Coronavírus em tempo real: mapa interativo mostra regiões mais afetadas do globo

Por Fidel Forato | 02 de Julho de 2020 às 17h40
NASA

Há mais de um ano não há assunto mais comentando que a COVID-19, o coronavírus SARS-CoV-2 e as formas de combatê-lo, a exemplo da aplicação de vacinas em massa. O agente infeccioso está presente em mais de 190 países do globo e já infectou 155,4 milhões de pessoas, sendo que 3,2 milhões faleceram em decorrência da doença. No Brasil, são mais de 14,9 milhões de infectados e 414 mil mortos.

Na tentativa de agrupar os dados sobre a pandemia da COVID-19, inúmeras plataformas trabalham em mapas e em atualizações em tempo real, como a plataforma da universidade norte-americana Johns Hopkins e a da Organização Mundial da Saúde (OMS). No Brasil, tanto o Sistema Único de Saúde (SUS) quanto o Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) disponibilizam dados oficiais sobre o coronavírus.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Diferentes iniciativas coletam dados sobre casos e óbitos da COVID-19 no mundo (Imagem: Reprodução/Fernando Zhiminaicela/Pixabay)

A seguir, confira uma lista de ferramentas que o Canaltech conferiu para apresentar os últimos dados da pandemia da COVID-19.

Plataforma da Universidade Johns Hopkins

Para organizar todos os dados e fontes sobre a COVID-19, os pesquisadores da Universidade Johns Hopkins construíram e atualizam regularmente um painel online que rastreia a disseminação mundial da pandemia. Segundo Lauren Gardner, professora de engenharia civil e co-diretora da CSSE, na Johns Hopkins, a plataforma foi criada para que o público entenda a situação do vírus e como ele evolui de forma transparente.

"Para a comunidade de pesquisa, esses dados se tornarão mais valiosos à medida que continuarmos a coletá-los ao longo do tempo", completa uma das responsáveis pelo projeto. Por isso mesmo, a plataforma exibe estatísticas sobre mortes e casos confirmados de coronavírus em um mapa mundial. Nele também é possível que os visitantes baixem os dados gratuitamente. Para Gardner, disponibilizar os dados para download é "crítico" para os pesquisadores.

Universidade norte-americana lança mapa interativo sobre os casos do coronavírus no mundo (Imagem: Reprodução/Universidade Johns Hopkins)

Em 2019, Gardner e uma equipe de pesquisadores identificaram 25 regiões dos EUA com maior probabilidade de sofrer com os surtos de sarampo. Essa análise preditiva foi publicada na revista The Lancet Infectious Diseases e estava baseada no volume de viagens aéreas internacionais, isenções não médicas de vacinas infantis, dados populacionais e informações relatadas sobre surtos de sarampo. O conhecimento aprendido foi importante para o desenvolvimento da atual plataforma.

Como funciona o mapa do coronavírus?

As estatísticas que permitem a visualização de dados são coletadas de diferentes fontes, como a Organização Mundial da Saúde (OMS), dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças, da Comissão Nacional de Saúde da República Popular da China e do Dingxiangyuan — uma espécie de rede social chinesa para profissionais de saúde que fornece, em tempo real, informações sobre novos casos.

Gardner explica que esses levantamentos, provenientes de diferentes fontes, podem fornecer avaliações mais oportunas em comparação com as organizações de relatórios ao nível nacional, que levam mais tempo para filtrar. Este seria o caso da plataforma da OMS que leva mais tempo para processar as atualizações da COVID-19.

Atualmente, a plataforma registra mais de 155,4 milhões de casos da COVID-19 e mais de 3,2 milhões óbitos em decorrência da infecção no mundo todo. Segundo levantamento, as três primeiras posições do ranking global da doença são: Estados Unidos (32,5 milhões de casos); Índia (21 milhões de casos); e Brasil (14,9 milhões de casos). Para acessar, clique aqui.

Mais opções globais para acompanhar o coronavírus em tempo real

Mapa da Organização Mundial da Saúde (OMS)

Plataforma da OMS detalha casos do novo coronavírus no mundo todo (Imagem: Reprodução/OMS)

A plataforma da OMS considerada como mais oficial da pandemia permite acompanhar os últimos casos da COVID-19 no mundo. Com dados alimentados pelas próprias organizações da saúde de cada nação, o mapa identifica, com marcação alaranjada, os países que possuem casos confirmados e, quanto maior a circunferência, maior é o número de infecções daquele país. Clicando em um dos países, como a Espanha, o mapa entrega, de forma mais detalhada, o número do total de casos, além de um gráfico que demonstra como o vírus está se comportando.

Mapa do Bing

Buscador da Microsoft, o Bing atualiza o número de casos da COVID-19 no mundo (Imagem: Reprodução/Bing)

Na plataforma projetada pelo buscador da Microsoft, o usuário consegue monitorar tanto a progressão dos casos da COVID-19 no Brasil quanto no mundo. Com uma pegada semelhante ao da OMS, a maior diferença está nas informações mostradas quando se clica em uma localidade específica, já que aparecem o número total de casos ativos, recuperados e fatais. Isso sem falar que divide os países por estados e também destaca algumas notícias e vídeos relacionados ao avanço da pandemia globalmente.

Mapa The Base Lab

Mapa The Base Lab destaca regiões com maior volume de casos do novo coronavírus (Imagem: Reprodução/The Base Lab)

Na plataforma The Base Lab, as regiões (marcadas com azul-marinho) têm os maiores números de casos, enquanto os países com tons mais claros são os menos afetados pelo novo coronavírus, além de detalhar casos e óbitos. A ferramenta também traz recurso para distinguir os continentes e há possibilidade de conferir a curva de crescimento do vírus nas regiões escolhidas.

Tabela da plataforma Worldometer

Atualizada em tempo real, Worldometer permite comparações rápidas da COVID-19  (Imagem: Reprodução/Worldometer)

O site Worldometer é uma referência para estatísticas em tempo real, como as da COVID-19. Entre as informações agrupadas pela plataforma, estão os casos e óbitos acumulados em decorrência do novo coronavírus. Além disso, o site recebe inúmeras atualizações diárias e dados sobre casos ativos em determinada localidade ou ainda sobre o total de casos a cada um milhão de pessoas em um país. O diferencial, sem dúvidas, é a exibição detalhada e em formato de tabela da situação dos países na pandemia, o que faz dela uma ferramenta bastante prática para análises e comparações entre os cenários de diferentes nações.

Mapa interativo da COVID-19 no Brasil

Painel do Conass

No Brasil, conselho formado por secretárias de saúde atualizam dados da COVID-19 (Imagem: Reprodução/Conass)

Desenvolvido pelo Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), o painel é atualizado diariamente, às 18h, com a situação do novo coronavírus no Brasil. Essa plataforma apresenta informações sobre o total de casos e óbitos acumulados, além de dados sobre a taxa de letalidade, mortalidade e incidência da infecção respiratória no país e nos estados da federação. Ponto importante dessa fonte de informações é que os números são compartilhados pelas próprias secretárias de saúde dos estados.

Mapa do SUS Analítico

Com atualização diária, Ministério da Saúde alimenta plataforma sobre a COVID-19 no Brasil (Imagem: Reprodução/SUS Analítico)

Atualizando a população sobre a situação do novo coronavírus país, o Ministério da Saúde alimenta diariamente a plataforma SUS Analítico. O mapa recebe atualização de casos, pacientes recuperados e óbitos acumulados pela doença respiratória no Brasil. Também compartilha os números adicionados nas últimas 24h, como os novos casos do estado de São Paulo. Além disso, importante diferenciação é que, em um dos gráficos, aponta ainda os casos e óbitos por dia de notificação.

Fonte: Com informações: Johns Hopkins University e BBC News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.