Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

7 empresas que já fabricaram (ou fabricam) carros e aviões

Por| Editado por Jones Oliveira | 18 de Março de 2023 às 09h00

Link copiado!

Divulgação/Honda
Divulgação/Honda

Carros e aviões são meios de transporte completamente diferentes, mas ao longo do tempo tiveram muito em comum, pelo menos quando pensamos em suas fabricantes. Não é raro termos nessas indústrias empresas que desenvolveram não apenas automóveis, mas também aeronaves e motores que já equiparam ambos os veículos.

Com o avanço da tecnologia e das necessidades operacionais, hoje essa realidade é bem diferente e poucas montadoras decidiram manter suas divisões de aviação, desenvolvendo não apenas motores, mas sistemas de aviônica, jatos executivos, jatos comerciais e até modelos militares.

Veja abaixo uma lista com 7 montadoras que já fizeram (ou fazem) aviões e carros.

Continua após a publicidade

7. SAAB

Você já deve ter ouvido falar da aquisição dos caças Gripen, que integram a Força Aérea Brasileira. Eles são produzidos pela sueca SAAB, que até 2014 também fabricava automóveis. Mesmo com a extinção da divisão de carros, a empresa segue firme e forte com seus aviões militares.

6. Ford

Continua após a publicidade

No comecinho da sua vida, a Ford também produziu aviões. O único modelo de fabricação contínua foi o famoso Ford Trimotor, uma aeronave que, como o próprio nome diz, era equipada com três motores a pistão e podia levar até 10 passageiros.

Sua produção durou entre os anos de 1926 e 1933, com 199 unidades fabricadas.

5. General Motors

Continua após a publicidade

Quem é apaixonado por aviação sabe que a General Motors também se aventurou nesse mercado. Mas, assim como faz com seus carros, a empresa criou uma marca separada para as aeronaves, a Fisher Body, que desenvolveu um projeto de caça militar chamado Fisher P-75 Eagle, um pedido especial da Força Aérea dos Estados Unidos, que queria um avião rápido e que pudesse voar bem alto.

E a GM conseguiu fazer: o P-75 tinha velocidade máxima de 700km/h, teto operacional de 11 mil metros e autonomia de 3.300km. Entretanto, o projeto teve que ser paralisado devido a falhas de desenvolvimento. Apesar de muito rápida, a aeronave não era estável e colocava a vida dos pilotos em risco.

4. Mitsubishi

Continua após a publicidade

A Mitsubishi tem grande história na aviação, talvez tão grande quanto nos automóveis. Desde a Segunda Guerra Mundial, a montadora fabrica modelos militares extremamente avançados, como os conhecidos A6M Zero e F-1. Mais recentemente, a empresa começou a trabalhar em uma aeronave civil, o Mitsubishi SpaceJet, um jato regional com capacidade para 100 passageiros e que seria concorrente dos E-Jets, da Embraer.

O projeto, no entanto, foi paralisado após a pandemia da covid-19.

3. BMW

Continua após a publicidade

O primeiro trabalho da BMW em sua história não foi um carro esportivo que todos queriam comprar, mas sim um motor de avião, o BMW VI, que equipava os caças da Luftwaffe, a força aérea alemã nos tempos de Adolf Hitler. Entre os aviões equipados com esse propulsor V12 estão modelos como Dornier Do 10 e o Heinkel He 70.

2. Honda

A Honda é uma das poucas empresas que ainda segue nos ramos de carros e aviões simultaneamente. A montadora japonesa fabrica um dos jatos executivos mais vendidos da atualidade, o HA-420 HondaJet, mais conhecido como HondaJet ou Honda Business Jet.

Continua após a publicidade

Essa aeronave tem capacidade para seis passageiros, velocidade máxima de 790km/h e autonomia de 1.800km. O preço: US$ 5 milhões (R$ 25,9 milhões, na cotação atual). A empresa deve ampliar sua linha de aviões em breve, com o HondaJet 2600, que será maior e com mais autonomia.

1. Fiat

A divisão de aviões da Fiat foi uma das primeiras do mundo e deu origem a muitas aeronaves utilizadas pela Força Aérea Italiana e de outros países. Depois de inúmeras fusões e mudanças, a empresa segue na ativa, mas com o nome de Leonardo, que desenvolve aviões militares, helicópteros, tecnologias espaciais e softwares de cibersegurança.

Continua após a publicidade

A Fiat, inclusive, chegou a testar um motor de avião em um carro, o S76, que utilizou um propulsor de 28 litros que rendia 290cv e 276kgf/m de torque. A velocidade atingida pelo automóvel foi de 300 km/h.