Telescópio Hubble volta a funcionar com todos os instrumentos recuperados

Telescópio Hubble volta a funcionar com todos os instrumentos recuperados

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 07 de Dezembro de 2021 às 19h10
NASA

O espectrógrafo de imagens do Telescópio Espacial Hubble foi recuperado e agora ele volta a operar como todos os seus quatro instrumentos, após uma série de falhas que afetaram suas operações. Segundo a NASA, nenhum problema foi detectado desde o início do monitoramento iniciado em 1º de dezembro.

Com mais de 30 anos de operações e contribuições únicas para a ciência do espaço, o Hubble enfrentou algumas dificuldades técnicas nos últimos meses, mas agora ele volta a operar em sua máxima potencialidade.

Há 31 anos o Hubble é um importante instrumento científico para a compreensão do universo (Imagem: Reprodução/NASA)

A equipe de responsável pelo telescópio seguirá no desenvolvimento e testes de um software que garanta a continuação das operações científicas mesmo que eventuais erros de sincronização se repitam; e deve ser instalado ainda neste mês.

Os outros instrumentos do Hubble também receberão uma atualização parecida pelos próximos meses para garantir uma total sincronia entre todos. O Space Telescope Imaging Spectrograph (STIS), o espectrógrafo do telescópio, era o último que faltava ser recuperado do modo de segurança.

Histórico de falhas recentes do Hubble

No final de outubro, o Hubble precisou ser colocado em modo de segurança por conta de falhas de sincronização com sistemas de comunicação internos. Este é um procedimento padrão acionado sempre que uma anomalia é detectada, de maneira a proteger.

Na segunda semana de novembro, a NASA confirmou ter recuperado um dos quatro instrumentos do Hubble, o Advanced Camera for Surveys (ACS), que imediatamente passou a realizar observações científicas de maneira isolada, isto é, sem a participação das outras ferramentas.

Depois foi a vez de recuperar a câmera Wide Field Camera 3 (WFC3) do telescópio espacial. O WFC3 é o instrumento responsável por grande parte das observações feitas pelo Hubble e, uma vez reparado, ele voltou a trabalhar com o ACS, recuperado no início de novembro.

No fim do mês passado, foi a vez do Cosmic Origins Spectrograph (COS) voltar a atividade, após mais de um mês em modo de segurança enquanto a equipe da NASA trabalhava por sua recuperação e dos outros equipamentos.

A Nebulosa da Chama registrada pelo Hubble a cerca de 1.400 anos-luz de distancia da Terra (Imagem: Reprodução/NASA/ESA/J. Bally/DSS)

Vale destacar que o Hubble foi lançado em 1990 e, aos seus 31 anos, é normal que falhas deste tipo ocorram. No entanto, resolvê-las de maneira remota leva muito mais tempo do que manualmente — como em suas duas primeiras décadas, quando astronautas visitavam o telescópio para realizar as manutenções necessárias.

Fonte: NASA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.