Mastodon "explode" após anúncio de compra do Twitter por Elon Musk

Mastodon "explode" após anúncio de compra do Twitter por Elon Musk

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 27 de Abril de 2022 às 15h11
Reprodução/Mastodon

A rede social Mastodon, considerada uma das principais alternativas ao Twitter na atualidade, começou a bombar após as notícias relacionadas à compra do Twitter pelo bilionário Elon Musk. Desde quando o CEO da Tesla se tornou acionista que a mídia já experimentava um certo crescimento, mas após a formalização do anúncio houve uma "explosão" de novos usuários, segundo o criador.

A confirmação do acordo parece ter despertados reações bem diferentes no público. De um lado, estão pessoas felizes pela compra, animados para um Twitter sem amarras e com o "toque de Midas" de Musk. Do outro, está gente em busca de alternativas por considerarem que o ambiente da rede pode ser ainda mais difícil de conviver — a plataforma tem uma fama antiga de ser um local para trolls, haters e cancelamentos.

A tela inicial do Mastodon é bem parecida com o Twitter, por isso algumas pessoas decidiram migrar (Imagem: Captura de tela/Alveni Lisboa/Canaltech)

Muitas das pessoas temerosas decidiram dar uma chance ao Masdoton, conhecida por ser a maior rede social descentralizada da internet. O fundador da plataforma, Eugen Rochko, confirmou por meio de uma postagem que sua criação está “explodindo” com todos esses acontecimentos.

O Mastodon registrou 41.287 usuários simultâneos conectados nas primeiras horas após as notícias confirmarem a venda do Twitter. Segundo Rochko, cerca de 30 mil dessas pessoas online eram novos usuários.

Rede surgiu por motivo parecido

Embora esteja em alta no momento, o Mastodon já existe desde 2016, quando o Twitter estava para ser vendido. Rochko disse que não gostou das decisões que a diretoria tomava na época e decidiu criar uma própria rede social.

Em vez de criar algo idêntico, o fundador decidiu resgatar alguns conceitos antigos, como a conta vinculada a "e-mails", e mesclar com algo que só desembarcou no Twitter este ano: as comunidades. O sistema atual é totalmente em código aberto e os desenvolvedores são livres para criar aplicativos próprios (gratuitos ou pagos) que usam a plataforma.

De segunda-feira para cá, os aplicativos oficiais para iOS e Android tiveram um aumento de downloads de 5 mil vezes. O total de transferências em apenas uma semana equivale a 10% do número absoluto de downloads acumulado ao longo da vida útil do Masdoton.

O crescimento repentino não significa que todas essas pessoas continuarão a utilizar o serviço. É provável que muitos tenham feito o cadastro apenas para conhecer e nunca mais vão abrir o programa. Mas também pode haver uma fatia de usuários que podem se estabelecer nesse sistema, afinal já estão familiarizados com a pegada da rede do passarinho.

O Mastodon tem apps oficiais e outros criados por terceiros, com mais recursos e opções adicionais (Imagem: Reprodução/Mastodon)

Venda ainda precisa ser confirmada

Vale lembrar que a compra do Twitter foi estabelecida em US$ 44 bilhões (cerca de R$ 220 bilhões), mas ainda não foi formalizada. Há trâmites burocráticos e outras exigências formais que os órgãos dos Estados Unidos exigem para concluir a transação.

Mesmo assim, os fãs de Musk já estão bastante animados com o negócio. Defensor da liberdade total de expressão, o influenciador provavelmente deve modificar bastante a política de moderação de conteúdo atual, que proíbe discurso de ódio, incentivo à violência, disseminação de notícias falsas e outras práticas.

Seguidores de ideologias conservadoras, antivacinas/anticiência e outros grupos podem ser beneficiados com uma possível anistia na rede do passarinho. Por outro lado, grupos de proteção dos direitos humanos e defensores de ideologias liberais se preocupam com essa atitude, que, segundo eles, poderia permitir ataques contra minorias e estimular preconceitos.

Ontem, Musk garantiu que o discurso livre deve respeitar as leis e que não aceitará nenhum tipo de censura, desde que dentro os parâmetros legais:

Mastodon pode sacudir o mercado?

Na semana passada, o Canaltech mostrou que o Android ganhou um aplicativo oficial do Mastodon, algo importante para popularizar a plataforma. Mas mesmo quando ainda não tinha, a rede já despertava a curiosidade das pessoas, inclusive com soluções criadas por terceiros para o sistema do Google, para o iOS, para desktops e para navegadores.

Vai ser interessante observar a partir de agora como o mercado de social media deve se comportar. Se o Mastodon apenas de mantiver como uma cópia do Twitter, é pouco provável que emplaque efetivamente, porém se a comunidade se mobilizar para entregar recursos que o rival famoso ainda não possui, talvez ele tenha alguma chance.

Fonte: Mastodon  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.