De olho na Anatel | Multilaser e Philco têm novos modelos homologados

Por Felipe Junqueira | 15 de Janeiro de 2020 às 14h39
Felipe Junqueira/Canaltech
Tudo sobre

Anatel

Saiba tudo sobre Anatel

Ver mais

Toda semana a Anatel libera uma série de documentações referentes a dispositivos analisados pelo órgão e certificados para comercialização dentro do território nacional. Isso é parte do processo que chamamos de homologação, que vira e mexe é noticiado para chamar atenção a um modelo aguardado pelo grande público para chegar às prateleiras.

O Canaltech vai passar a listar com frequência os modelos mais recentes descobertos no sistema, sempre tentando trazer o máximo de informações adicionais de cada aparelho. Esta semana temos, além do já noticiado Galaxy A51, três modelos da Multilaser, um da Red Mobile e um da Philco. E vários modelos que devem ter documentação oficial publicada em breve.

Multilaser: linha E e mais um misterioso

Bateria de 4.050 mAh do misterioso dispositivo da Multilaser (Foto: Reprodução/Anatel)

Os dispositivos certificados da Mutlilaser são o E (S101) e E Lite (S099), já anunciados na Eletrolar do ano passado e à venda atualmente no site da empresa e varejo online. Mais recentemente, também apareceu um S116, com acesso à rede 4G e bateria de 4.050 mAh já certificada. Não encontramos mais informações sobre este modelo, ainda.

O Multilaser E Lite tem tela de 4 polegadas com resolução WVGA, 512 MB de memória RAM, 16 GB de armazenamento, bateria de 1.150 mAh, câmeras de 5 MP na frente e atrás e roda Android 8.1 Go Edition. Não há informação sobre a plataforma, mas é um modelo de baixo custo para uso simples. Não possui conectividade 4G. Preço sugerido: R$ 329.

Já o E é pouca coisa melhor: a tela aumenta para 5 polegadas FWVGA e a bateria vai para 2.200 mAh. O restante é a mesma coisa do modelo menor. Preço sugerido é de R$ 419.

Red Mobile: Quick 5.0

Quick 5.0 é mais um smartphone básico no mercado (Foto: Reprodução/Anatel)

Outra fabricante brasileira, a Red Mobile também mostrou alguns dispositivos na Eletrolar Show do ano passado, sendo um deles o Quick 5.0, que finalmente recebeu certificação da Anatel. Esse modelo vem acompanhado de vários arquivos no sistema da agência, que nos permite descobrir mais sobre ele sem precisar fazer tanta pesquisa.

O manual é um desses documentos. E lá temos especificações bastante completas, e parecidas com o Multilaser E: tela de 5 polegadas FWVGA com proporção 16:9, plataforma MediaTek MT6580 de quatro núcleos a 1,3 GHz, 8 GB de armazenamento, 1 GB de memória RAM, suporte a redes 2G e 3G, câmera principal de 8 MP e frontal de 5 MP e bateria de 2.000mAh. E roda Android 8.1 Go Edition.

Philco PCS01

PSC01, smartphone intermediário da Philco (Foto: Reprodução/Anatel)

O modelo mais avançado entre os listados recentemente na Anatel — tirando, claro, o Galaxy A51 —, o Philco PCS01 tem plataforma com processador de oito núcleos, 4 Gb de memória RAM e 64 GB de armazenamento interno. É um dispositivo que já podemos classificar entre os intermediários.

A tela IPS tem 5,45 polegadas e usa resolução HD, com bateria de 4.000 mAh para alimentar o aparelho. E as câmeras traseiras têm 13 MP e 2 MP e a frontal tem 5 MP. O dispositivo roda Android 9 Pie.

O que mais vem por aí?

Também pudemos verificar alguns modelos com a certificação em andamento. São modelos que ainda não possuem uma documentação publicada, mas já aparecem no sistema da Anatel. Alguns deles já receberam homologação da bateria, enquanto outros só mostram o número do modelo.

Da Motorola temos o XT 2041, XT2053-2 e o XT2055-2, este segundo possivelmente o Moto E6, de acordo com algumas pesquisas em lojas gringas. Não encontramos nada sobre os dois primeiros.

Também surgiram alguns modelos da LG, de códigos LM-Q630BAW e LM-Q630BMW. Não encontramos nenhuma informação complementar sobre esses modelos, mas são números parecidos com os do Q7 Plus, que é Q610.

E há vários modelos da Samsung no sistema. Os três da linha Galaxy S a ser oficializada no dia 11 de fevereiro já aparecem por lá, seja com bateria certificada, seja apenas pelo número do modelo com homologação em andamento. São eles: SM-G980, SM-G985 e SM-G988. Mas não para por aí. Também tem possivelmente os Galaxy M31, A01 e o novo Fold, que deve se chamar Galaxy Z Fold.

Que lista é essa?

Nenhum produto de comunicação pode ser vendido dentro do território brasileiro sem uma certificação da Anatel. Por isso há tantas notícias sobre homologação presente no sistema do órgão: se o produto recebeu a documentação, é porque existe uma chance grande de começar a ser vendido por aqui. Porém, cuidado: estar homologado não significa que vai chegar às lojas, mas sim que a fabricante pode começar a vendê-lo. A empresa pode mudar de ideia e não colocá-lo no mercado.

Você deve se lembrar que a Anatel tem um sistema que bloqueia o uso dos chamados celulares piratas em território nacional. Não significa que um dispositivo sem selo da agência corre o risco de funcionar, basta que qualquer órgão regulador do mundo tenha analisado e certificado o modelo previamente. Se não foi autorizado em nenhum país, aí é considerado aparelho pirata.

No caso brasileiro, a lista de produtos certificados pode ser vista no Sistema de Certificação e Homologação, disponível no próprio site da agência. São informações públicas que, no entanto, não são tão simples assim de encontrar e compreender. A ideia deste artigo é mostrar o que surgiu de mais recente por lá e trazer mais informações, obtidas por meio de pesquisa.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.