Publicidade

Explorer Nº 1 | Como é o meganavio da BYD que trouxe 5.500 carros ao Brasil

Por| Editado por Jones Oliveira | 08 de Junho de 2024 às 07h00

Link copiado!

Divulgação/Bera.digital
Divulgação/Bera.digital

A BYD, uma das maiores fabricantes de carros da China, vem expandindo seus negócios para fora da Ásia e, pouco a pouco, fortalecendo seu nome em mercados da Europa e, também, das Américas, principalmente no Brasil. A mais recente aliada da montadora nesse processo de “conquistar o mundo” é o gigantesco navio Explorer Nº 1.

Preocupada em não conseguir encontrar navios desse porte para dar conta do alto número de pedidos dos países interessados na importação de seus carros, a BYD resolveu encomendar a imponente embarcação para a International Marine Containers Group e, em janeiro de 2024, anunciou a viagem inaugural do navio, que partiu de Longkou, cidade portuária da China, até Yantai.

O Explorer Nº 1 voltou a virar notícia recentemente por conta de sua primeira viagem ao Brasil. O gigantesco navio atracou no Porto de Suape, em Pernambuco, no finzinho de maio, com cerca de 5.500 carros da BYD a bordo, incluindo as primeiras unidades dos dois próximos lançamentos da marca por aqui, o sedan King, que promete ser o "anti-Corolla"; e o Song Pro, SUV de entrada.

Continua após a publicidade

A chegada do navio ao Brasil atiçou a curiosidade do público. Afinal, trata-se de uma embarcação enorme, com capacidade de viajar grandes distâncias e, o que é melhor, de forma sustentável. Se você também ficou curioso para conhecer mais a respeito do navio, confira esse material especial que o Canaltech preparou sobre o Explorer Nº 1.

Qual é o combustível do BYD Explorer Nº1?

O navio da BYD conta com um inovador sistema de propulsão que utiliza, além do combustível convencional, o GNL (gás natural liquefeito), que não é tão limpo quanto a energia dos carros elétricos da montadora, mas menos poluente que o diesel de outras embarcações.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia
“Nós acreditamos que é possível manter a sustentabilidade e a tecnologia em todas as nossas soluções de mobilidade verde e estamos comprometidos em contribuir para fortalecer a logística internacional ecológica e inteligente. E o Brasil é, sem dúvidas, uma de nossas maiores apostas”, afirmou Tyler Li, presidente da BYD do Brasil.

A utilização de um combustível ecologicamente correto é fundamental para a BYD, já que as exportações não param de crescer. Segundo a marca, em 2023 foram 242.765 veículos, número que permitiu um crescimento anual de 334,2%.

No que diz respeito às vendas anuais totais, a BYD é líder do setor, pois atingiu mais de 3,02 milhões de unidades. O número foi suficiente para fazer a montadora superar até a poderosa Tesla em vendas globais no último trimestre de 2023.

Continua após a publicidade

BYD Explorer Nº1: Tamanho e capacidade de carga

O BYD Explorer Nº 1 causou furor em sua chegada ao Porto de Suape, e não foi à toa. Afinal, o gigantesco navio da montadora chinesa consegue transportar até 7.000 carros em cada viagem graças ao comprimento gigantesco: 199,9 metros — o mesmo que 50 BYD Dolphin enfileirados.

Um fato intrigante, ou curioso a respeito da embarcação, é que a escolha do Porto de Suape para recepcionar os carros da BYD no Brasil não foi por acaso. Como o navio tem 38 metros de largura, ele simplesmente não cabe nos outros locais utilizados pela marca chinesa no Brasil — Vila Velha, no Espírito Santo; e Itapoá, em Santa Catarina.

Continua após a publicidade

As demais dimensões do BYD Explorer Nº 1 não são menos impressionantes. O navio da montadora chinesa é um cargueiro que possui 12 deques utilizados como enormes estacionamentos para os carros exportados da China.

A embarcação pode transportar até 7.000 toneladas por viagem (cerca de 1 tonelada por carro elétrico, em uma conta rápida) e conta com um calado de 9 metros — profundidade do navio abaixo do nível do mar.

Como os carros são colocados no navio?

O BYD Explorer Nº1 é um navio do tipo Ro-Ro, nome que, em inglês, faz menção às embarcações do tipo roll on, roll off. Em português, isso significa que a carga, — que nesse caso são os carros que serão exportados para outros países —, entra e sai do navio utilizando as próprias rodas.

Continua após a publicidade

O processo de colocação e retirada dos carros dentro do navio é feito pela tripulação. Na viagem inaugural para o Brasil, ela foi composta por 23 tripulantes de diversos países: ucranianos, russos, romenos, indianos e búlgaros. Nenhum chinês, curiosamente, esteve a bordo durante o longo trajeto.

Quantos dias durou a viagem ao Brasil?

A primeira viagem do Explorer Nº1 entre o porto de Lianyungang, no norte da China, e Suape, em Pernambuco, durou 27 dias e contou com uma única parada pelo caminho, em Singapura.

Continua após a publicidade

As especificações do navio da BYD, porém, deram conta do recado. O Explorer Nº1 tem capacidade para viajar por até 15.800 milhas náuticas, distância equivalente a 29.000 quilômetros. O percurso entre os dois portos foi de aproximadamente 16.074 km.

Quando o Explorer Nº 1 voltará ao Brasil?

Apesar do impacto causado pela viagem inicial ao Brasil, de acordo com a BYD, não há, ao menos por enquanto, uma data certa para o gigantesco navio retornar ao Brasil — embora a montadora tenha planos de trazer 100 mil carros para o país até julho.