Observatório aéreo SOFIA volta a operar após paralisação devido ao coronavírus

Por Daniele Cavalcante | 31 de Agosto de 2020 às 18h23
Carla Thomas/NASA
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

O observatório aéreo SOFIA, da NASA, voltou a operar depois de alguns meses parado por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2). Os voos do Boeing 747 modificado, no qual o telescópio voa alto na atmosfera terrestre para fazer observações únicas da nossa galáxia, ficou no chão desde o dia 19 de março.

SOFIA é uma sigla para Stratospheric Observatory for Infrared Astronomy, e é atualmente o maior observatório aéreo do mundo. Sua missão é permanecer em uma altitude privilegiada para observar campos magnéticos celestes, regiões formadoras de estrelas, cometas, nebulosas e o centro galáctico. Entretanto, por causa da pandemia de coronavírus, este e muitos outros observatórios ao redor do mundo ficaram fechados.

(Imagem: Reprodução/NASA)

Agora que seus voos foram retomados, o avião pode decolar de sua base, no Armstrong Flight Research Center da NASA, em Palmdale, Califórnia, mas não sem que novos procedimentos sejam obedecidos com rigor para garantir a saúde e segurança da equipe. As operações voltaram no dia 17 de agosto com dois voos de teste, para que a equipe pudesse avaliar e ajustar os novos procedimentos. Agora, o observatório poderá seguir seu cronograma normal com quatro voos por semana.

Margaret Meixner, diretora de operações da missão científica do SOFIA, disse que o observatório deverá agora “estudar a química que influencia a criação e evolução das galáxias ao longo da história cósmica”, completando que a equipe “mal pode esperar para ver os dados”. O entusiasmo não é à toa, já que os cientistas terão a oportunidade de investigar como os buracos negros controlam o crescimento das galáxias, ou seja, qual a relação deles com a formação acelerada de novas estrelas. Para isso, eles examinarão os campos magnéticos nas nuvens de gás e poeira.

Quanto aos novos procedimentos de segurança, a NASA e da Federal Aviation Administration determinaram um número mínimo de tripulantes da missão durante os voos, o distanciamento social e o uso de equipamento de proteção para cada membro da equipe, além da higienização da aeronave durante e entre cada voo.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.