Semana no mercado cripto: fique por dentro do que aconteceu no setor

Semana no mercado cripto: fique por dentro do que aconteceu no setor

Por Diego Marques | Editado por Claudio Yuge | 03 de Junho de 2022 às 22h20
Envato/Rimidolove

A semana foi agitada no mercado cripto. Nesta matéria apresentamos um resumo com as principais notícias que mais influenciaram no preço das criptomoedas.

Banqueiro alerta sobre supertempestade

O mercado reagiu mal à fala do CEO do banco JPMorgan Chase, Jamie Dimon. O executivo mencionou que crise econômica mundial está vindo. A reação do setor foi de queda imediata, com a queda das cotações da criptomoedas. O preço do Bitcoin, principal moeda digital, caiu 8% após as declarações do banqueiro.

Clique aqui para ler essa notícia completa.

Rússia deve aceitar Bitcoin em pagamentos internacionais

Uma notícia publicada pela Nasdaq relata que um funcionário do alto escalão do banco central russo revelou que a instituição é favorável à utilização do Bitcoin e outras criptomoedas para pagamentos internacionais.

O ministro russo das finanças, Denis Manturov, já havia em outra situação comentado sobre o tema. Ele disse que "a questão é, quando isso vai acontecer; e como será regulamentado, agora que o banco central e o governo estão trabalhando ativamente nisso”.

Clique aqui para ler essa notícia completa.

Em abril deste ano o banco central europeu alertou que criptomoedas estão sendo usadas para evitar sanções impostas a alguns indivíduos russos (Imagem: Reprodução/Envato-stockfilmstudio)

Startup promete dar criptomoedas pra quem fizer sexo usando app

Para ganhar criptomoedas, o usuário do app SEXN precisa realizar atos sexuais com diferentes tipos de "confirmação", como ativar um temporizador e usar uma pulseira inteligente com sensores, além de comprar tokens não-fungíveis (NFTs) de ilustrações ligadas a relações íntimas, como brinquedos sexuais e reservativos.

Clique aqui para ler a notícia completa.

Bitcoin é usado por argentinos para fugir da inflação

Um estudo realizado em 2021 pela Triple A, Aliança Anticomunista Argentina, aponta que cerca de 3% da população (1,3 milhão de pessoas) já utiliza moedas digitais. Segundo dados do governo argentino, o peso do país caiu 58%, desvalorização que fez a população se interessar cada vez mais pelas criptomoedas.

Clique aqui para ler amatéria completa.

Banco Central exigirá que corretoras de criptomoedas tenham sede no Brasil

O presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto, comunicou na terça-feira (31) que as corretoras de criptomoedas deverão ter sede local para operar no país.

O Projeto de Lei 3.825/2019 trata sobre a regulamentação das criptomoedas e destaca o BC como um agente importante na fiscalização do setor, e impõe diretrizes para a atividade relacionada ao mercado de moedas digitais no Brasil.

Para ler o a matéria completa clique aqui.

Preço das criptomoedas ainda não se recuperou da forte desvalorização causada pela “morte” da moeda digital Luna. (Imagem: Reprodução/Envato/furmanphoto)

Analista do Deutsche Bank acredita que Bitcoin retomará tendência de alta

Marion Laboure, analista sênior do Deutsche Bank, declarou em entrevista à emissora norte-americana CNBC que preço do Bitcoin retomará a tendência de alta.

Durante a entrevista, ela falou também sobre o atual momento das criptomoedas, que, em sua visão, precisam de mais regulamentação; e comentou suas previsões sobre o futuro do Bitcoin.

Para ler a matéria completa clique aqui.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.