Virgin Galactic também levará passageiros à Estação Espacial Internacional

Por Daniele Cavalcante | 22 de Junho de 2020 às 21h20
Nasa/Divugação

A Virgin Galactic, empresa de voos espaciais que está há algum tempo se preparando para levar turistas ao espaço, fechou um acordo com a NASA para realizar viagens com passageiros para a Estação Espacial Internacional (ISS). Ela será responsável por fechar acordos com outras empresas que desejam realizar missões na órbita terrestre.

Mesmo sendo similar ao projeto da Space Adventures, em que pessoas ricas poderiam passear por lazer pelo espaço, a Virgin Galactic afirma que tem alvos muito mais amplos, como enviar pesquisadores de universidades ou mesmo cientistas de agências governamentais, impulsionando as descobertas científicas.

Isso será um bom desafio para a Virgin Galactic, que até hoje ficou conhecida pelas viagens suborbitais, levando passageiros com dinheiro o suficiente para pagar até o limite orbital da Terra, na nave VSS Unity. A nave alcança a altura de quase 89 quilômetros, o que permite uma leve sensação de "gravidade zero", antes de perder totalmente o impulso e voltar para a Terra. No total, a empresa já levou 5 pessoas nessas viagens, que foram consideradas viagens teste. Agora, as missões serão diferentes, ultrapassando esse limite orbital.

Gateway to Space, um espaçoporto da Virgin Galactic, onde clientes embarcarão na nave que os levará a um passeio pelos limites orbitais da Terra (Foto: Virgin Galactic)

Os futuros clientes da Virgin Galactic poderão passar por um treinamento de astronauta fornecido pela empresa - que está sendo desenvolvido no Spaceport America, Novo México, uma espécie de aeroporto espacial apresentado em meados do ano passado. Este treinamento ainda passará por algumas melhorias, e poderá ser oferecido para os clientes que a empresa conseguir para a NASA.

A NASA afirmou que fará uma revisão no projeto da Virgin Galactic, e enfatizou planos para o futuro, que envolvem tanto levar astronautas em missões particulares para a ISS quanto para facilitar a comercialização de satélites americanos em baixa órbita. Ainda não se sabe quais veículos poderiam ser utilizados nesta empreitada.

Este projeto está alinhado com uma grande ambição da NASA, que é extrapolar a função atual da ISS, saindo da dicotomia governo-pesquisa e abrindo portas para fins comerciais. Filmagens podem passar a ser possíveis, por exemplo, pavimentando uma nova era de atividades em regiões até então de difícil acesso, possivelmente revolucionando alguns setores.

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.