Quais os 5 melhores jogos de Mortal Kombat?

Por Felipe Ribeiro | 16 de Abril de 2020 às 09h48

Em 1992 a indústria dos games foi agraciada com o lançamento desta que depois se tornou uma das maiores franquias de jogos de luta em todos os tempos: Mortal Kombat. Pensado para ser o grande rival de Street Fighter II, da Capcom, o game da extinta Midway foi produzido de maneira bem inusitada e inovadora para a época, com a digitalização de atores para viver os lutadores e um estilo de combate muito mais técnico e violento.

Nos 28 anos de estrada da franquia, foram produzidos, ao todo, 23 games, entre a série canônica e jogos complementares e com outras propostas. Fazer uma lista com os melhores títulos de Mortal Kombat não é uma tarefa fácil, pois em cada um dos títulos aconteceram mudanças importantes, como o acréscimo de personagens, fatalities e melhorias de jogabilidade.

Mesmo assim, o Canaltech revisitou todos os games da série e pinçou os cinco melhores, independentemente de estarem ou não na sequência principal.

5. Mortal Kombat

Impossível não colocá-lo na lista. O primeiro game da franquia merece, e muito, entrar no Top 5, pois foi o que deu todas as diretrizes para os demais jogos. Originalmente feito para o arcade em 1992 e depois portado para as plataformas da época, Mortal Kombat foi uma revolução na indústria dos games, apresentando combates viscerais, violentos e altamente técnicos.

Sua produção foi bem complexa, tecnológica e muito bem pensada. A ideia de Ed Boon e John Tobias era criar um jogo de luta com uma pegada oriental e que tivesse uma história mais profunda do que os rivais da época. Além disso, os produtores tiveram a brilhante ideia de utilizarem atores digitalizados para formatar os personagens do jogo, trazendo muito mais realidade.

O resultado disso: sucesso absoluto de vendas e a consolidação de um grande rival para Street Fighter II.

Mortal Kombat ganhou versões para Arcade, Super Nintendo, Mega Drive, Amiga, Game Gear, Game Boy, Master System e MS-DOS

4. Mortal Kombat: Armageddon

Apesar de tentativas válidas de dar essa modernização à franquia e embolá-la em meio aos jogos tridimensionais da época, é consenso entre os fãs de Mortal Kombat que os games em 3D da franquia não eram tão bons assim. Mas, sejamos justos: Mortal Kombat: Armageddon foi um acerto da Midway, mesmo diante das dificuldades.

Armageddon até hoje é o game da franquia com maior número de lutadores: 63. A Midway colocou simplesmente todos os personagens que haviam aparecido na série até aquele momento, e o enredo, claro, deu indícios óbvios de que se tratava do fim do arco principal de Mortal Kombat, em que Taven, protagonista do título, teria de enfrentar o chefão Blaze ao final de tudo.

Mas, falando especificamente da jogabilidade, Armageddon era bem agradável de ser jogado. Cada um dos lutadores tinha um estilo de arte marcial único e uma arma específica. Os fatalities eram diferentes do que estávamos acostumados, forçando os jogadores a fazerem movimentos mais genéricos para finalizarem seus oponentes.

No entanto, a grande novidade desse game foi o modo história, chamado de "Konquest", que era jogado em formato aventura com visão isométrica e em 3D. O jogador precisava controlar Taven e ir avançando em mapas muito bem feitos, enfrentando hordas de inimigos. Ao final de cada capítulo, era possível batalhar em lutas 1x1 contra os chefes, que geralmente eram lutadores já conhecidos da trama, como Scorpion, Quan Chi, entre outros. Essas lutas, claro, eram na câmera tradicional.

Mortal Kombat: Armageddon foi lançado em outubro de 2006 para PlayStation 2, Xbox e Wii.

3. Mortal Kombat 9

Reboot da série, Mortal Kombat 9 (ou simplesmente Mortal Kombat) foi lançado em 2011 para PlayStation 3, Xbox 360, PS Vita e PC em abril de 2011. O game foi o primeiro a aliar os gráficos em 3D com a câmera em 2D, trazendo o melhor dos dois mundos para os fãs e entregando um dos melhores jogos da série até o momento.

Com combate altamente técnico, violento e insano, Mortal Kombat foi um marco para a franquia, apresentando os personagens já conhecidos em outros títulos, mas com um enredo completamente diferente. O modo história, por exemplo, trazia cutscenes muito bem feitas e introduziu bem os lutadores do Reino da Terra para novos adeptos mundo afora.

A jogabilidade, por sua vez, é recheada de combos e poderes especiais, e teve a volta dos fatalities ultraviolentos e criativos. No campo das novidades, tivemos duas muito importantes e que tinham a ver com a barra de especial: os golpes aprimorados e os X-Ray. Os aprimorados nada mais eram do que os poderes especiais dos personagens, mas com mais potência. Já os X-Ray eram movimentos especiais que infligiam um dano considerável nos inimigos, mas que utilizavam toda a barra.

2. Mortal Kombat Trilogy

Lançado em 1996, Mortal Kombat Trilogy nada mais é do que a junção de todos os jogos de Mortal Kombat lançados até aquele momento. Na versão para Playstation, que era a mais completa, o game reunia todos os personagens, estágios e fatalities já criados na série, mas com aperfeiçoamentos naturais. Era possível, por exemplo, utilizar o Raiden original do primeiro Mortal Kombat contra o Raiden de Mortal Kombat II. A diferença, no entanto, é que ambos ganharam a possibilidade de utilizar combos para causar danos aos adversários, algo que só apareceu em Mortal Kombat 3, lançado em 1995.

Mortal Kombat Trilogy merece entrar em qualquer Top 5 da franquia justamente pela ousadia de reunir todos os lutadores já feitos para o game em um ambiente de combate que, naquele momento, era o mais completo possível. Um fan service digno de nota e que fez com que muitos jogadores perdessem horas e horas na frente da TV.

1. Mortal Kombat 11

Um primor. Mortal Kombat 11 é, com certeza, o melhor jogo da franquia até o momento. Com combate intenso, técnico e com uma enorme variedade de golpes, gráficos estonteantes e um modo história robusto, MK11 serviu para mostrar que era, sim, possível acrescentar novos elementos á série sem descaracterizá-la.

Depois de Mortal Kombat 9 e Mortal Kombat X seguirem mais ou menos a mesma linha de combate, MK11 aprimorou tudo, fazendo deste o título definitivo em termos de mecânicas e técnicas de luta. O encaixe dos golpes está muito mais polido e necessita de maior precisão e agilidade na execução dos comandos por parte do jogador. Muito embora isso exija uma curva de aprendizado maior, é uma manobra interessante para atrair mais jogadores para o game. Os tutoriais, que são muito completos, podem ajudar muito nesse sentido, inclusive para veteranos de MK.

O X-Ray deu lugar aos Fatal Blows, que só podem ser utilizados apenas uma vez na luta e em condições bem específicas. Outro ponto bem interessante é a divisão do medidor de poder, localizado abaixo dos lutadores. Com a separação das barras de ataque e defesa, a luta ficou ainda mais estratégica, pois impede que o jogador ou só se defenda ou fique fazendo uso inadvertido dos poderes melhorados (apertando RB no Xbox ou R1 no PS4).

Além da jogabilidade, algo que mudou para melhor foi a personalização dos lutadores. Agora é possível escolher quais golpes eles utilizam e equipá-los com diferentes roupas, sempre separando-os por até quatro perfis.

Mortal Kombat 11 foi lançado para PlayStaton 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.