Demo gratuita do Windows 365 foi suspensa pela Microsoft; entenda por quê

Demo gratuita do Windows 365 foi suspensa pela Microsoft; entenda por quê

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 04 de Agosto de 2021 às 11h56
Reprodução/Microsoft

Sucesso é a palavra que define o lançamento do novo serviço Windows 365, que oferece máquinas equipadas com o sistema operacional mais recente da companhia via nuvem. A procura foi tão grande que a Microsoft precisou interromper as avaliações gratuitas apenas um dia após o lançamento oficial.

A gigante de Redmond foi surpreendida com uma demanda elevada de empresas ansiosas por testar o serviço computacional via web. O anúncio foi feito pelo perfil oficial da companhia no Twitter.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quem quiser experimentar o serviço agora será direcionado para uma fila de espera na página oficial. Assim que os testes forem novamente liberados, os cadastrados receberão uma notificação para acessar o sistema.

Não foram divulgados dados sobre quantos usuários solicitaram o teste nem qual é a capacidade atual da empresa de atender à demanda. Também ainda não há uma previsão de quando a companhia poderá retomar com a oferta.

Windows na nuvem

O Windows 365 é voltado especificamente para empresas que precisam rodar o sistema da companhia sem instalá-lo em máquinas próprias. Não é nada inovador, já que concorrentes (a Amazon talvez seja a mais reconhecida) também contam com pacotes similares, mas é novidade para a empresa fundada por Bill Gates, cujo foco sempre esteve voltado para o software em si.

O Windows 365 leva o sistema corporativo da Microsoft para outras plataformas (Imagem: Reprodução/Microsoft)

A experiência do Windows 365 oferta uma variedade de computadores com diferentes núcleos de processamento virtual, memória RAM e opções de armazenamento. O serviço entrega um sistema baseado no Windows 10 (será atualizada para 11 assim que disponível) e acessível de qualquer plataforma via internet, seja Linux, macOS, tablets ou telefones Android.

São 12 opções de máquinas virtuais criadas para atender a todo tipo de necessidade, desde softwares simples de atendimento ao público até a programas voltados para desenvolvimento e edição. Alinhado a isso, os preços também tem alta volatilidade: a máquina básica, com uma vCPU, 2 GB de RAM e 64 GB de armazenamento, sai por R$ 137,10; enquanto a mais parruda, com oito vCPU, 32 GB de RAM e 512 GB de armazenamento, é comercializada por R$ 925,50 por mês.

Fonte: Microsoft

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.