SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

5 motivos para não comprar a Chevrolet Montana RS

Por| Editado por Jones Oliveira | 10 de Dezembro de 2023 às 09h30

Link copiado!

Felipe Ribeiro/Canaltech
Felipe Ribeiro/Canaltech

A Chevrolet Montana ganhou uma nova versão topo de linha. Surpreendentemente, a General Motors optou por alocar a variante RS como a mais cara e completa da gama, mesmo com pouquíssimas variações em relação ao modelo Premier, por exemplo.

O convívio com a caminhonete trouxe pontos muito positivos, como as que listamos nos cinco motivos para você comprar uma, que foram:

  1. Desempenho
  2. Consumo
  3. Dirigibilidade
  4. Conectividade
  5. Design
Continua após a publicidade

Mas nem tudo são flores e identificamos algumas situações e características desse produto que podem não agradar o potencial cliente da picape.

Qual é o público-alvo da Chevrolet Montana RS?

Assim como acontece com a Chevrolet Montana Premier, a variante RS deve tentar atrair clientes que queriam um SUV, mas que gostam da ideia de ter uma caçamba enorme para levar seus utensílios, malas e demais objetos. O visual esportivo, porém, pode trazer também compradores mais jovens.

Continua após a publicidade

5 motivos para não comprar a Chevrolet Montana RS

Após alguns dias com a caminhonete, listamos cinco motivos que podem fazer você não comprar uma Chevrolet Montana RS.

5. Não é esportiva

Por melhor que seja o desempenho do motor 1.2 turbo de 133cv da Chevrolet Montana, ela, nem de longe, é um carro considerado esportivo. Não há ajustes de suspensão, direção, aceleração e mecânica que possam justificar essa alcunha de esportivo. Nesse caso, a caminhonete é, no máximo, esportivada.

Continua após a publicidade

4. Capacidade de carga

A carga útil permitida pela Chevrolet Montana RS é de apenas 600kg, menos, por exemplo, do que uma Fiat Strada. Sim, a Montana não é vendida como um carro de trabalho, mas se a missão é vender mais do que as concorrentes, algo deveria ter sido feito na questão operacional.

Continua após a publicidade

3. Faltam equipamentos de segurança

A General Motors perdeu uma ótima chance de equipar mais a Chevrolet Montana com o lançamento da versão RS. Na Premier, por exemplo, já havia a falta de itens importantes pensando em segurança ativa, algo que temos, por exemplo, no Tracker. Casos do alerta de colisão frontal, frenagem automática de emergência e o assistente de estacionamento semiautônomo. Isso, infelizmente, segue na Montana RS.

De auxílio ativo ao motorista, somente o sensor de ponto cego, bom para uso em uma caminhonete. No mais, dado o preço cobrado pelo carro e seu apelo mais avançado dentro da gama da GM, aqueles itens poderiam estar presentes.

Continua após a publicidade

2. Isolamento acústico

Algo que foi citado pelo meu colega Paulo Amaral na lista de pontos negativos da versão Premier segue na Chevrolet Montana RS: o isolamento acústico. Nem tanto pelo motor, já que por ser uma versão "esportiva", talvez o comprador queira ouvir o ronco contido do 1.2 turbo tricilíndrico, mas mais pelo trabalho como um todo, que deixa a desejar.

Na estrada, principalmente, ouve-se tudo com muito volume, principalmente o deslocamento de ar causado pela caminhonete e a rolagem em um asfalto mais áspero.

Continua após a publicidade

1. Espaço Interno

Um ponto crítico no projeto da Chevrolet Montana RS segue sendo seu espaço interno. Se a missão é brigar com a Fiat Toro como um SUV de caçamba, quem for alto, como eu (1,85m), vai sofrer bastante na fileira traseira.

Se você pensa em ter a Montana como seu carro de família, talvez apenas crianças fiquem confortáveis nos bancos traseiros.