Missão Crew-4 será lançada nesta quarta-feira (27)

Missão Crew-4 será lançada nesta quarta-feira (27)

Por Wyllian Torres | Editado por Rafael Rigues | 25 de Abril de 2022 às 19h00
NASA/Joel Kowsky

O lançamento da missão Crew-4, que levará quatro astronautas para uma estadia de seis meses na Estação Espacial Internacional (ISS), foi finalmente marcado para a próxima quarta-feira (27). O envio da missão dependia do retorno dos tripulantes da missão comercial Ax-1, que chegou à Terra nesta segunda-feira (25).

Com a saída da nave Crew Dragon Endeavour da ISS, a unidade orbital agora tem o espaço necessário para receber a Crew Dragon Freedom, que transportará o comandante Kjell Lindgren, o piloto Bob Hines e as especialistas Jessica Watkins e Samantha Cristoforetti, tripulantes da missão Crew-4.

Da esquerda para a direita: Jessica Watson, Bob Hines, Kjell Lindgren e Samantha Cristoforetti (Imagem: Reprodução/NASA/Kim Shiflett)

A nova data não é nenhuma surpresa: diante dos adiamentos no retorno da missão Ax-1 — em virtude do mau tempo persistente na costa da Flórida, onde a tripulação pousaria —, a NASA e a SpaceX já haviam informado que os dias 27 e 28 de abril seriam as próximas "janelas" para o lançamento da Crew-4.

Quais pesquisas serão realizadas pela Crew-4?

Os tripulantes da Crew-4 desenvolverão pelo menos cinco pesquisas durante a permanência na ISS. A primeira delas, chama-se “Fabricação de Retina Artificial Baseada em Proteína”, financiado pelo Laboratório Nacional da ISS. O projeto avaliará a fabricação de uma retina artificial no espaço.

A fabricação da retina artificial usará proteína criada pela startup LambdaVision (Imagem: Reprodução/LambdaVision)

A retina consiste em uma fina camada de bacteriorodopsina, uma proteína ativada pela luz que poderá substituir a função das células do olho sensíveis à luz que foram danificadas. A microgravidade a bordo da ISS pode melhorar a qualidade e estabilidade do material.

A segunda experiência, é o Wireless Compose-2, liderado pela Agência Espacial Europeia (ESA), dedicada a usar redes sem fio nas pesquisas desenvolvidas na ISS e garantir a precisão na navegação de objetos em voo livre. O assistente de inteligência virtual Cimon é testado desde 2019 na estação.

"Camisa inteligente" com os sensores para avaliar sinais vitais dos astronautas, criada pela DLR (Imagem: Reprodução/LambdaVision)

A pesquisa inclui um trabalho da Agência Espacial Alemã (DLR), que usa sensores em roupas para monitorar os sinais vitais dos astronautas, como a frequência cardíaca. Além de tornar essa leitura mais rápida, a tecnologia pode oferecer uma visão mais ampla sobre o comportamento cardiovascular no espaço.

O terceiro experimento, na verdade, será a continuação de um trabalho já iniciado na ISS. O projeto Kibo-RPC, financiado pela agência espacial japonesa (JAXA), permitirá que alunos controlem o Astrobee, um pequeno robô a bordo da estação, diretamente da Terra.

O objetivo é estimular a participação de jovens nas áreas de ciência, tecnologia, engenharia e matemática. A Crew-4 também avaliará o XROOTS, um técnica que usa apenas líquido e ar para cultivar plantas na ausência de um solo e outras bases usadas em cultivos tradicionais.

Dispositivo rHEALTH desenvolvido em laboratório para estudos preliminares da tecnologia (Imagem: Reprodução/rHEALTH)

A pesquisa consiste em técnicas hidropônicas (à base de líquido) e aeropônicas (à base de ar) que permitirão áreas de cultivos no espaço bem maiores do que as atuais — que dependem de instalações para a água e nutrientes envolvidos no processo.

Outro trabalho que será continuado pela Crew-4 será o rHEALTH, um dispositivo que usa lasers para classificar e diagnosticar certos quadros clínicos. A tecnologia realiza a contagem de células e suas principais características, além de detectar microorganismo ou proteínas, fornecendo um diagnóstico apurado e rápido.

A Crew-4 será lançada ao espaço por um foguete Falcon 9 da SpaceX, cuja decolagem deve acontecer por volta das 04h52 (horário de Brasília) desta quarta, a partir Complexo de Lançamento 39A no Centro Espacial Kennedy da NASA, na Flórida.

Fonte: NASA, Via Phys.org

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.