Starship: protótipo SN9 explode ao tentar pousar após primeiro voo de teste

Por Danielle Cassita | 03 de Fevereiro de 2021 às 12h00
Reprodução/johnkrausphotos/Twitter

Após quase uma semana de impasses com a Federal Aviation Administration (FAA), agência que cuida da regulamentação dos voos nos Estados Unidos, a SpaceX finalmente conseguiu realizar o primeiro voo de teste com o protótipo SN9, do veículo Starship, nesta terça-feira (2). O veículo alcançou a altitude de 10 km, mas acabou explodindo em uma bola de fogo ao pousar — assim como aconteceu com o voo do protótipo anterior, o SN8.

O veículo, de 50 m de altura, pareceu voar bem no início do teste. Os três motores Raptor foram desligados em sequência conforme o esperado quando o foguete chegou aos 10 km de altitude. Em seguida, o veículo realizou uma manobra horizontal similar à que seria feita durante a reentrada na atmosfera da Terra durante um voo operacional.

Mesmo com tudo correndo bem durante o voo, os problemas começaram durante a descida: enquanto tentava retornar à posição vertical para pousar, o foguete acabou descendo em um ângulo incorreto, o que resultou em uma enorme explosão ao tocar o solo. O ainda não inaugurado protótipo SN10 estava próximo de onde o SN9 explodiu, mas não pareceu ser afetado.

Apesar da explosão, John Insprucker, engenheiro de integração da SpaceX, comemorou o teste durante a transmissão online: “tivemos mais um ótimo voo, precisamos apenas trabalhar um pouco no pouso”, disse.

Confira a colagem abaixo, que mostra o progresso do voo desde o início até a explosão:

Segundo Insprucker, a capacidade de realizar a transição dos motores aos tanques de propelente de pouso foi demonstrada com sucesso: “a reentrada pareceu muito boa e estável assim como a que vimos em dezembro, então temos ótimos dados do controle dos flaps”, completou. Isso porque o protótipo antecessor SN8 teve destino semelhante no final do seu teste de voo em dezembro, e também explodiu, mas seu voo foi considerado um sucesso de qualquer maneira.

O voo do SN8 violou a licença de lançamento concedida pela FAA, o que resultou em uma investigação que acabou atrasando o teste do SN9. Agora, a agência também irá analisar o voo de ontem. Conforme se aproxima da versão final do Starship, a SpaceX vem trabalhando em modelos cada vez mais complexos: os primeiros protótipos tinham apenas um motor Raptor, e alcançaram a altitude máxima de 150 m; já o SN8, por exemplo, foi o primeiro veículo com três motores a voar no primeiro teste de voo de alta altitude já realizado.

Estes não são os primeiros protótipos do foguete que acabaram em explosões: devido a uma falha durante o teste criogênico, o SN1 acabou amassado como se fosse uma latinha de refrigerante. O SN3 também acabou destruído, e o SN4 teve destino semelhante. Ainda não há datas definidas para o teste de voo do protótipo SN10, que já está na base de lançamento.

A SpaceX vem trabalhando no Starship para, futuramente, utilizá-lo no transporte de cargas e até 100 pessoas para a Lua, Marte e outros destinos distantes. O sistema será composto pelo veículo de mesmo nome e pelo booster Super Heavy, sendo que a versão final do Starship terá seis motores Raptor, enquanto o Super Heavy deverá ter cerca de 30 deles. O desenvolvimento ágil e testes dos protótipos são necessários para que o foguete entre em ação em um futuro próximo — até porque Elon Musk, CEO da SpaceX, estabeleceu um cronograma ambicioso: segundo ele, é possível que o Starship já possa viajar em uma missão não tripulada para Marte em 2024.

Fonte: Phys.org, Futurism, Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.