Fornecedora de chips indica que iPhone 14 não será tão poderoso como se imagina

Fornecedora de chips indica que iPhone 14 não será tão poderoso como se imagina

Por Vinícius Moschen | Editado por Wallace Moté | 25 de Agosto de 2021 às 15h54

Antes mesmo do lançamento do novo iPhone 13, rumores já indicavam que o iPhone 14 poderia trazer uma grande melhoria no desempenho e otimização de bateria, pois o novo chip A16 Bionic seria de apenas 3 nanômetros. Contudo, a TSMC, principal fornecedora de chips para os aparelhos da Apple, confirmou que a produção de tais componentes — referenciados como N3 — será atrasada, e chegará a tempo de ser usada nos celulares de 2022 da Maçã.

TSMC confirmou atraso na tecnologia de 3 nanômetros, que deve ficar só para o iPhone 15 (Imagem: i-Micronews)

Em vez disso, o novo A16 Bionic deve ser produzido em processo de 4 nanômetros, o que não é tão avançado mas já corresponde a uma melhora se comparado ao que foi feito no A14 e A15 Bionic. De forma simplificada, quanto menor for a litografia do chip (ou, em outras palavras, a quantidade de nanômetros), maior é o número de transistores suportados em uma mesma área física, e, consequentemente, menor o espaço entre eles, sendo então possível aprimorar tanto a performance quanto a eficiência energética.

De acordo com a fornecedora, a "tecnologia de 3 nanômetros é muito complicada, tanto no quesito de tecnologia de processamento quanto no design do produto final". Por isso, a TSMC decidiu atrasar o lançamento dos novos componentes em chips da Apple para evitar falhas de operação.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Para efeito de comparação, o A13 Bionic do iPhone 11 era de 7 nanômetros, com cerca de 8,5 bilhões de transistores, enquanto o A14 Bionic do iPhone 12 é de 5 nanômeros com 11,8 bilhões de transistores. A arquitetura do A15 Bionic dos iPhone 13 de 2021 deve ser similar em relação aos chips do ano passado, e também é esperado que o M2 para computadores seja feito no mesmo processo de 4 nanômetros.

Com a informação divulgada, é esperado que a Samsung ultrapasse a TSMC e produza novos chips tanto para sua linha Exynos quanto para a Qualcomm com a litografia de 3 nanômetros, já que a tecnologia é esperada para o final de 2022 com o sucessor do Snapdragon 898. A Mediatek é outra marca que também poderá se aproveitar da arquitetura antes da gigante da Maçã, considerando que não precisa esperar até o segundo semestre de 2023 para anunciar seu novo chip.

Fonte: PhoneArena

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.