Eleições 2020: dicas e cuidados ao votar durante a pandemia da COVID-19

Por Fidel Forato | 19 de Outubro de 2020 às 11h11
Fabio Pozzebom/Agência Brasil

Para proteger e minimizar riscos de contágio do novo coronavírus (SARS-CoV-2) durante as eleições municipais de 2020, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) desenvolveu um plano específico de segurança sanitária para a hora do voto. Na série de dicas e orientações contra a COVID-19, estão previstos desde a obrigatoriedade do uso de máscaras até um horário especial para os idosos votarem.

As medidas contra a COVID-19 são bastante importantes já que, no total, mais de 147 milhões de pessoas poderão comparecer nas urnas para definir os representantes políticos dos próximos quatro anos. Vale também ressaltar que esse protocolo será adotado tanto para o primeiro turno (dia 15 de novembro) quanto para o segundo (29 de novembro), nas cidades que terão essa possibilidade.

Tudo sobre as Eleições 2020

A seguir, confira uma série de dicas para se proteger contra a COVID-19 na hora das eleições:

Eleições 2020: conheça o local em que você vai votar

"Há muitas etapas que podem ser seguidas para ajudar a reduzir significativamente os riscos nesta pandemia. O eleitor pode, por exemplo, começar confirmando antes do dia 15, seu local de votação e se planejar para votar em horário menos movimentado. Quanto mais preparado o eleitor estiver, menos tempo ficará no local de votação", comenta o médico do Grupo Sabin, Alex Galoro. Vele lembrar que quanto o menor tempo de exposição, menores serão os riscos em relação ao coronavírus.

Para agilizar o processo de votação e ficar o menor tempo possível no local, também vale confirmar a zona e as seções eleitorais. Isso porque eles podem ter sofrido alguma alteração em relação ao pleito de 2018 e, assim, é possível evitar surpresas. Inclusive, a consulta ao local de votação pode ser feita por meio do nome do eleitor ou do número do título eleitoral, clicando aqui.

Eleições 2020: horário especial para idosos nas eleições

Um diferencial deste ano é que os eleitores terão horário prolongado para votar, com uma hora a mais do que os outros pleitos, sendo que as urnas estarão disponíveis para a votação das 7h às 17h. No entanto, o horário entre às 7h e às 10h será preferencial para eleitores com mais de 60 anos. Nesse período, recomenda-se que os mais jovens não se dirijam às zonas eleitorais.

Para se protegerem da COVID-19, idosos terão horário especial nas eleições (Imagem: Reprodução/ Lucrezia Carnelos/ Unsplash)

Esse horário preferencial para os idosos é fundamental, já que esse público é parte do grupo de risco do novo coronavírus. Mesmo com essa condição, eles têm direito, caso queiram, de exercer sua cidadania, preferencialmente, nessas três horas. Em números, são estimadas 30 milhões de pessoas aptas a votar com mais 60 anos no país, o que os faz ser 20% do eleitorado, o maior percentual já registrado desde 1992, de acordo com informações do G1.

Eleições 2020: trasporte público e crianças

Uma das dicas é evitar aglomeração no caminho até o seu local de votação. Se for de carro, por exemplo, evite ir com outras pessoas que não estão com você no dia a dia. Agora, se for caminhando ou de transporte público, vale a pena manter a distância miníma de pelo menos 2 metros dos outros eleitores. Idealmente, uma boa maneira de evitar o contágio da COVID-19 é comparecer ao local de votação sozinho, evitando levar crianças ou qualquer outro acompanhante.

"Levar crianças com você pode aumentar consideravelmente o risco de exposição à COVID-19. Se você é quem cuida das pessoas da casa, peça a alguém para ficar de olho nos familiares enquanto vai à seção eleitoral. Se proteger e ajudar a prevenir a circulação do vírus também é um exercício de cidadania", afirma o médico Galoro, já que nessas circunstâncias mais pessoas poderiam se expor ao um risco desnecessário.

Eleições 2020: documentos necessários para votar

Devido à pandemia da COVID-19, a identificação biométrica foi desabilitada para minimizar aglomeração e filas. Isso também garante o menor contato possível do eleitor com objetos e superfícies que, eventualmente, podem trazer riscos em relação ao coronavírus. Dessa forma, o eleitor precisará apresentar um documento oficial com foto.

Na hora de votar, é importante levar um documento com foto (Imagem: Reprodução/ Marcello Casal Jr./ Agência Brasil)

Entre os documentos aceitos na hora de votar, estão: carteira de identidade (RG); a carteira de motorista; o passaporte; e o e-título (um app que funciona como uma via digital do título eleitoral, mas somente para quem registrou a biometria). Vale lembrar que certidão de nascimento e de casamento não são válidos para a votação. Além disso, o título de eleitor é opcional.

Não é necessariamente um documento, mas vale a pena levar uma cola pronta dos candidatos — um prefeito e um vereador — em quem você irá votar para facilitar o processo e evitar um possível branco. Para isso, o TSE disponibiliza uma colinha que pode ser acessada aqui.

Eleições 2020: uso obrigatório de máscaras na hora de votar

Contra a COVID-19, o uso de máscara facial pode ser considerado como a principal medida de segurança indicada no Plano de Segurança Sanitária para as Eleições 2020, desenvolvido pelo TSE com as autoridades sanitárias. Inclusive, o uso desse equipamento de proteção será obrigatório durante a presença nos locais de eleição.

Para se proteger contra a COVID-19 na hora das eleições, é fundamental o uso de máscara facial (Imagem: Reprodução/Laura Dewilde/Unsplash)

"Considerando que o uso de máscara cobrindo o nariz e a boca já é exigido dos brasileiros para circulação em locais fechados em quase todo o país, o TSE entende que a grande maioria dos eleitores já possui máscara facial e irá usá-la para votar desde o momento que sair de casa. Ainda assim, considerando casos excepcionais de eleitores que tenham esquecido ou não tenham condições materiais de adquirir o material de proteção, o Tribunal disponibilizará cerca de 3,5 milhões de máscaras excedentes para uso por eleitores", esclarece o TSE, em nota.

Nesse sentido, o eleitor deve se proteger desde o momento que sair de casa para votar com o uso da máscara. Ao entrar na seção, o eleitor vai mostrar o documento oficial com foto, esticando os braços em direção ao mesário, que verificará os dados de identificação a distância. Todas essas medidas protocolares são importantes para evitar uma possível contaminação do coronavírus e garantir que os brasileiros possam exercer a democracia, de forma segura.

Entretanto, em caso de dúvida na hora da identificação, o mesário poderá pedir para que o eleitor se afaste dois passos para trás e abaixe a máscara. Nesse momento excepcional, é importante se evitar qualquer comunicação.

Eleições 2020: higienize as mãos e leve uma caneta

Manter as mãos higienizadas, seja com água e sabão ou com álcool em gel 70%, é uma forma eficiente de se combater infecções do coronavírus. Isso porque usar o álcool em gel, por exemplo, remove o vírus da superfície da mão e evita que, ao se coçar, esse agente infeccioso entre em mucosas, como boca, olhos e nariz, causando uma infecção. Por isso, higienize as mãos antes e depois de votar.

Na hora de votar, leve o próprio álcool em gele e mantenha as mãos higienizadas (Imagem: Reprodução/ Luisella Planeta Leoni/ Pixabay)

Nos locais de votação, haverá álcool em gel para que eleitores higienizem as mãos, mas, caso já tenha um frasco em casa, vale levar o seu próprio. Para evitar o contato com objetos de terceiros, o TSE também recomenda que o eleitor leve sua própria caneta (azul ou preta) para assinar o caderno de votação.

Vale ressaltar que todos os equipamentos de proteção contra o coronavírus, que serão usados nas eleições, foram doados por uma série empresas. No total, foram arrecadadas nove milhões de máscaras descartáveis, 100 mil litros de álcool em gel para os mesários, 2,1 milhões de marcadores de distanciamento no chão, 1,8 milhão de viseiras plásticas e 1 milhão de litros de álcool em gel para os eleitores.

Eleições 2020: se tiver sintomas, fique em casa

Uma recomendação do TSE é que os eleitores que estiverem com sintomas da COVID-19, como febre, no dia da votação ou ainda que tiverem um diagnóstico confirmado para a infeção nos últimos 14 dias, mesmo assintomáticos, devem permanecer em casa, de quarentena. Essa medida visa não colocar em risco a vidas de outras pessoas saudáveis e evita a disseminação do coronavírus dentro das sessões eleitorais. A eventual ausência poderá ser justificada na Justiça Eleitoral e será válida para eleitores e mesários.

Medidas contra a COVID-19 serão adotadas nas eleições municipais de 2020 (Imagem: Reprodução/ TRE - RJ)

Eleições 2020: mesários atentos contra a COVID-19

De acordo com o Tribunal, os cerca de dois milhões de mesários deverão trocar as máscaras de proteção a cada quatro horas e garantir a distância mínima de um metro entre os eleitores e os demais mesários. Eles também deverão limpar as superfícies com álcool 70% e higienizar as mãos, constantemente, durante o trabalho.

Simplificando todas medidas já apresentadas de prevenção contra a COVID-19, tanto para os eleitores quanto para os mesários, "nos locais de votação, evite o contato próximo e tente ficar a pelo menos 2 metros de distância das outras pessoas. Usar máscara e evite tocar em superfícies. Leve uma máscara extra e não esqueça do álcool em gel", conclui Galoro.

Para conferir o protocolo completo, desenvolvido pelo TSE, para reduzir o risco de transmissão da COVID-19, clique aqui.

Fonte:  TSE  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.