Publicidade

Quem é Eco, a protagonista da nova série da Marvel

Por| Editado por Durval Ramos | 03 de Janeiro de 2024 às 14h30

Link copiado!

Reprodução/Marvel Studios, Marvel Comics
Reprodução/Marvel Studios, Marvel Comics

Algo legal do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês) é a possibilidade de apresentar novos personagens em histórias de heróis estabelecidos, permitindo explorar mais sobre eles em futuras produções. É o caso de Maya Lopez, personagem não muito conhecida que foi introduzida em uma série de outra pessoa e agora ganha uma série solo na Disney+. Mas, afinal de contas, quem é Eco?

Após ter sido apresentada no fim do segundo episódio de Gavião Arqueiro, a personagem se mostrou mais importante ao estar ligada a um chefe do crime na cidade de Nova York. Eventualmente, esse vilão se revelou como Wilson Fisk, o Rei do Crime, com Vincent D'Onofrio reprisando o papel que havia interpretado na série do Demolidor. Essa conexão com Fisk acabou dando mais importância para Maya Lopez no MCU, que agora será explorada na sua série solo.

Continua após a publicidade

Isso porque, nos quadrinhos, Eco é uma personagem de bastante relevância para esse universo mais urbano da editora e que possui vínculos com vários heróis, como os próprios Gavião Arqueiro e Demolidor. Só que, mais do que isso, a apresentação da personagem também é um passo importante dentro do aumento da representatividade nas produções da Marvel, já que tanto a personagem quanto a atriz Alaqua Cox são surdas e o próprio Kevin Feige já indicou o quanto isso vai ser relevante para o futuro do estúdio.

Para além do Gavião Arqueiro

Embora Eco faça sua estreia no MCU na série de Clint Barton e Kate Bishop, a relação da personagem com o Gavião Arqueiro é muito mais tangencial do que direta. Isso porque, nos quadrinhos, ela está muito mais ligada com as histórias do Demolidor — tanto que sua primeira aparição foi em Daredevil #9, em 1999.

Continua após a publicidade

Nas HQs, Maya Lopez é uma jovem nativa-americana surda que é capaz de replicar qualquer ação que visualizar — mais ou menos como o Sharingan de Naruto, em uma comparação bem simplista. É por causa disso que ela acaba ganhando o nome de Eco, já que essa habilidade permite que ela ecoe qualquer movimento, incluindo estilos de luta.

Essa capacidade é algo que logo chama a atenção do Rei do Crime, que dá um jeito que trazê-la para o seu lado. Para isso, o vilão manda matar o pai de Lopez e faz a jovem acreditar que o Demolidor foi o responsável pelo crime. Assim, Wilson Fisk a adota e oferece todo o treinamento necessário para que ela possa se vingar.

Só que o plano do vilão é um pouco mais engenhoso do que isso. Ao mesmo tempo em que tornava Maya a sua nova assassina ideal, o Rei do Crime dá um jeito de fazer com que a jovem e Matt Murdock tenham um relacionamento para que ele pudesse quebrar o herói tanto física quanto emocionalmente.

Continua após a publicidade

Assim, Maya adota o nome de Eco e passa a estudar os movimentos do Homem Sem Medo para enfrentá-lo de igual para igual enquanto o Demolidor fica incapaz de ferir a mulher que ama. O problema é que, quando ela descobre a identidade de seu alvo, entende que foi apenas usada pelo criminoso e decide ir atrás de Fisk. É assim que ela deixa o vilão cego por um tempo e desaparece da vida de Murdock por alguns anos.

Retorno como Ronin

E apesar de aparecer em algumas histórias aqui e ali depois desse embate com o Demolidor, Maya Lopez só voltou a ganhar relevância dentro dos quadrinhos da Marvel em 2005, quando assumiu a identidade de Ronin ao lado dos Novos Vingadores.

Continua após a publicidade

Na época, ela se transformou basicamente em um ninja e passou a enfrentar as forças do Tentáculo e da Hydra — o que a colocou lado a lado com a equipe dos Heróis Mais Poderosos da Terra que havia sido recém-reformulada. Sem revelar sua identidade, ela ajudou o Capitão América a capturar a Madame Hydra e passou a fazer parte do time.

É em uma dessas suas batalhas contra os ninjas do Tentáculo que Maya acaba tendo que enfrentar Elektra, que comandava o grupo criminoso nesse período. E mesmo sendo capaz de mimetizar todos os movimentos da sua oponente, Lopez é morta pela ninja assassina. Só que ninguém morre de verdade nos gibis e ela acaba sendo ressuscitada logo em seguida e aparecendo de forma cada vez mais frequente nas histórias da editora, principalmente nas sagas mais urbanas.

E o que mais nos interessa dessa fase é justamente o legado que Eco deixa. Após ser derrotada por Elektra, outro personagem passa a atuar no universo Marvel como Ronin. Com o traje do ninja vago, o recém-ressuscitado Clint Barton abandona o nome Gavião Arqueiro e assume a identidade para lutar ao lado dos Vingadores dessa forma.

Continua após a publicidade

O que isso tudo implica para o MCU

A estreia de Maya Lopez em Gavião Arqueiro seguiu por caminhos bem diferentes. A começar pela própria figura do Ronin, que não foi criada pela jovem. No MCU, a identidade foi adotada pelo próprio Barton no período em que metade do universo foi apagado por Thanos e em que ele viajou o mundo matando criminosos.

Isso foi usado para justificar o interesse de Maya e da Gangue do Agasalho no herói. Barton matou o pai da jovem através de um plano orquestrado por Wilson Fisk, que trai o membro da gangue passando informações para Ronin.

Continua após a publicidade

Após descobrir a traição de seu tio adotivo, Maya se vinga dele, dando um tiro no seu rosto e fugindo para tentar encontrar um sentido para a sua vida. É a partir desse ponto que Eco, a série, começa, mostrando a jovem retornando para sua cidade natal, no Oklahoma, tentando se reconectar à sua família e suas raízes indígenas. Ela só não esperava o retorno de Fisk e o perigo que ele traz para todos.

A série também deve mostrar o passado de Maya, quando Fisk a "adotou" e cuidou da jovem até ela se tornar um dos seus principais membros do seu império do crime. É nesse cenário que ela cruza o caminho do Homem Sem Medo, o Demolidor. Charlie Cox, ator que interpretou o herói na série da Netflix e marcou sua entrada no MCU em Homem-Aranha: Sem Volta para Casa e Mulher-Hulk, foi confirmado em Eco, apenas deixando a produção ainda mais interessante.

Continua após a publicidade

Inclusão e representatividade

Outro ponto muito importante na participação de Maya Lopez na Universo Cinematográfico da Marvel é a representatividade. Assim como a personagem, a atriz Alaqua Cox também é nativa-americana e surda. Curiosamente, ela nunca atuou na vida e, mesmo assim, foi escolhida para viver a Eco e protagonizar sua própria série no futuro.

Continua após a publicidade

O diretor de Gavião Arqueiro, Rhys Thomas, conta que Cox participou de um teste e surpreendeu a todos pela sua determinação. Mesmo sem experiência em atuação, ela encarnou a personagem e conquistou toda a produção, garantindo o papel. Além disso, a atriz também utiliza uma prótese em uma das pernas.

De acordo com Kevin Feige, a ideia é realmente abrir as portas para que o MCU seja mais inclusivo. Tanto que o estúdio trouxe o escritor Doug Ridloff como consultor para Gavião Arqueiro para ajudar nas questões relacionadas à surdez. Ele é casado com a atriz Lauren Ridloff, que viveu a eterna Makkari em Eternos e que também possui deficiência auditiva. “Ele trabalhou junto com Alaqua como consultor na série e também em Eco”, revela o executivo. “Nós aprendemos e crescemos muito a cada projeto”.

Eco estreia na Disney+ e Star+, com todos os episódios liberados de uma vez só, no dia 9 de janeiro.