Para diretor da Microsoft, Ethereum pode se tornar "a próxima App Store"

Para diretor da Microsoft, Ethereum pode se tornar "a próxima App Store"

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 16 de Dezembro de 2021 às 17h20
Reprodução/IciakPhotos (Envato)

O crescimento da rede descentralizada (De-Fi) Ethereum deve, junto das taxas baixas para desenvolvimento de aplicativos no sistema, deve fazer que a plataforma se torne uma espécie de App Store nos próximos dois anos, segundo uma previsão de Yorke Rhodes, Diretor de Transformação Digital da Microsoft.

A frase, dita em agosto pelo executivo, indica que Rhodes tem fé que nos próximos anos, novas tecnologias como prova de conhecimento zero (usadas para comprovar transações, mas sem dar detalhes dos usuários ou das quantias) ou plasma (usadas para contestar possíveis fraudes, e possibilitando o retorno de ativos roubados), elevarão a rede Ethereum a um novo patamar, tornando ela competitiva além do setor de criptomoedas.

O executivo ainda comparou as vantagens da rede Ethereum em relação à App Store da Apple, citando que a plataforma não é controlada por uma única empresa, sendo descentralizada, tem login único entre os vários aplicativos que a usam e, mais importante, não conta com bloqueios para certos programas.

E para os executivos de grandes empresas, como o próprio Rhodes, isso é ótimo, já que pode indicar um uso do Ethereum como uma perfeita plataforma do metaverso, podendo assim fornecer valores exclusivos e portáveis que permitirão os usuários a viverem várias vidas simultaneamente.

Ethereum poderá evoluir para ser importante passo do metaverso. (Imagem: Reprodução/Ethereum)

Do jeito que está, o Ethereum já tem uma espécie de loja e aplicativos, embora descentralizada e com muitas interfaces controladas por diferentes entidades, em vez de uma grande loja única. No entanto, ainda é um nicho pequeno que, nos próximos dois anos, pode começar a escalar e atingir um público mais geral. Ao mesmo tempo, é difícil ver, nesse período de tempo, a blockchain ameaçando a AppStore da Apple.

Mas não é só a Microsoft que está flertando com o mundo das criptomoedas. Tim Cook recentemente revelou ser dono de algumas unidades de bitcoin, mostrando que a Apple, potencialmente, está de olho no mercado. O mesmo pode-se dizer de Zuckerberg, CEO do Meta, que há dois anos já está tentando entrar no setor.

A evolução do ETH

A previsão da evolução da Ethereum pode ser vista como a identificação de uma tendência, onde por conta de mais pessoas estarem usando a plataforma, mais o ativo digital dela se vê aumentando em valor, e assim mais investimentos podem ser realizados.

Com isso, e com a integração com o metaverso, no fim a loja de aplicativos da Ethereum se tornaria só mais um programa da rede, com a De-Fi evoluindo para se tornar um microcosmo único da internet, com suas próprias características e peculiaridades.

Um endereço ETH em cada celular, em cada computador, talvez até em cada carro. Basicamente uma re-arquitetura da própria internet, que assim já seria caso aqueles titãs tivessem acesso as criptomoedas quando construíram a web2.

E, com a dificuldade de fazer previsões sobre o mercado cripto, se não for a rede Ethereum que chegará lá, outra blockchain descentralizada cumprirá a previsão de Rhodes. Mas a certeza é que as big techs e os usuários já começam, devagar, a enxerga a próxima evolução da internet.

Fonte: Livecoins

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.