United Launch Alliance confirma: Starliner continuará sendo lançada pelo Atlas V

United Launch Alliance confirma: Starliner continuará sendo lançada pelo Atlas V

Por Wyllian Torres | Editado por Rafael Rigues | 24 de Maio de 2022 às 12h10
ULA

A United Launch Alliance (ULA) anunciou que continuará a lançar a nave Starliner, da Boeing, usando o foguete Atlas V mesmo após ele "se aposentar" comercialmente em meados desta década. As empresas têm um acordo para realizar o lançamento da primeira missão tripulada com a Starliner à Estação Espacial Internacional (ISS) e mais outras seis, assim que a nave receber o sinal verde para decolar com astronautas a bordo.

A Boeing usou o Atlas V para lançar a sua nave Starliner no primeiro teste de voo no final de 2019 e, mais recentemente, no dia 19 de maio deste ano — quando a nave finalmente conseguiu se acoplar à ISS.

Lançamento da Starliner na primeira missão de teste de voo (Imagem: Reprodução/NASA/Joel Kowsky)

As empresas têm uma parceria para a primeira missão tripulada para a ISS com a Starliner, a Crew Flight Test (CFT), além de outras seis. A NASA planeja alternar a nave da Boeing e a Crew Dragon, da SpaceX, para lançar astronautas ao espaço pelo menos uma vez ao ano com cada uma delas.

Isto significa que o Atlas V pode continuar operacional para lançar a Starliner até a segunda metade desta década. No ano passado a ULA parou de comercializar os lançamentos com seu foguete para dar espaço ao seu próximo lançador, o Vulcan Centaur, que deve ficar pronto até lá.

No dia 12 de maio, o Painel Consultivo de Segurança Aeroespacial da NASA relatou sua preocupação sobre os atrasos no desenvolvimento da Starliner que podem afetar a disponibilidade do Atlas V. David West, membro do painel, acrescentou que a certificação do Vulcan para lançamentos tripulados pode demorar anos.

Possíveis planos

Em nota publicada no dia 17 de maio, representantes da NASA e da ULA afirmaram que os próximos voos da Starliner permanecerão com o Atlas V, mesmo que novos problemas atrasem o cronograma. Ainda assim, existe um risco de o suprimento de Atlas V se esgotar antes da aposentadoria da ISS, prevista para 2030.

Conceito artístico do foguete Vulcan Centaur decolando (Imagem: Reprodução/ULA)

Se isto acontecer, um novo sistema de lançamento seria procurado, disse Steve Stich, gerente do programa de tripulação comercial da NASA, acrescentando que a agência espacial apoiaria um novo lançador apto para lançar humanos “quando a Boeing e a ULA estiverem prontas”.

Por enquanto, a ULA não revelou nenhum plano sobre destinar seu Vulcan a lançamentos tripulados. Gary Wentz, vice-presidente de programas governamentais e comerciais da empresa, disse que mais de 90% do sistema do Vulcan está presente no Atlas V, o que facilitaria qualquer processo de classificação humana.

Uma mudança significativa, apontou Wentz, seria a transferência do sistema de detecção de emergência do Atlas V — que alerta a nave sobre qualquer problema com o lançador e aborta o voo, se for o caso —, para o Vulcan, além da aprovação dos motores BE-4, usados em seu primeiro estágio, para voos tripulados.

Mas a Boeing não é o único cliente interessado na certificação humana do Vulcan. A Sierra Space, por exemplo, planeja lançar sua nave de carga Dream Chaser com o próximo foguete da ULA a partir do próximo ano, e uma versão tripulada que decolaria em 2026.

Fonte: SpaceNews

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.