Viúva Negra | Quase metade do público assistiu filme em cópia pirata

Viúva Negra | Quase metade do público assistiu filme em cópia pirata

Por Felipe Demartini | Editado por Jones Oliveira | 26 de Abril de 2022 às 20h20
Marvel Studios

A polêmica relacionada ao lançamento turbulento de Viúva Negra, em meio a uma pandemia e com taxa extra para ser assistido via streaming, ganhou mais um contorno com o dado de que 40% dos espectadores do longa recorreram à pirataria para assistir ao filme. O número, inclusive, é semelhante ao total de pessoas que foram aos cinemas assistir ao longa, que acabou se tornando o blockbuster da Marvel com menor arrecadação de 2021.

A informação foi divulgada em uma apresentação feita pela rede de cinemas Cinépolis durante a CinemaCon, evento do mercado que está acontecendo nesta semana nos EUA. Segundo a empresa, apenas 19% da audiência assistiu ao filme no Disney+, pelo finado sistema Premier Access, enquanto 41% das pessoas foram aos cinemas assistir à atração — taxa praticamente igual aos 40% que tornaram Viúva Negra o terceiro filme mais pirateado de 2021.

A informação caminha ao lado de estimativas da própria Disney, que em janeiro já havia afirmado ter perdido mais de US$ 600 milhões em bilheterias e taxas de streaming por conta da pirataria. A ideia é que o lançamento do longa em boa qualidade amarrado ao pagamento de uma taxa adicional levou à maior facilidade de acesso e interesse dos usuários pelo download, que já vinha apresentando números em alta por conta do estado de isolamento social causado pela disseminação da covid-19.

Mesmo nos cinemas, os números não foram satisfatórios para os executivos. Ainda que Viúva Negra tenha registrado, quando foi lançado em julho de 2021, a maior bilheteria desde o início da pandemia, a arrecadação caiu 67% na segunda semana. No total, foram US$ 379 milhões obtidos em todo o mundo, atrás de outros lançamentos pandêmicos como Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis (US$ 432 milhões), Eternos (US$ 402 milhões) e o todo poderoso Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa (US$ 1,8 bilhão).

O lançamento atribulado também teve outros reflexos danosos. Enquanto veio como uma boa notícia para os usuários a extinção do Premier Access, a taxa extra por lançamentos do Disney+ que no Brasil era de R$ 69,90, a chegada simultânea ao streaming também levou a gigante a ser processada pela atriz Scarlett Johansson (História de um Casamento), que exigiu ser compensada pela perda nas bilheterias. As partes acabaram chegando a um acordo de valor não divulgado, fora dos tribunais.

Fonte: ScreenRant

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.