Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

O que é a quarta parede do cinema?

Por| Editado por Jones Oliveira | 11 de Junho de 2022 às 08h00

Link copiado!

Kilyan Sockalingum,Unsplash
Kilyan Sockalingum,Unsplash

Um termo comumente usado no cinema, no teatro, no audiovisual e até nos quadrinhos é a quarta parede. Ele se refere a uma divisória imaginária que separa quem está fazendo a ação de quem está recebendo-a. No teatro, essa parede fictícia fica entre a platéia e o os atores, já no cinema está localizada onde estão as câmeras.

Essa barreira existe para a separar o que é ficção da realidade, permitindo que seja mais fácil para o espectador mergulhar na história. No entanto, algumas produções quebram a quarta parede propositalmente para promover uma interação entre a obra e o público.

O que é quebrar a quarta parede?

Continua após a publicidade

De maneira simples e direta, quebrar a quarta parede significa romper essa divisão e propiciar uma interação entre espectador e ator. Esse ato pode ser feito de diferentes formas: no cinema, ocorre quando o ator traz o público para cena, conversando com ele atráves da câmera.

Via de regra, apenas um ou dois atores quebram a quarta parede, o resto segue a cena como se não soubesse do que está acontecendo. Isso faz com que a magia da ficção se mantenha e não se perca a atenção do espectador.

Um bom exemplo disso acontece em O Lobo de Wall Street (2013), quando o personagem de Leonardo DiCaprio, Jordan Belfort, conversa com o público enquanto sua história vai se desenrolando. O filme traz uma temática que mistura drogas, corrupção e imoralidade e o bate- papo com o protagonista faz com que o espectador se torne cúmplice de suas ações.

Já no teatro, esse rompimento se dá quando algum personagem interaje com a platéia. Existe, no entanto, gêneros em que não há a quarta parede: é o caso do stand-up comedy, ou humor de cara limpa como também é chamado.

Nesse espetáculo de humor, o comediante se apresenta geralmente em pé (daí o nome), sem cenários ou acessórios e sem caracterização de personagens. Ele faz piadas sobre situações ordinárias do cotidiano e, na maioria dos casos, interaje com as pessoas que estão assistindo.

Saindo um pouco das telas e indo para o papel, a quarta parede também já foi quebrada em HQs. É o caso dos quadrinhos da Mulher-Hulk, que conversou com o leitor em diferentes momentos da sua história, seja comentando uma situação absurda ou até mesmo brincando com a Marvel. Inclusive, a personagem vai ganhar uma série no Disney+ e a dúvida que fica é se teremos esse rompimento também nas telas.

Continua após a publicidade

Outro exemplo de quebra de quarta parede nos quadrinhos e nas telonas é Deadpool, personagem que abusa desse rompimento como recurso de humor.

Filmes e séries que quebraram a quarta parede

Muitas produções audiovisuais já quebraram a quarta parede. O Canaltech separou 3 exemplos para você.

Continua após a publicidade

Fleabag (2016)

Escrita e estrelada por Phoebe Mary Waller-Bridge, Fleabagé uma referência quando se fala em quebrar a quarta parede. A série é construída em cima dessa ação, quando a protagonista olha para a câmera a cada situação que acontece em sua vida. É a maneira que ela tem de conversar com o público pelo olhar.

Esse ato é tão marcante que em um determinado momento o padre (interpretado por Andrew Scott) por quem a protagonista está apaixonada percebe que ela está olhando para a câmera e a indaga perguntando com quem está falando.

Continua após a publicidade

Curtindo a vida adoidado (1986)

Um clássico do cinema, Curtindo a Vida Adoidado quebra a barreira entre espectador e ator ao mostrar o protagonista Ferris Bueller (Matthew Broderick) conversando diretamente com o público em diversas situações.

Os Normais (2001)

Continua após a publicidade

Passando do cinema para a televisão e do internacional para o nacional, uma sitcom que já fazia a quebra da quarta parede há muito tempo é Os Normais.

A série foi ao ar de 2001 a 2003 e retratava a vida de Rui (Luiz Fernando Guimarães) e Vani (Fernanda Torres), que enfrentavam situações cotidianas. Com muito humor, eles abusavam da "conversa com o público" e traziam o espectador para dentro de suas vidas conjugais.