Rússia deve abandonar ISS em 2028 para montar estação espacial própria

Rússia deve abandonar ISS em 2028 para montar estação espacial própria

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 03 de Agosto de 2021 às 11h20
NASA/Roscosmos

A Rússia já havia indicado a intenção de deixar a Estação Espacial Internacional (ISS) para criar uma estação orbital própria, e o projeto parece continuar firme. Em uma reunião realizada no último sábado (31), o Conselho Científico e Técnico da agência espacial russa Roscosmos afirmou que, devido ao desgaste dos equipamentos do segmento russo da ISS, o país deverá deixar o laboratório orbital em 2028 para criar instalações próprias.

A decisão foi tomada pelo Conselho após análises do estado em que o segmento russo da estação está. Como grande parte dos equipamentos já está desgastada e envelhecida, a Roscosmos afirma que avançar o uso do segmento russo da estação para além do ano de 2024 irá oferecer riscos adicionais. Assim, o Conselho recomendou que uma nova estação seja construída, tanto para evitar riscos relacionados ao estado dos equipamentos do país quanto aos planos de a Rússia deixar a ISS em 2028.

Representação do segmento russo da estação (Imagem: Domínio público)

Não é de hoje que a Rússia sinaliza que planeja deixar o laboratório orbital. A estação já passa dos 20 anos de atividades contínuas no espaço e, embora a expectativa seja que continue em funcionamento pelo menos até 2024, a ISS está cada dia mais próxima de ser desativada. Em um comunicado publicado no início do ano, a Roscosmos afirmou haver um acordo com os outros parceiros para manter a ISS até 2024 e, depois desse período, as decisões irão depender das condições técnicas dos módulos.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Além disso, um relatório publicado pela RSC Energia, empresa responsável pelo gerenciamento dos módulos russos da estação, alertou que há chances altas de os componentes terem uma "avalanche de problemas" a partir de 2025 — tanto que os danos nos equipamentos são tão sérios que já não vale mais a pena consertá-los, porque os custos serão altos demais. Mais recentemente, o país recusou a proposta da NASA de fazer parte da futura estação Gateway — mas, em paralelo, há uma parceria fechada com a China para ambas as nações construírem uma base de pesquisa na Lua.

Fonte: SpaceDaily

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.