Onde arrumar o iPhone 7 e quanto vale um usado?

Onde arrumar o iPhone 7 e quanto vale um usado?

Por Eduardo Moncken | Editado por Wallace Moté | 01 de Outubro de 2021 às 10h49
AB/Unsplash

A Apple já lançou o iPhone 13, mas como todo celular da empresa se trata de top de linha, não são todos que podem comprar o modelo mais recente dado o preço cobrado, especialmente no Brasil onde temos ano após ano o iPhone mais caro do mundo. A boa notícia é que as políticas de atualização da empresa são bem inclusivas, e mesmo o iPhone 6s, lançado em 2015, ainda recebe novas versões do iOS.

Claro, quanto mais antigo o modelo, menor o potencial de lidar bem com apps pesados, fora desempenho de bateria e câmera. Mas certamente a polidez com a qual a empresa constrói seus smartphones permite olhar para algumas gerações atrás e ainda ver certos aparelhos com bons olhos. Por isso, se você está interessado em comprar ou vender um iPhone 7, ambas ideias podem ser bom negócio.

(Imagem: Ellen Monike/Canaltech)

Lançado em 2016, o iPhone 7 é hoje um dos celulares mais baratos da Apple. Isso porque, apesar de descontinuado, seu apelo ainda é forte principalmente no mercado de usados. Ele é compatível com o iOS 15, lançado neste ano, e conta com o processador Apple A10 Fusion. Com o design clássico da empresa e tendo sido o primeiro celular da Apple a contar com certificação de proteção contra água e poeira, ele tem uma tela de 4,7 polegadas de resolução HD, e uma única câmera traseira de 12 megapixels. A frontal conta com 7 MP.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Isso faz com que o apelo dele se mantenha alto. Muitos se interessam na proposta de adquirir um smartphone iOS a preço popular, e quem tem um usado ou seminovo pode vendê-lo para um mercado que ainda vê com bons olhos um celular de cinco anos atrás.

Potenciais compradores e vendedores, porém, devem observar que ele nasceu em uma época em que não apenas ainda não se discutia carregamento rápido como hoje, assim como ele conta com uma bateria de apenas 1.970 mAh. Então, sim, ainda falamos de um iPhone da época em que a Maçã era criticada pela baixa autonomia dos seus dispositivos. Isso deve ser observado para que não haja frustrações durante uma negociação.

Quanto vale um iPhone 7 usado?

São cinco anos de vida completados em 2021, por isso, não espere encontrar o iPhone 7 em uma loja oficial da Apple, ou mesmo nas lojas físicas do varejo brasileiro. O caminho mais fácil é procurar um usado, por isso quem tem um iPhone 7 tem um bom produto de venda em mãos.

Para quem procura comprar, porém, não necessariamente precisará negociar diretamente com o dono de um desses aparelhos. Afinal, muitos e-commerce, através de marketplace, já comercializam celulares usados e seminovos.

Quem for vender, deve observar que o modelo de 32 GB não é o mais atrativo em tempos nos quais mesmo um Android básico sai de fábrica com 64 ou 128 GB. O consumidor pode estar mais interessado nas versões de 128 GB ou 256 GB. Vale lembrar que o iOS 15 pode ocupar entre 10 e 13 GB do espaço interno, reduzindo o disponível ao consumidor à metade no modelo de 32 GB.

Dito isso, abaixo você pode encontrar os preços médios para o iPhone 7 no mercado de usados e seminovos, de acordo com a capacidade de armazenamento oferecida. Para quem for comprar, são um norteador para saber quando alguém está cobrando acima do mercado em geral. Para o vendedor, números para ter como base na hora de precificar o produto.

  • iPhone 7 32 GB — R$ 1.219
  • iPhone 7 128 GB — R$ 1.419
  • iPhone 7 256 GB — R$ 1.689

Perceba que no mercado de usados e seminovos, o preço de um iPhone 7 é o que hoje, no mercado Android, se acha celulares de entrada e intermediários simples. Claro, há de se considerar que esses celulares trarão sim algumas vantagens em relação ao modelo com iOS, como tela, carregamento, e câmeras melhores. Mas quem procura entrar no ecossistema Apple, o smartphone acaba sendo uma oportunidade de fazê-lo pagando pouco, e com a expectativa de receber ao menos mais uma versão de sistema inédita em 2022.

Note que se o valor de um iPhone 7 ultrapassar a barreira dos R$ 2 mil, o mais interessante seria olhar para outros modelos como o iPhone 8. O principal atrativo do iPhone 7 hoje é o mesmo que o iPhone 6s já ofereceu nos anos anteriores: a experiência iOS a preço baixo. Uma estratégia de sucesso para venda passa por precificação razoável, já que a partir de determinado patamar o possível comprador poderá olhar para modelos mais modernos.

Onde arrumar o iPhone 7?

(Imagem: Sara Kurfeß/Unsplash)

Com meia década de vida, o iPhone 7 ainda pode ser reparado oficialmente pela Apple, mas é bom preparar o bolso. Reparos simples, como uma troca de bateria, custam R$ 399. E é bom ter em mente que, comprando um usado, muito provavelmente será uma boa ideia colocar uma nova no celular.

Caso a tela sofra algum dano e você avalie necessário trocá-la, o valor oficial é de R$ 1.119. Os consertos oficiais definitivamente deixam de valer a pena quando falamos de problemas que não envolvam o display ou a autonomia, já que a Maçã pode cobrar R$ 2.479 pela troca de alguns componentes. Com esse valor, pelo que já vimos, se compra um novo iPhone 7 seminovo ou usado com a maior capacidade de armazenamento disponível, e ainda sobra um troco para uma bateria nova e acessórios.

Os reparos oficiais podem ser solicitados nas Apple Store de São Paulo e Rio de Janeiro, além dos Centros de Serviço Autorizados Apple. Informações completas de suporte e endereços estão disponíveis no site da empresa.

Vale lembrar que no ano passado a Apple lançou o iPhone SE (2020). Também com design clássico, ele traz processador bem mais moderno e uma câmera competitiva para os dias atuais. Os interessados, porém, precisam gastar no mínimo o dobro do que pagariam em um iPhone 7.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.