Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Scott Pilgrim | Qual é melhor: o filme ou a série?

Por| Editado por Durval Ramos | 20 de Novembro de 2023 às 18h00

Link copiado!

Reprodução/Netflix, Universal Pictures
Reprodução/Netflix, Universal Pictures

Bryan Lee O'Malley lançou o primeiro volume dos quadrinhos de Scott Pilgrim em agosto de 2004 e agora, quase 20 anos depois, a sua obra recebe sua segunda adaptação na forma de Scott Pilgrim: A Série. Antes dela, em 2010, foi lançado Scott Pilgrim Contra o Mundo, filme live action dirigido por Edgar Wright (Todo Mundo Quase Morto), o que nos traz a pergunta: qual das adaptações de Scott Pilgrim funciona melhor?

Escolher qual é a melhor adaptação pode parecer uma tarefa difícil, já que fatores como nostalgia e até mesmo o histórico que cada pessoa tem com a obra pode pender a discussão para um ou outro lado. Ainda assim, as diferenças existentes entre as duas obras permitem essa comparação, ainda mais se olharmos para pontos específicos do filme e do anime, como fidelidade com a história original e a profundidade dada a certos personagens.

Continua após a publicidade

Para isso, vamos considerar cinco categorias: adaptação na medida, elenco, trilha sonora, pancadaria e humor.

Adaptação na medida

Scott Pilgrim Contra o Mundo segue a história da HQ, contando a história de Scott Pilgrim (Michael Cera), um jovem canadense de 23 anos que não tem muita perspectiva de vida. Ele toca numa banda de rock sem muito futuro, namora uma adolescente e vive encostado num mini apartamento com um amigo.

Tudo muda quando ele conhece Ramona Flowers (Mary Elizabeth Winstead), uma misteriosa garota de cabelo colorido e uma franjinha que fez muitos caras criarem todo um gosto bastante específico por mulheres. Ele tenta conquistá-la, mas descobre que precisa enfrentar a Liga dos Ex-Namorados do Mal para ter o caminho livre para o seu amor.

O filme consegue adaptar relativamente bem todos os seis volumes dos quadrinhos, considerando que foi lançado praticamente junto da última edição.

Scott Pilgrim: A Série, é uma animação que começa bem fiel aos quadrinhos, mas eventualmente segue um caminho completamente inédito, respeitando os personagens e a própria trama principal, mas trazendo diferenças gritantes em relação à obra original.

Continua após a publicidade

Por mais que o filme seja uma adaptação mais fiel, pois segue o começo, meio e fim das HQs, a série consegue ir um pouco além, sem perder a essência do que faz a história realmente divertida. É um outro olhar para essa trama que pode surpreender os fãs mais conservadores, mas que mostra o quanto esse universo funciona mesmo quando encarado sob outras perspectivas. Sendo assim, vamos declarar um empate.

Elenco

O elenco de Scott Pilgrim Contra o Mundo é um verdadeiro desfile de futuras estrelas, contando com Michael Cera (Barbie), Mary Elizabeth Winstead (Ahsoka), Chris Evans (Vingadores: Ultimato), Brie Larson (As Marvels), Brandon Routh (Legends of Tomorrow), Kieran Culkin (Succession), Aubrey Plaza (Parks and Recreation) e Jason Schwartzman (Asteroid City).

Continua após a publicidade

Na época em que o filme foi lançado, a maioria desses atores estava prestes a receber seus grandes papéis no cinema — Chris Evans virou o Capitão América já no ano seguinte e, em 2016, Brie Larson levou o Oscar de Melhor Atriz por O Quarto de Jack — , sendo um tiro no escuro que acertou no centro do alvo. Depois do lançamento do longa, todos ainda continuaram amigos, chegando a fazer uma leitura do roteiro do filme durante os anos de pandemia.

Essa amizade toda funcionou para a animação, já que quando a Netflix surgiu com a ideia de transformar a HQ em um anime, envolvendo Bryan Lee O'Malley e Edgar Wright, todo o elenco foi consultado se gostaria de retornar. Sendo assim, todos os atores do filme reprisaram seus papeis no desenho.

Sendo assim, um elenco incrível repetido é um empate entre filme e anime. Aliás, é essa reprise que faz com que o anime seja tão divertido.

Continua após a publicidade

Trilha sonora

A trilha sonora da série é incrível, com trabalhos da banda Anamanaguchi, responsáveis também pela trilha para o game baseado em Scott Pilgrim. Além de usar músicas que estavam na HQ, a série ainda utiliza canções licenciadas, como a gloriosa versão de Black Sheep, do Metric, e Police Truck, de Dead Kennedys.

Porém, Black Sheep ficou realmente gloriosa e mais famosa com a versão cantada por Brie Larson no filme. Além de ter os atores cantando e tocando os instrumentos, a trilha foi produzida por Nigel Godrich, produtor que trabalhou com bandas como Radiohead, U2, R.E.M. Paul McCartney e Roger Waters, em parceria com o cantor Beck.

Continua após a publicidade

A animação pode ter ótimas músicas, mas a trilha sonora do filme segue imbatível até hoje, ganhando essa com facilidade.

Pancadaria

Scott Pilgrim é conhecido por alguns elementos bem fixos, que é música, nerdices, romance e pancadaria. A ação da série ganha vários pontos por utilizar a animação para ir um pouco além do que normalmente poderia ser feito em live action. Porém, Scott Pilgrim Contra o Mundo faz exatamente isso, traduzindo muito bem as loucuras baseadas em videogame para o mundo de carne e osso.

Continua após a publicidade

Enquanto os dois funcionam muito bem, é esperado algo mais espetacular vindo de um anime, enquanto o filme de Edgar Wright conseguiu fazer isso com os atores lutando ou com efeitos especiais realmente eficientes e sem se tornar caricato ou brega. Eles conseguiram fazer Michael Certa lutar usando música e um macaco gigante e a Mary Elizabeth Winstead usar um martelo gigante. Tem que respeitar e o filme leva essa.

Humor

O já citado humor está bastante presente nas duas adaptações, ainda que funcionem de jeitos diferentes. Enquanto o anime traz algumas situações e diálogos engraçados, o filme usa isso e ainda adiciona um tom quase pastelão em algumas cenas.

Continua após a publicidade

Por tentar criar esse tom de fantasia, a versão da história para os cinemas deixa os personagens mais exagerados com suas reações em várias cenas, como se fossem, veja só, personagens de desenhos animados. Só que pelo contraste entre as duas mídias, essas situações se tornam mais engraçadas, como as caras e bocas de Scott e Stephen Stills ao descobrirem que vão tocar contra uma banda que também tem uma garota na bateria.

Enquanto as duas adaptações são bem engraçadas de jeitos diferentes, o filme consegue ser um pouco mais, levando mais essa.

Na pontuação geral, considerando dois empates e três pontos dados de maneira completamente subjetiva, o filme pode ser considerado a melhor adaptação.

Continua após a publicidade

Porém, como comentamos na nossa crítica sobre a série, o anime não tenta em momento algum seguir os mesmos passos do longa, trilhando sua própria história e sendo praticamente uma sequência ou um "New Game+" dos quadrinhos. Sendo assim, é tudo muito legal e, se você gostou de um, provavelmente vai gostar do outro.

Scott Pilgrim: A Série está disponível na Netflix, já o filme está disponível para locação e compra no iTunes, Amazon e Google Play Store.