Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Rússia ameaça deixar ISS e pede suspensão de sanções de países parceiros

Por| Editado por Patricia Gnipper | 04 de Abril de 2022 às 10h47

Link copiado!

NASA
NASA

A Rússia ameaçou novamente suspender a colaboração no programa da Estação Espacial Internacional (ISS). Dmitry Rogozin, diretor da agência espacial russa Roscosmos, publicou alguns tuítes criticando as sanções impostas por países parceiros no programa da estação, e acrescentou que a remoção das medidas é a única forma de restaurar o relacionamento normal com as demais nações parceiras.

Em suas publicações, Rogozin condenou as sanções impostas pelos Estados Unidos, Japão, Canadá e União Europeia, países parceiros no programa da ISS, em função da invasão russa na Ucrânia. “O propósito dessas sanções é matar a economia russa, afundar nosso povo no desespero e fome e deixar nosso país de joelhos”, escreveu ele.

Continua após a publicidade

Após o início da guerra na Ucrânia, diversos países ocidentais vêm impondo sanções à Rússia em diferentes áreas, incluindo o setor espacial. Em resposta, a Rússia decidiu suspender os experimentos científicos na ISS conduzidos em parceria com a Alemanha, não fornecerá motores de foguete às empresas espaciais dos Estados Unidos e colocou exigências para lançar novos satélites da OneWeb.

Rogozin afirmou também que a restauração do relacionamento normal entre os parceiros da ISS e demais projetos conjuntos “é possível somente com a completa e incondicional remoção de restrições ilegais”. Além disso, ele tuitou algumas imagens que, segundo ele, eram respostas dos parceiros da ISS a uma carta anterior. Na prática, isso sugere que Rogozin já havia formalizado seus pedidos em relação às sanções a outras agências espaciais.

Uma das imagens mostrava uma carta de Bill Nelson, administrador da NASA, afirmando que os Estados Unidos seguem apoiando a colaboração governamental internacional no espaço, especialmente em atividades relacionadas à operação da ISS. “Medidas de controle de exportação dos Estados Unidos novas e existentes continuam permitindo a colaboração entre os Estados Unidos e a Rússia, para garantir a continuidade de operações seguras na estação”, disse Nelson, no documento.

Continua após a publicidade

Apesar do tom das postagens de Rogozin, é importante lembrar que elas não significam, necessariamente, que o programa da estação corre riscos imediatos. Anteriormente, o diretor da Roscosmos já havia declarado que as sanções econômicas poderiam “destruir” a parceria no programa da ISS, mas as atividades do laboratório orbital vêm acontecendo como de costume, de certa forma. Mesmo com as tensões geopolíticas, o astronauta Mark Vande Hei, da NASA, retornou à Terra a bordo de uma nave russa Soyuz, acompanhado de dois cosmonautas.

Fonte: Via: Space.com