Instagram muda regras para proteger adolescentes na rede social

Instagram muda regras para proteger adolescentes na rede social

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 27 de Julho de 2021 às 11h40
Kate Torline/Unsplash

O Facebook e o Instagram vão implementar mudanças para tentar trazer mais segurança para adolescentes e jovens nas plataformas. Entre as novidades estão mecanismos para evitar mensagens indesejadas no Direct ou comentários de desconhecidos. A ideia é permitir que essas pessoas continuem com seus perfis abertos se quiserem, para criar audiência ou engajar pessoas, mas que tenham algum nível de privacidade.

As contas de menores de 16 anos serão configuradas por padrão como privadas no Instagram. Com isso, a rede espera reduzir as interações com adultos que eles não conheçam ou com assediadores e haters. Oito em cada dez jovens afirmaram preferir manter as configurações em modo privado, conforme dados da rede.

Adolescentes serão orientados a manter a conta privada (Imagem: Divulgação/Instagram)

Segundo a plataforma, isso vai permitir controle de quem vê e interage com seu conteúdo, já que as pessoas precisarão de permissão para seguir. Essa opção se aplicará a publicações no Feed, Stories e Reels, o que também vedará a exibição de conteúdo na guia Explorar ou por hashtags.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Quem mesmo assim optar por manter a conta pública, o sistema enviará uma notificação com informações sobre os benefícios de manter o perfil fechado e orientações sobre como alterar as configurações de privacidade.

A companhia trabalha na construção de uma inteligência artificial capaz de identificar a idade real das pessoas nos apps. Assim, daria para criar controles mais rígidos que impediriam menores de 13 anos de adentrar na rede, o que é vedado pelas diretrizes.

Impedir contatos indesejados

As redes sociais desenvolveram uma tecnologia que permite a identificação de contas com comportamento suspeito. Para analisar isso, o sistema analisa o histórico e procura por contas de adultos bloqueadas ou denunciadas por perfis de jovens.

Se o potencial assediador for incluído nessa lista de bloqueio, eles não verão mais conteúdo produzido por adolescentes, seja no Explorar, Reels ou na seção “Contas sugeridas para você”. A única forma seria por intermédio da pesquisa por nomes de usuários, mas ainda assim eles serão impedidos de seguir.

Outra novidade é que as contas marcadas como suspeitas não poderão comentar em publicações de adolescentes nem ver outros comentários feitos por menores de idade nos posts de outras pessoas. Inicialmente, a ideia é implementar essas novidades em Estados Unidos, Austrália, França, Reino Unido e Japão. Os demais países devem ganhar os recursos de forma progressiva, embora ainda não haja uma previsão para o Brasil.

Menos anúncios para jovens

Alguns ramos da publicidade online têm como foco o público adolescente, afinal eles são mais sucessíveis a determinadas temáticas, como os bens de consumo. O Facebook sabe disso e pretende impor algumas restrições nos anúncios voltados para menores de 18 anos. O foco é reduzir a penetração dessas propagandas com base em interesses e atividades em outros aplicativos ou sites, o que poderia configurar maior risco para essa população vulnerável. Isso se aplicará a anúncios em Instagram, Facebook e Messenger, e deve afetar a qualidade do que já está rodando atualmente.

Recentemente, até o Reels passou a exibir propagandas (Imagem: Reprodução/The Verge)

Segundo a plataforma, assim que o perfil completar 18 anos, eles serão notificados sobre as opções de segmentação de anúncios e de como suas informações são usadas para a entrega de anúncios sob medida.

As medidas adotadas pelo Instagram chegam em um momento onde os principais rivais, em especial o TikTok, fortalece a proteção de adolescentes. A rede de vídeos curtos chinesa também proibiu adultos de interagirem com menores de 16 anos e criou uma ferramenta capaz de denunciar e/ou bloquear perfis inconvenientes. Além disso, excluiu mais de 7 milhões de contas de crianças em desacordo com as normas da rede.

Você acredita que as medidas são suficientes? O que mais o Facebook poderia fazer para melhorar a segurança na sua plataforma e no Instagram? Deixe suas sugestões no campo de comentários.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.