Review JAC E-JS1 EXT | Versão aventureira do compacto chinês encara até estrada

Por Paulo Amaral | Editado por Jones Oliveira | 31 de Julho de 2022 às 09h30
Paulo Amaral/Canaltech

A JAC Motors não escondeu de ninguém, desde o lançamento do E-JS1, à época o carro elétrico mais barato do Brasil, o fato de que o compacto foi desenvolvido quase que exclusivamente para uso urbano. Portanto, a versão aventureira dele, que tem o sobrenome EXT, deveria seguir a mesma toada, certo? Errado.

A reportagem do Canaltech passou alguns dias ao volante do nada discreto compacto elétrico da marca chinesa, na cor rosa metálico, e resolveu desafiar a lógica. Afinal, será que o JAC E-JS1 faz realmente feio na estrada? Fomos de São Paulo a Jundiaí, em um trajeto de aproximadamente 60 quilômetros, e o resultado foi surpreendente, como detalharemos logo mais.

JAC E-JS1 EXT é versão aventureira do compacto elétrico chinês (Imagem: Paulo Amaral//Canaltech)

O modelo é basicamente igual ao E-JS1 que já testamos por aqui, mas com algumas diferenças interessantes. A principal delas é a suspensão, que ficou mais alta após a troca dos amortecedores. As novas rodas e a faixa lateral decorativa também não deixam dúvidas de que se trata de uma versão diferenciada.

Prós

  • Economia
  • Desempenho
  • Agilidade
  • Conforto
  • Pacote tecnológico

Contras

  • Autonomia
  • Porta-malas
  • Conectividade e Segurança

Conectividade e Segurança

Assim como o modelo tradicional do E-JS1, a versão EXT oferece ao proprietário um bom pacote tecnológico. Os principais destaques são a central multimídia de 10,25 polegadas, e um cluster digital com acesso total às principais informações do carro.

A multimídia exige que o usuário faça o download de um aplicativo específico (Easy Link) para que haja o espelhamento da tela do telefone na central multimídia. Ele não oferece emparelhamento com Android Auto e Apple Carplay, mas tem pareaamento com seu smartphone, sem espelhamento, por Bluetooth.

Central multimídia de 10,25 polegadas é idêntica ao do E-JS1 normal (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

O E-JS1 EXT ainda sai de fábrica com ar-condicionado digital, sensores de estacionamento traseiro, câmera de ré, função auto-hold, freio de estacionamento eletrônico, câmbio automático com alavanca para troca ao lado do volante, sistema keyless, partida sem chave, duas tomadas de 12 volts, dois airbags, controle de tração e estabilidade e até mesmo carregador de celular por indução.

Conforto e experiência de uso

Logo na saída da concessionária em que fomos retirar o carro, na Gastão Vidigal, pertinho da Rodovia dos Bandeirantes, o primeiro sinal de que a convivência com o “rosinha valente” seria bastante curiosa. Um entregador de aplicativo parou ao lado da reportagem e mostrou interesse em saber como eram autonomia, desempenho e preço do compacto elétrico.

Como pudemos comprovar nos dias em que ficamos com o carro, ele é ainda mais valente que o E-JS1 de entrada. A suspensão, elevada em 50 mm com os novos amortecedores, e as novas rodas, calçadas com os pneus 175/70 de uso misto, deram ao carro (e à reportagem) a “coragem” que faltou para, enfim, encarar uma estrada a bordo do “chinês aventureiro”.

Motor que tem potência equivalente a 62 cavalos encaro o desafio de pegar a estrada (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Pegar a rodovia dos Bandeirantes, em que o limite de velocidade é de 120 km/h, foi um desafio interessante. Afinal, a velocidade do E-JS1 EXT é limitada eletronicamente a 110 km/h. O motor de 62 cavalos com 15,2 kgfm de torque não é forte o suficiente para acompanhar o fluxo. Em uma matemática pura e simples, isso significa dizer que a reportagem teve que andar “na boa”, ou seja, nas duas faixas da direita, acompanhada por caminhões, ônibus, motos e alguns motoristas menos apressados em chegar ao seu destino.

É justamente por causa desta limitação, e da autonomia máxima de 302 quilômetros, muito mais “fiel” em perímetro urbano, no qual é mais fácil recuperar energia por meio das frenagens, que o E-JS1 EXT foi apresentado como um carro exclusivamente para a cidade. Mas ele foi valente. E superou o desafio de ir de São Paulo a Jundiaí sem sustos, com a bateria de 30,2 kWh chegando ao destino com pouco mais de 50% de carga restante.

Design e Acabamento

Design e acabamento são pontos fortes do JAC E-JS1 EXT. A versão aventureira do compacto chinês tem, além de todas as atrações da variante normal, os pontos que o caracterizam como integrante de uma série diferenciada.

Por fora, o visual da versão testada e, principalmente, a cor dela (rosa metálico) são um show à parte e a garantia de pescoços virados por onde você passar. O design exterior também conta com uma barra longitudinal no teto (que faltou na unidade emprestada ao Canaltech) e adesivos laterais mostrando que trata-se da versão EXT.

Acabamento interno do JAC E-JS1 EXT é minimalista, mas bem resolvido (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

Por dentro, apesar de minimalista, o JAC E-JS1 EXT é muito bem resolvido, assim como o “irmão” sem espírito aventureiro. Apesar de não haver muito espaço para guardar “besteiras”, já que o porta-luvas é pequeno e sem tampa, tudo é bem harmonizado, desde os confortáveis bancos até o painel e os acessórios, como o volante multifuncional com troca de marchas na alavanca, estilo Mercedes-Benz, até o carregador de celular por indução, localizado no console central.

"Assim como o E-JS1 normal, a versão EXT, ou aventureira do compacto da JAC, é pura diversão. Ele não é perfeito para viajar? Não, mas tudo bem. E, se o percurso for curto, como o encarado pela reportagem, dá, sim, para colocar o “chinesinho valente” na rodovia e ser feliz com ele."

— Paulo Amaral

Concorrentes

Os concorrentes do JAC E-JS1 EXT são basicamente os mesmos da versão normal. Isso significa que ele briga por um lugar no mercado com carros como o Renault Zoe e o Fiat 500e.

O modelo francês leva vantagem no quesito autonomia, já que roda 385 quilômetros com uma única carga, enquanto o italiano tem no pacote de segurança (falho chinês, aliás) seu ponto alto. Ambos, no entanto, custam (bem) mais caro que o modelo da JAC.

O Renault Zoe, atualmente, não é encontrado por menos de R$ 239.990. O Fiat 500e, por sua vez, parte de R$ 255.990, em sua versão 2022.

Veredicto

Pelo preço que a fabricante chinesa cobra pelo pequeno aventureiro elétrico (R$ 179.900 no site oficial), e pelo desempenho mostrado durante o tempo que passou nas mãos da reportagem do Canaltech, o JAC E-JS1 EXT, mesmo sendo precário em itens de segurança, como assistente de permanência em faixa, alerta de ponto cego e outros, é uma excepcional opção para quem quer entrar para o universo dos carros elétricos.

Na volta para casa, e na entrega do carro, a reportagem ainda “ajudou”, sem querer, a JAC Motors a alavancar as vendas do compacto elétrico, ao parar para fazer imagens do carro e ser abordado por um empresário que perguntou as características do simpático rosinha, e afirmou ter se convencido de que ele seria o ideal para sua empresa economizar.

JAC E-JS1 EXT é ótima opção para dar entrada no mundo dos carros elétricos (Imagem: Paulo Amaral/Canaltech)

*O JAC E-JS1 EXT utilizado para a realização deste review foi gentilmente cedido pela JAC Motors do Brasil ao Canaltech.