Muitas videoconferências? Se liga nessas dicas para seu áudio ficar cristalino!

Por Luciana Zaramela | 25 de Maio de 2020 às 13h25
Luciana Zaramela/Canaltech

Pandemia, home-office, um monte de ligações, quase todas online. Isso sem contar as reuniões de trabalho, videoaulas, chamadas com pessoas queridas, calls descontraídas com amigos e até games... muita gente está sentindo o baque da qualidade, que nem sempre está do nosso lado com os equipamentos que temos em casa.

Afinal, dá para usar o fone que vem no celular? O problema é meu computador? Como fazer com que aquele eco insistente vá embora? As chamadas não param de ficar cortando, e o atraso incomoda todo mundo. Fone com fio ou sem fio? Tem que comprar um microfone? Essas são algumas das perguntas que a gente mais escuta aqui no Canaltech quando o assunto são as dúvidas para melhorar as chamadas na pandemia. Mesmo que você não possa gastar dinheiro agora, algumas dicas podem ser valiosas para melhorar a qualidade das suas ligações com os aparelhos que você tem em casa. Então, que tal dar uma "pimpada" no seu áudio e se fazer soar alto e claro para quem está do outro lado da tela?

Para botar um ponto final no "tá me ouvindo?" e te ajudar a parar de gritar ao microfone, mudar o notebook de lugar ou correr pela casa em busca do lugar ideal, vamos listar algumas dicas de ouro que vão te ajudar a se fazer audível em todas as chamadas online, sejam elas com a turma do trabalho ou com os amigos.

1. Use fones de ouvido

Você tem fones de ouvido aí, certo? Por que usá-los? Bem, o som que sai do seu computador pode interferir com o som da sua fala e, eventualmente, causar ecos e o chamado "feedback", aquela microfonia chata que atrapalha e causa ruídos indesejados na sua conversa. Ao usar fones de ouvido, você elimina isso com uma medida bastante simples, mesmo que continue a usar o microfone do computador. Já é meio caminho andado, pelo menos.

Outra coisa legal dos fones é que, com eles, você consegue ouvir mais detalhes da conversa e se distrair menos com o ambiente ao seu redor. Quanto melhor o fone, obviamente, melhor o resultado e a qualidade sonora.

Pronto pra reunião? (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

2. Mantenha distância

...mas distância adequada. Esteja você usando um microfone externo ou embutido no computador, nada de ficar falando perto demais, nem longe demais. Perto demais causa saturação na captação do áudio e sua voz chega estourada do outro lado. Até mesmo sua respiração atrapalha, já que quando muito próximo do microfone, o simples fato de respirar pode se transformar em baforadas bruscas nada agradáveis de se ouvir. Outra desvantagem dessa proximidade são os picos que causam aqueles "pops" em algumas consoantes, como P, B e T. Então, se você não tem um pop filter ou usa um microfone mais barato, mantenha pelo menos uns 40 centímetros de distância dele.

"A maioria dos microfones de mesa com condensadores trabalha com um distanciamento de 45 a 50 cm. Quando o microfone é usado muito próximo, o ideal é utilizar filtro pop para minimizar "estouros" no som", explica Ricardo Filó, Gerente de Marketing da Logitech Brasil, ao Canaltech. "Em alguns modelos é possível configurar o ganho do microfone, ou seja, você pode trabalhar com distanciamentos diferentes. Lembrando que quanto mais distante do microfone, mais som ambiente será captado."

Se você se posicionar longe demais, ela se perde e, em consequência disso, chega com ecos e distorções. Isso sem contar as barreiras físicas e paredes: quanto mais longe do microfone, mais você vai disputar com a acústica do ambiente, e seu microfone vai lutar para distinguir o que é voz e o que é eco (do som que bate nas paredes e revolve direto para a cápsula). Sentar longe também abre portas para captação de ruídos aleatórios, como som da TV ligada ao fundo, barulho do digitar das teclas, pessoas falando perto de você, carros passando na rua, etc.

Microfone de mesa? De lapela? Estilo boom no headset? A distância depende do tipo e do modelo, mas exerce papel chave na captação da sua voz (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

A distância não é exata, pois vários fatores podem interferir na capacidade do seu microfone captar um áudio legal — a começar pela marca, o tipo de seu microfone (dinâmico ou condensador) e o modelo. Então, o que a gente recomenda é que você faça um teste antes e determine uma distância legal, usando os 30 cm ditos anteriormente como ponto de partida. Pode ser menos, como pode ser mais.

Uma observação: existe por aí uma miríade de microfones, seja para usar no celular, seja para usar no computador. Alguns de mesa, outros estilo headset, temos ainda os de lapela... as variáveis são inúmeras. Nossa dica é você pegar o que tem em casa e ligar para um amigo para fazer um teste bacana até chegar num áudio satisfatório. Muitas vezes, a qualidade depende mais do lugar que você está do que do equipamento propriamente dito. Sendo assim, o fone que vem com seu celular já pode quebrar o maior galhão caso você esteja no melhor cômodo da sua casa — e é isso que veremos a seguir.

3. Ambiente ideal

Sabemos o quanto é difícl para quem faz home-office encontrar um ambiente livre de barulheira. A não ser que você more sozinho, frequentemente nos deparamos com uma galera lutando contra a gritaria das crianças, o barulho da TV ligada, o cachorro latindo, o gato miando, a mãe conversando ao celular, o pai ligando o liquidificador ou tudo isso ao mesmo tempo. Então, vamos lá: se você tem uma reunião marcada, avise antes e peça compreensão da galera que mora com você. Isole-se em um quarto tranquilo, o mais livre possível de interferências externas.

E certifique-se de que não há vento nenhum por perto, já que esse é o grande vilão das chamadas! Aliás, se o único lugar tranquilo da sua casa é na parte externa, é melhor que você se posicione completamente a favor do vento (uma brisa, na verdade, para que ela não venha de encontro ao microfone) — mas esqueça se o vento estiver moderado. Aí é melhor o ambiente interno, correndo o risco de alguém falar alguma bobagem e ela vazar na sua chamada. Lembrando que na outra ponta estão os cubículos, como o banheiro. São péssimas escolhas.

Caso você consiga a paz e o silêncio, agora é hora de escolher o lugar ideal. Evite quinas: nos cantinhos, sua voz pode bater nas paredes e voltar para o microfone em forma de eco, e isso vai avacalhar o resultado. É melhor você testar antes e, se possível, usar ambientes que naturalmente não tenham eco (como quartos com muitos móveis e armários) para fazer sua ligação.

Se você não tem escritório em casa, procure um cantinho sossegado, mas preste atenção na acústica (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

"Um lugar fechado onde não fiquem passando pessoas ou animais. Outra importante questão ao se definir o local é que ele não pode ser pequeno demais, já que o usuário precisa se sentir confortável para fazer suas tarefas. Embora existam diferentes sugestões, o ideal é que você teste o microfone em diferentes cômodos. Desta forma é possível adaptar as configurações do microfone às suas necessidades", sugere Ricardo.

4. Aprenda a usar o mudo

Uma técnica interessante que você certamente já derrubou nas chamadas de call center é que o atendente, quando te deixa em espera, some completamente da linha e bota uma musiquinha. Tá certo que você não vai botar musiquinha, mas o sumir da linha não significa que você saiu de lá: você continua ouvindo, mas cortou o acesso ao microfone. Isso é bem bacana para que nem o menor dos ruídos — como o som da sua respiração — interfira na chamada. Imagine uma call com 30 pessoas, por exemplo: se todas mantiverem seus microfones abertos, a bagunça que vai virar vai tornar aquele áudio imcompreensível. E a voz do interlocutor da vez vai se misturar em trocentos ruídos, de trocentas fontes diferentes.

Como evitar? Simplesmente use o mudo (desative o microfone) quando não estiver falando. Dá para fazer isso na tela do software que você estiver usando para conversar, basta procurar pelo ícone do microfone e clicar em cima dele para cancelar e voltar ao normal quando quiser. Independente do aplicativo, inicie a cultura do "use o mudo" nas suas chamadas, ensine a galera a manter o foco apenas em quem estiver com a palavra. O resultado é completamente satisfatório.

5. Melhore a sua conexão

Mesmo que na sua casa a velocidade contratada da internet não seja lá grandes coisas, você pode melhorar a qualidade de suas chamadas ao fechar aplicativos que estejam competindo com o app de ligações que você vai usar. Aliás, se alguém estiver usando a internet em outro cômodo para assistir a vídeos, baixar arquivos ou algo parecido, o melhor é que você converse antes para evitar essa competição por largura de banda.

Qualquer app ou programa de computador que você esteja usando para conversar online vai fazer uma medição da largura de banda que você tem disponível e, a partir daí, determinar a qualidade da sua chamada. Quanto menos banda, menos qualidade você vai ter (e sua voz vai parecer vinda direto de uma latinha de extrato de tomate).

Fones sem fio também precisam de mais cuidados: proximidade com a fonte para não "repicar" a conversa é um fator essencial (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

Então, lembre-se: feche apps que consomem largura de banda e peça ajuda de quem mora com você para fazer o mesmo durante uma reunião importante.

Vai se conectar via Wi-Fi? Então busque o equilíbrio: se você for para um cômodo longe demais do roteador, vai sofrer com queda na estabilidade da internet e mesmo que você tenha os melhores aparelhos do mundo, a qualidade da sua ligação vai miar. Tudo é ponderação: procure o melhor ponto de equilíbrio ao levar em consideração a distância do roteador, a qualidade da banda larga, o lugar ideal, os equipamentos em uso... de repente é hora de investir em um repetidor de sinal Wi-Fi, por exemplo.

Se seu headset for Bluetooth, também fique esperto com a distância que você toma do seu computador ou celular. Quanto mais próximo, mais garantida a estabilidade da sua conversa e melhor a qualidade do som em termos de latência (atrasos).

6. Use headsets

Esteja você falando do computador ou do celular, se possui um headset (fone de ouvido com microfone embutido), nem pense duas vezes. Por mais simples que seja (desses modelos que acompanham o celular, por exemplo), já vai dar diferença, se você comparar com o áudio de um celular ou computador captando sua voz no ambiente e transmitindo a voz das outras pessoas pelos alto-falantes. Evite o rebote ao usar fones de ouvido e direcione sua voz ao usar o microfone que vem no conjunto.

Caso você possua fones melhores, como headsets voltados ligações telefônicas ou mesmo fones de ouvido mais caros, cabeados ou Bluetooth, nem pense duas vezes. Use-os! Aqui no Canaltech já testamos alguns que surpreenderam em chamadas, principalmente por terem cancelamento ativo de ruído e filtragem com foco na voz como diferenciais. Para quem trabalha normalmente em escritório e precisa lidar com o barulho ambiente (telefones, conversas dos colegas, ruídos de ar condicionado, cafeteiras, pessoas se movimentando), é uma excelente opção.

Em casa, se você tiver um headset "profissa" com microfone em haste, ótimo! Senão, vale usar aquele fone com microfone embutido, também (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

Esses fones de ouvido Bluetooth que a galera usa para ouvir música também contam com microfones embutidos, muitas vezes um de cada lado. São bons? Bem, a depender da marca, são bons. Microfones de foninhos in-ear não costumam ser ases da captação, alguns pecam pela latência, outros pela qualidade abafada do áudio... mas podem ser melhores do que nada. Para descobrir, ligue para algum amigo e faça o teste!

7. Precisa comprar equipamento?

Depende. Aí vai do seu bolso e da sua necessidade de melhorar a qualidade das suas videoconferências, caso você ainda não tenha investido em um microfone decente para usar no computador. Muita gente se viu obrigada a entrar num mundo novo de teleconferências e não faz ideia do quanto sua voz pode soar "zoada" do outro lado. Isso porque usar o microfone que vem embutido no notebook quebra um galho ou outro, mas não é o ideal, muito menos em um ambiente com mais gente ao redor fazendo barulho.

Existem headsets profissionais, e consequentemente mais caros, que filtram o ruído externo e/ou isolam o barulho do ambiente, fazendo com que a pessoa do outro lado te escute sem interferências. A voz dos participantes da chamada também chega aos seus ouvidos da melhor maneira possível — dependendo, claro, do equipamento de captação deles. É aí que entram as tecnologias da cancelamento de ruído e vai depender de você querer investir nelas.

“Existem dois tipos de cancelamento de ruídos: o passivo e ativo”, explica Alexssander Camargo, Gerente de Produtos da SigmaOne, distribuidora Jabra no Brasil. “O primeiro é o que existe em todos os fones. O cancelamento acontece por meio dos revestimentos utilizados, como espumas ou estruturas emborrachadas, que isolam sons externos com o bloqueio da cavidade auricular. Já o cancelamento ativo se dá de outra forma. Trata-se de uma espécie de microfone interno capaz de captar os ruídos do ambiente e realizar uma espécie de “espelho”, que reflete as ondas sonoras externas, cancelando-as”, complementa.

Pop filter? Placa dedicada? Microfone bacana? A ideia é não gastar dinheiro, mas se você puder, invista em algo do tamanho da sua necessidade (Foto: Luciana Zaramela/Canaltech)

Apesar de alguns notebooks topo de linha trazerem microfones bem legais, o mais leve dos investimentos que você fizer em um microfone externo já vai refletir em uma boa diferença. Existem vários tipos de microfones no mercado, e também de vários preços, mas considerando que a era do home-office "brotou" na sua vida e pode vir a ser algo que torne a acontecer eventualmente, investir em um modelo intermediário pode ser uma boa.

Algo legal pode ser um microfone que se conecta ao seu computador via USB, como o Blue Snowball Ice, que traz as características do Blue Yeti dentro de um brinquedinho compacto e pequeno. Existem modelos mais caros, como o gamer/podcaster HyperX QuadCast e o próprio Blue Yeti ou Yeti Nano, que são modelos mais caros que o Snowball, mas também voltados a uma galera que precisa e exige mais qualidade de áudio para trabalhar com isso (como podcasters e streamers). Dentre os mais baratinhos, boas opções seriam o ATR4650, da Audio-Technica e o PH-255, da Warrior. O Boya By-M1 (também de lapela) e o Logitech H390 também são boas escolhas para quem está com a grana mais curta. Mas se você quer investir num equipamento profissional para fazer suas chamadas em home-office, pode apelar para um headset corporativo da Poly ou da Jabra — disponíveis no Brasil.

Uma "fuçada" rápida no e-commerce já vai trazer resultados legais de microfones dinâmicos e condensadores para você usar nas suas ligações, mas lembre-se: se vai usar microfone separado, use também um fone de ouvido separado, hein?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.