Apple Music anuncia música HD sem custo extra e Amazon Music responde à altura

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 17 de Maio de 2021 às 12h48
Alveni Lisboa/Canaltech

A Apple Music anunciou oficialmente que trará opções sem perdas de qualidade nas músicas de todo o seu catálogo, a partir de junho. A Maçã afirma não haver custo extra para essa opção, que estará disponível para mais de 75 milhões de faixas na biblioteca do Apple Music.

Logo após o anúncio da criadora do iPhone, a Amazon deu troco na mesma moeda. A companhia anunciou que não cobrará valores adicionais para quem quiser ouvir as músicas em alta definição. O serviço estará liberado para todos os usuários regulares inscritos no Amazon Music Unlimited.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Assim, ambas as gigantes parecem ter estabelecido uma concorrência na luta pela reprodução de áudio em alta definição e sem perdas qualitativas. O foco é atrair cada vez mais usuários para formar uma base sólida, ainda que pagando valores reduzidos em relação aos demais concorrentes.

Novidades do Apple Music

O áudio sem perdas de qualidade usa o formato ALAC, exclusivo do app. Para configurar o modo HD é preciso acessar as configurações e escolher a opção qualidade de áudio no menu Música. Vale lembrar que o novo formato consome muito mais dados do que o modelo tradicional, por isso ele é recomendado para quem usa Wi-Fi ou possui um pacote bastante abrangente.

Além de ouvir músicas sem perdas, o usuário poderá testar o Dolby Atmos sem custo extra (Imagem: Reprodução/Apple)

A Maçã também deve introduzir o suporte ao chamado áudio espacial, com a opção de uso da tecnologia Dolby Atmos. Os usuários poderão ouvir milhares de álbuns selecionados com áudio 3D imersivo em AirPods, AirPods Pro, AirPods Max e fones de ouvido Beats com um chip H1 ou W1.

Está em andamento uma parceria da companhia com artistas reconhecidos, como Ariana Grande, Maroon 5 e Kacey Musgraves, para encorpar a listagem inicial de lançamento do Dolby Atmos no serviço musical — todas as faixas compatíveis terão um logo indicativo ao lado. A expectativa é que essa movimentação atraia outros cantores e bandas, o que garantiria a inclusão constante de novas faixas e listas de reprodução especiais.

Por enquanto, o Spatial Audio exige do proprietário o uso dos AirPodcs Pro ou Max, mas isso deve mudar. Será necessário aguardar o lançamento para ver se a perda de qualidade para dispositivos inferiores será significativa ou se o efeito 3D espacial vai se adaptar a todos os tipos de fones.

A Apple Music lançará os novos recursos de áudio em junho, provavelmente junto com o lançamento do iOS 14.6. Ainda não há uma data oficial e nem detalhes se ambos vão desembarcar no Brasil de imediato.

Resposta do Amazon Music Unlimited

Para não ficar para trás na concorrência, a Amazon anunciou que deixará de cobrar uma taxa adicional para uso das faixas em “HD” da Amazon Music. A partir de agora, o áudio sem perdas estará disponível para todos os assinantes do Amazon Music Unlimited, o que tornará a empresa a primeira do segmento a oferecer este recurso por uma assinatura padrão (R$ 16,90 por mês).

O Amazon Music HD não terá mais custo extra (Imagem: Reprodução/Amazon)

Essa opção de áudio aprimorado também será estendida aos planos familiares e demais, com exceção do focado em estudantes (que não existe no Brasil). Antes da entrada da Amazon no cenário, o menor valor praticado pela assinatura de músicas sem perda de qualidade era o praticado pelo Deezer Hifi: R$ 26,90 por mês. O Tidal também oferece serviço semelhante, mas por R$ 33,80 ao mês. .

O Amazon Music HD foi lançado em 2019, mas ainda não estava disponível no Brasil — com esse anúncio, os brasileiros podem começar a ter acesso a esse serviço finalmente. De acordo com a empresa, são mais de 70 milhões de músicas em alta definição, em qualidade que preserva os detalhes do arquivo original como em um CD. Já o catálogo na qualidade UltraHD tem cerca de 7 milhões de músicas, mas a companhia continua investindo para ampliar esse total.

A briga entre Amazon e Apple, duas gigantes da tecnologia, pode beneficiar o consumidor com serviços melhores por preços reduzidos. Resta saber se o Deezer, Tidal e Spotify também vão entrar na disputa pelas músicas em alta definição.

Você usa algum serviço de streaming de áudio sem perdas de qualidade? Qual é o seu favorito? Compartilhe a sua experiência nos comentários abaixo.

Fonte: 9to5MAC, Billboard

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.