Review TCL 20 SE | Caro para um celular de entrada

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 19 de Julho de 2021 às 17h00
Ivo/Canaltech

O TCL 20 SE é o celular de entrada da marca lançado para 2021. Apostando em telas grandes, tecnologia NXTVISION de aprimoramento de imagem e bateria com ótima capacidade, é um aparelho que, provavelmente, não te deixará decepcionado.

A única (grande) desvantagem desse celular é o preço. Lançado em 2021 por R$ 1.999, acaba disputando espaço com outros modelos melhores e mais robustos que ele.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Utilizei o 20 SE por 2 dias direto e venho trazer a minha experiência de uso para você. Confira na nossa análise.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Prós

  • Excelente autonomia da bateria;
  • Boa capacidade de armazenamento;
  • Carregador incluso na caixa.

Contras

  • Preço alto;
  • Resolução HD+;
  • Apenas Wi-Fi 2.4 GHz;
  • Apenas 4 GB de RAM.

Confira o preço atual do TCL 20 SE

Design e Construção

O TCL 20 SE tem design com bordas arredondadas e um notch em formato de gota em uma tela de 6,82 polegadas. Apesar de seu tamanho, o celular é fino, dando a sensação que o display não é tão grande quanto parece.

Por ser um celular de entrada, a construção e materiais são mais simples, o que não invalida o aparelho em nenhum momento. A traseira e a lateral são de plástico – algo totalmente esperado –, já que o acabamento premium não é o foco desse tipo de produto.

  • Dimensões: 172,1 x 77,1 x 9,1 mm
  • Peso: 206 gramas

Na parte das conexões físicas existem duas entradas disponíveis: USB-C para dados e carregamento; e P2 para fones de ouvido. Inclusive, a TCL disponibiliza o carregador e o fone na própria caixa do celular. Um diferencial nos dias de hoje, quando a maior parte das fabricantes opta por tirar os acessórios ao invés de adicionar.

Existem também os botões para aumentar/diminuir o volume, o leitor de digitais localizado na traseira do celular, além da gaveta designada para até dois chips das operadoras. Vale lembrar que essa gaveta é híbrida, existindo a possibilidade de também utilizá-la para expandir a memória interna do aparelho se você estiver disposto a abrir mão do segundo chip SIM.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Sobre as câmeras, temos cinco sensores – quatro deles na parte traseira, e um na parte frontal. O notch em formato de gota me agrada bastante, já que não atrapalha na usabilidade do celular, tampouco ocupa muito espaço na tela.

Por fim, o TCL 20 SE conta com as versões de 64 ou 128 GB de armazenamento com 4 GB de memória RAM. Apesar de ter boa capacidade, a memória RAM é um ponto que me incomoda em partes. Ainda que 4 GB sejam “ok” para um aparelho de entrada, acaba forçando o usuário a realizar a troca do celular com maior frequência.

Tela

A tela do TCL 20 SE é uma IPS LCD de 6,82’’, aceitável para um celular de entrada. Por não ser um aparelho voltado a jogos, seus 60 Hz de frequência sustentam boa fluidez para a utilização no dia a dia. Possui brilho máximo de 450 nits, e 263 PPI (pixels por polegada).

O NXTVISION é uma tecnologia bem interessante desse modelo. Ao ativá-la, as imagens ganham maior contraste, cor e claridade. Os vídeos também se beneficiam desse recurso, sendo possível aprimorar a imagem SDR para HDR, trazendo mais qualidade, independente da fonte.

A resolução é HD+, o que eu considero ponto negativo. Em alguns momentos, enquanto estava utilizando o aparelho, percebi que a imagem ficava esticada e não muito bonita devido a essa resolução baixa em uma tela tão grande. Apesar da tecnologia NXTVISION ajudar bastante na qualidade da imagem, uma tela full HD (1080p) com certeza se sairia melhor nesse quesito.

Outra questão não muito bacana é a tela não possuir nenhuma certificação para o vidro. A fabricante não cita nas especificações que a tela tem algum tipo de Gorilla Glass ou outra proteção contra impacto, o que pode nos deixar inseguros caso ocorra algum acidente.

Configuração e Desempenho

Ao ligar o celular, percebi que é utilizada uma interface proprietária da TCL, sendo possível notar algumas diferenças na forma em que os aplicativos são mostrados no aparelho.

Os apps são disponibilizados através de “bandejas”, dependendo da classificação escolhida. Essa classificação determina de qual maneira desejamos que esses programas sejam exibidos – nome, rótulo, uso, instalação, categoria ou cor do ícone.

O chipset escolhido foi o Snapdragon 460, confirmando o modelo como um celular de entrada. Não espere gráficos muito bonitos ou altas taxas de frames por segundo em seus games, já que esse aparelho não suporta jogos de última geração em alta qualidade.

No Call of Duty: Mobile, por exemplo, consegui jogar com os gráficos no baixo/médio, o que, para mim, não atrapalhou em nada na minha experiência. Apesar de a tela ter somente 60 Hz, não tive quaisquer problemas em relação à fluidez do jogo.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

A utilização no dia a dia e a navegação entre os apps também é bem tranquila. Não tive problemas de travamentos, engasgos, ou qualquer outra experiência que poderia considerar negativa nesse aspecto.

Quanto à conectividade, este celular conta com conexão Wi-Fi 2.4 GHz, Bluetooth 5.0 e suporte ao 4G.

Para mim, o único item que não agrada é o preço. Lançado a R$ 1.999, acaba deixando de ser uma opção frente aos diversos modelos com configuração superior disponíveis no mercado. Trata-se de um aparelho de entrada com preço de intermediário premium.

Câmera

O TCL 20 SE conta com quatro câmeras na parte traseira, e uma na face frontal. O sensor principal tem 48 MP e abertura f/2.0; outro fica em 2 MP e abertura f/2.4 (profundidade); o terceiro vem com 2 MP e abertura f/2.4 (macro); o penúltimo em 5 MP e abertura f/2.2 (grande-angular); e o último tem 13 MP e abertura f/2.2 (frontal).

Apesar de ser um aparelho de entrada, foi possível capturar boas imagens durante o dia, enquanto a luz natural ainda estava presente. Durante a noite, as imagens já ficaram piores, mas nada que fosse extremamente prejudicial. A seguir, confira os resultados individuais de cada uma delas.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Câmera Principal

A câmera principal entrega imagens em qualidade mediana, mesmo o ambiente tendo boa iluminação natural. As fotos foram tiradas no modo automático da câmera, para que eu pudesse avaliar a maneira em que elas iriam sair.

Como disse, as imagens não são péssimas, mas também não são excelentes. Se você é o tipo de usuário que não se preocupa tanto com essa parte, a câmera em si não será um grande problema.

O zoom também não ajuda ao ser utilizado, já que a imagem fica com aparência de “manchada”. Esse efeito ocorre devido ao fato de o zoom ser digital e não óptico.

Câmera grande-angular

O sensor com lente grande-angular foi o que mais me decepcionou entre todos. Tentei tirar várias fotos em posições, iluminações e dias diferentes, mas, em todas elas, a foto saía borrada e com baixa qualidade.

Câmera Macro

O TCL 20 SE também peca nesse quesito, já que o sensor de 2 MP não consegue tirar boas fotos em proximidade. Precisei fazer diversas capturas, para que eu conseguisse algumas em qualidade mediana.

Mesmo sendo mais cautelosa e tomando um maior cuidado ao fazer os registros, elas também saíram borradas e com qualidade inferior.

Câmera Frontal

A única câmera que entregou boa qualidade de imagem foi a frontal. Mesmo com a iluminação não tão favorável, consegui cliques com bom detalhamento.

Se você é o tipo de usuário que gosta de fotos para as suas redes sociais, com certeza não ficará desapontado com o resultado.

Sistema de Som

O sistema de som do TCL 20 SE é bom, mas não impressiona. Possuindo duas saídas de áudio (superior e inferior), entrega boa qualidade no geral. Os sons de alta frequência são reproduzidos pelo alto-falante superior; já o inferior, fica responsável pelos graves do aparelho. Para quem não costuma ser exigente com essa questão, com certeza não vai se incomodar com a qualidade entregue.

O celular tem saída própria para fones de ouvido com fio (P2) na parte superior do celular, dispondo, também, desse acessório dentro da caixa do produto. O fone é bastante simples, reproduzindo os sons em qualidade mediana. Caso você queira algo superior, será necessário realizar a compra de um outro modelo à parte.

Bateria e Carregamento

Os 5.000 mAh do TCL 20 SE seguram o uso do aparelho por um longo período, sem grandes problemas. Para a verificação da autonomia da bateria, realizei dois testes em específico. O primeiro, focado na reprodução de vídeos por aplicativo de streaming – mais especificamente, Netflix.

O segundo, através da utilização pessoal: mídias sociais, WhatsApp, e câmera para algumas fotos e vídeos. Lembrando que, em ambos os cenários, deixei o celular com o brilho e o volume em 50 %, e conexão Wi-Fi ligada a todo momento.

No primeiro teste, fiquei durante três horas direto com o aplicativo da Netflix rodando vídeos. Ao final do período, constatei uma autonomia total aproximada de 11 horas, um número bom.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Realizando o teste de utilização pessoal, comecei meu dia às 08h, parando de utilizar o aparelho à 00h. Nesse cenário, comecei com o celular carregado em 100%, encerrando em 62% de bateria ao final do dia. Vale mencionar que não sou uma usuária “hardcore” de aparelhos celulares. Durante os dois dias que pude testá-lo, registrei o total de 6h41m de tela ligada.

O TCL 20 SE pode até ser um celular de entrada com uma configuração bacana, mas o preço desanima em todos os aspectos.

Concorrentes Diretos

Existem diversos concorrentes que batem de frente com o TCL SE 20. Os modelos Redmi Note 9 e Motorola G60 são alguns desses concorrentes diretos.

Começando pelo Note 9, ele possui características bem semelhantes ao TCL 20 SE. As telas são parecidas em tamanho, sendo o TCL pouco maior que o Note 9 nesse quesito. A capacidade da bateria também está na casa dos 5.000 mAh em ambos os modelos.

O Motorola G60 foi construído com chipset Snapdragon 732G, bem superior ao 460 disponibilizado no TCL 20 SE. Ele também possui 8 GB de memória RAM, diferente do 20 SE com seus 4 GB.

Valendo salientar que a principal diferença entre os modelos são os chipsets utilizados pelas fabricantes. Enquanto o TCL é um aparelho de entrada, o Redmi Note 9 e Motorola G60 são considerados modelos intermediários devido aos processadores.

Conclusão

O TCL 20 SE, apesar de ser um aparelho mais simples, entrega boa qualidade ao que se propõe. Embora utilize resolução HD+, a tecnologia NXTVISION deixa as imagens e vídeos visualmente agradáveis.

A performance no dia a dia também é bastante satisfatória. Se, assim como eu, você utiliza seu celular para tarefas mais corriqueiras, não demandando grande processamento entre essas atividades, com certeza não terá nenhuma dificuldade.

Porém, o TCL tem um grave problema em relação ao preço, que é o calcanhar de Aquiles desse celular. Com valor aproximado em R$ 2 mil, ele passa a não ser uma opção viável, haja vista que, com esse valor, conseguimos adquirir modelos muito superiores a ele, tais como o Redmi Note 9, ou o Motorola G60. Ambos entregam melhor desempenho por utilizarem um hardware superior na construção - câmera, chipset e memória -, o que garante maior longevidade dos aparelhos.

De qualquer forma, caso tenha se interessado no TCL 20 SE, confira o melhor preço abaixo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.