Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Observatório aéreo SOFIA, que encontrou água na Lua, será desativado em setembro

Por| Editado por Rafael Rigues | 29 de Abril de 2022 às 13h15

Link copiado!

NASA/Jim Ross
NASA/Jim Ross

As operações do observatório astrofísico SOFIA serão encerradas em 30 de setembro, após a conclusão da atual fase de missão estendida, conforme divulgado pela NASA e Agência Espacial Alemã (DLR) nesta quinta-feira (28). Os motivos alegados são o alto custo das atividades do observatório e o pouco retorno científico.

O SOFIA (sigla para Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy) é um avião Boeing 747 que transporta um telescópio infravermelho de 2,7 metros até o alto da atmosfera, usado para observar a Via Láctea. No entanto, nos últimos anos, o alto custo para manter a missão tem sido questionado.

Continua após a publicidade

A NASA gasta por volta de US$ 85 milhões anualmente com o SOFIA. Depois do Telescópio Espacial Hubble, esta é a missão de astrofísica mais cara da agência. A organização já havia proposto o fim da missão em suas propostas orçamentárias para os anos fiscais de 2021 e 2022.

Em novembro passado, a pequisa decenal de astrofísica Astro2020 recomentou que a NASA encerrasse a missão até 2023, alegando o alto custo e a produtividade científica limitada. “Em relação ao seu custo, o SOFIA não foi cientificamente produtivo ou impactante ao longo de sua duração”, acrescentou o documento.

Em resposta ao relatório, os funcionários da Universities Space Research Association (USRA), envolvidos nas operações científicas do SOFIA, alegaram que o documento se baseou em informações antigas que não refletem as melhoras na produtividade científica da missão.

Fim inevitável

Mesmo assim, o SOFIA não foi incluído na proposta orçamentária da NASA para o ano fiscal de 2023, publicada em 28 de março. As agências não detalharam como será o encerramento da missão, apenas que ela “terminará suas operações programadas para o ano fiscal de 2022, seguida de um desligamento ordenado”.

A diretora de comunicações externas da USRA, Suraiya Farukhi, disse que o encerramento das operações do observatório ainda está em debate entre NASA, DLR e o Deutsches SOFIA Institut (parceiro alemão da USRA no projeto). Segundo ela, mais de 700 voos ainda estão planejados, incluindo 30 sobre a Nova Zelândia.

Mais de 100 programas de observação foram aprovados na última chamada de propostas do SOFIA, mas certamente nem todos serão concluídos até setembro. No início do ano, a USRA solicitou novas propostas que começariam em outubro — que serão mantidos até novas orientações da NASA, de acordo com Farukhi.

Continua após a publicidade

Thomas Zurbuchen, administrador associado para ciência da NASA, disse que o fim do SOFIA não afetará em nada as relações norte-americanas com a Alemanha. Segundo Zurbuchen, as agências espaciais estão planejando um workshop para definir potenciais novos projetos “em futuros campos científicos”.

A missão SOFIA começou a ser desenvolvida em 1996 e o primeiro voo foi feito em 2010, mas somente em 2014 o observatório atingiu sua capacidade operacional. Em seus anos de trabalho, o SOFIA realizou importantes observações de planetas, regiões de formação de estrelas e até mesmode água em cratera iluminada da Lua.

Fonte: NASA, DLR, Via SpaceNews