, podendo evoluir seu personagem como se fosse um RPG.

Continua após a publicidade

Apesar de inicialmente interessante, esse modo se torna bastante tedioso porque a maioria das lutas é extremamente fácil, o que deixa tudo repetitivo. Esse modo deve funcionar por temporadas, em que você também destrava diferentes skins e itens para seus lutadores.

Espera-se que o jogo consiga entregar combates mais desafiadores nas próximas temporadas, tornando o modo Invasões um pouco mais divertido. Tem potencial ali, acredito que ainda é possível melhorá-lo sem dificuldade.

Finish him

Mortal Kombat 1 é mais um ótimo jogo da franquia da NetherRealm Studios. Milagrosamente, a cada novo capítulo, o estúdio consegue inovar, sem estragar tudo o que fez anteriormente. Basicamente refinando o que foi feito antes e experimentando um pouco com algumas novidades, o jogo deve agradar aos fãs da série e aqueles que não encostam em um título de MK desde os primórdios da franquia.

Continua após a publicidade

Não é um jogo perfeito, seu modo história ainda se perde um pouco em alguns momentos, outros modos de jogo são competentes, mas poderiam ser mais desafiadores, mas nada que acabe com a diversão dos jogadores.

Para aqueles que desejam só ter aquele jogo de luta com muita violência, não tem muito o que discutir. Mortal Kombat 1 está disponível para PlayStation 5, Xbox Series S e X, Nintendo Switch e PC.