Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Vazamento de ar é descoberto em módulo russo da ISS

Por| Editado por Luciana Zaramela | 29 de Fevereiro de 2024 às 12h12

Link copiado!

NASA
NASA

Mais um vazamento foi detectado na Estação Espacial Internacional (ISS). Segundo informações de Joel Mantalbano, gerente de programa da estação na NASA, o vazamento de ar ocorre em um módulo da Rússia onde uma espaçonave Progress está acoplada. Não há riscos para os astronautas a bordo. 

Segundo ele, a NASA está trabalhando com a Rússia para determinar as próximas ações. “No momento, não é um impacto para a segurança da tripulação ou para operações do veículo, mas é algo de que todos devem estar cientes”, ressaltou. O vazamento também não deve afetar o lançamento da missão Crew-8, programado para sexta-feira (1º).

Montalbano acrescentou que o volume do vazamento começou a aumentar cerca de uma semana antes do lançamento da Progress, em 14 de fevereiro. A espaçonave foi enviada ao laboratório orbital para levar suprimentos.

Continua após a publicidade

Os oficiais da agência espacial russa Roscosmos reconheceram o vazamento, e concordaram que não há riscos para a estação. De acordo com a agência, “especialistas estão monitorando o vazamento, e a tripulação conduz trabalhos semanais para localizawr e consertar possíveis locais de vazamento”. 

Vazamento na ISS

Esta não é a primeira vez que uma ocorrência do tipo é detectada na Estação Espacial Internacional. Em 2020, por exemplo, oficiais russos relataram um vazamento acima do nível normal no módulo Zvezda, que também é da Rússia. 

Continua após a publicidade

Em 2021, outro foi descoberto em uma área diferente do segmento russo do laboratório orbital. Já em 2023, foi registrado no módulo Nauka um vazamento de fluido refrigerante, seguido de vazamentos de uma espaçonave também do país. 

A ISS representa uma das poucas áreas de colaboração entre a Rússia e nações ocidentais após a invasão russa na Ucrânia. A NASA e seus parceiros devem manter o complexo orbital em atividade até 2030. 

Fonte: AP News, SpaceNews