FIFA 21 | Gustavo Villani conta como foi narrar o novo jogo de futebol

FIFA 21 | Gustavo Villani conta como foi narrar o novo jogo de futebol

Por Felipe Ribeiro | 25 de Agosto de 2020 às 12h54
Divulgação/EA

A comunidade de jogadores de FIFA no Brasil foi surpreendida — ou não — com a troca no comando das transmissões no jogo. Depois de oito edições, não teríamos mais a voz de Tiago Leifert, que fez relativo sucesso à frente das narrações. Mas com o anúncio da saída do ex-apresentador do Globo Esporte, ficou a dúvida: quem o substituiria em FIFA 21? Depois de algumas especulações, finalmente a confirmação: Gustavo Villani, também da Globo, foi o escolhido.

Logo após a notícia, era possível perceber que a boa aceitação do nome que hoje transmite jogos tanto na Rede Globo quanto nos canais à cabo Sportv e Premiere era quase unânime. Em uma breve pesquisa nas redes sociais, chegamos a ver pessoas dizendo que "finalmente voltariam a jogar em português". Lembrando que, além de Leifert, já tivemos nomes como Milton Leite e Nivaldo Prieto no comando das transmissões em FIFA.

De fato, a novidade é para tanto. Villani, que há alguns anos está narrando jogos, primeiro na ESPN (TV e Rádio), depois Fox Sports e agora no Grupo Globo, possui uma das melhores vozes da mídia brasileira e um jeito de narrar que mescla estilos mais clássicos com aquele jeitão mais moderno que tem pautado algumas transmissões por aqui. Além, é claro, de inúmeros bordões, algo que sem dúvida fará a diferença para os amantes de FIFA, que poderão se divertir com o narrador.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

"Eu tive total liberdade para colocar todos os meus bordões, o meu vocabulário, meu estilo. Além de eu já ter um guia dentro da decupação, que foi feito por nossos roteiristas, como lateral escanteio, gol aos cinco minutos, gol aos 40 minutos de jogo, eu poderia improvisar em cima com toda a liberdade. Tudo o que eu uso nas transmissões de televisão eu acompanho para o jogo", disse Villani em entrevista ao Canaltech.

Ainda sobre o processo de gravação, Villani revela que recebeu, sim, um roteiro, mas não tinha a imagem do jogo à sua frente, então ele precisou usar de muita criatividade, além de sua experiência, para passar a emoção para a narração de FIFA. "Um dia eu já narrei todas essas situações de jogo, mas, apesar de eu não ter a imagem como na televisão ou no rádio, eu tinha de imaginar e me transportar para uma situação dentro do jogo", explica.

De acordo com a EA Sports, para manter a singularidade das narrações de Villani, que tem muitos bordões, foram gravados 67 mil arquivos de áudio, incluindo mais de 2 mil variações dos seus famosos gritos de gol.

"Sabor antigo pela primeira vez"

A frase acima, extraída da música Constelação Maior, de Aldir Blanc, para Villani é a que melhor retrata seu sentimento ao se reencontrar com os videogames. "Eu jogo videogame há muito tempo. Na infância eu jogava Master System, Mega Drive, Nintendo e vi a evolução do jogo. Me lembro do Allejo, do Gomez, mas confesso que depois de vir para o Rio de Janeiro, me casar, parei de jogar. Quando jogava, me lembro de narrar quando pequeno os jogos no videogame ou jogando botão", comenta Villani.

Mas, voltando à preparação, o narrador revela que revisitou os últimos dois jogos da franquia e observou o trabalho de Leifert, mesmo este não sendo um narrador profissional, para basear seu trabalho. "Eu cheguei a jogar o FIFA 19 e o FIFA 20 para basear meu trabalho em FIFA 21, observando como o Tiago fazia com a abertura das transmissões, os gols, se eram mais curtos, mais longos, as repetições", explicou o narrador.

Localização bem trabalhada

O trabalho com FIFA, obviamente, não é uma mera tradução. De acordo com Daniel Perassoli, especialista em Português do Brasil na equipe de localização da Electronic Arts de Madri, a franquia de futebol da EA é a única em que a empresa permite modificações mais profundas dentro do jogo para se adequar ao país ou região, não seguindo literalmente o inglês.

"Nós temos uma equipe de roteiristas aqui na Espanha e escrevemos as linhas de áudio pensando em quem serão os narradores. Então, quando trouxemos o Gustavo, decupamos 20 narrações dele da TV e transcrevemos tudo para poder encaixar no FIFA. Então nós fazemos o texto pensando nos dois, tanto no Caio [Ribeiro, comentarista do jogo] e no Gustavo", explica Perassoli à reportagem do Canaltech.

O especialista conta que o trabalho com Caio Ribeiro teve de ser todo refeito, uma vez que, como a interação com Villani ocorre a todo instante, as linhas de áudio usadas em FIFA 20, por exemplo, não puderam ser utilizadas.

Gustavo Villani/ Imagem: EA Sports

Seguindo na linha da localização, Villani diz ter muito orgulho da narração brasileira, que é bem diferente das demais. Para ele, a narração do futebol, como um todo, precisa de paixão, algo que temos de sobra. "O futebol é visto por 4 bilhões de pessoas todos os anos. Com todas as suas variáveis, a narração tem que ser sanguínea. Eu tento me aproximar dos torcedores, é meu dever como comunicador cantar junto, vibrar com um gol aos 45 do segundo tempo", afirma Villani, que acabou nos dando um spoiler do que ele e Caio fazem em uma das transmissões. Mas fique tranquilo, não vamos contar.

Segundo Villani, todos os seus bordões estarão no jogo e os torcedores e jogadores podem esperar uma narração das mais naturais, com uma linguagem do futebol, colhida ao longo de sua vida e sua carreira:

"Nada é meu. Eu não fico em casa quebrando a cabeça criando frases e expressões. Tudo o que eu uso, seja na televisão, seja no videogame, me acompanha, como 'gol de videogame', 'joga a luva, goleirão'... São expressões que eu ouço no meu dia a dia, seja com peladeiros, boleiros profissionais, no time de masters da minha faculdade. Eu presto atenção na liguagem da rua e trago para o futebol".

Se você é fã de futebol e acompanha as narrações de Gustavo Villani pela televisão e, antes até, pelo rádio, pode esperar que FIFA 21 talvez tenha uma das transmissões mais passionais que já vimos nos jogos de futebol para videogame. O bom trabalho feito por Tiago Leifert, que sabidamente não era um narrador, ajudou na popularização de FIFA, mas é fato que, com Villani, ao menos esse setor do game ganhará um belo upgrade.

FIFA 21 será lançado no dia 6 de outubro para Xbox One, PlayStation 4 e PC. As versões para Xbox Series X e PlayStation 5 chegarão no lançamento dos consoles.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.