TikTok ganha proteção contra bullying e ofensas nos comentários

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 10 de Março de 2021 às 15h49
konkarampelas/Pixabay

Após anunciar um formato que permite interação entre criadores de conteúdo e espectadores, o TikTok anunciou que lançará novos recursos para moderação de comentários. Os criadores poderão controlar quais comentários podem ser postados em seu conteúdo, antes que sejam tornados públicos.

Outra nova adição é destinada a usuários que estão comentando. Agora, a rede exibirá um aviso para que o usuário reconsidere um post impróprio, com palavrões ou que possa ser considerado rude. O algoritmo da ferramenta levará em conta o desrespeito às diretrizes da comunidade para notificar a pessoa inconveniente.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Tiktoker poderá decidir se autoriza ou não a publicação de comentários (Imagem: Divulgação/TikTok)

Segundo o TikTok, o objetivo das novidades é manter um ambiente coletivo de respeito mútuo e positividade, no qual as pessoas podem se concentrar apenas em ser criativas. Em paralelo, também anunciou uma parceria com o Cyberbullying Research Center, que desenvolve pesquisas sobre bullying na internet.

Os criadores de conteúdo poderão escolher a opção “Filtrar todos os comentários”, o que lhe dará o poder de avaliar previamente tudo que for postado em seus vídeos. A nova ferramenta de gerenciamento fará com que a análise ocorra antes de algo negativo ser exibido de forma irrestrita. Esse recurso se baseia nos controles de comentários já existentes do TikTok, que permitem aos criadores filtrar spam, comentários ofensivos ou por palavras-chave, e funciona semelhante a outros aplicativos sociais.

O lado nada bom da funcionalidade

Mas nem tudo são flores quanto à nova opção oferecida pelo TikTok. O usuário precisa estar atento, mais do que nunca, a conteúdos falsos e informações mentirosas. Isso porque um tiktoker mal intencionado pode bloquear propositalmente todos comentários para evitar ser desmentido. As marcas precisarão tomar cuidado redobrado antes de contratar um criador de conteúdo da plataforma, pois poderiam ser iludidas por uma aparência fake.

Aviso alerta previamente o usuário sobre comentário inadequado. (Imagem: Divulgação/TikTok)

Pode existir algum tipo de impacto também para o ambiente corporativo. Empresas poderão divulgar apenas os comentários positivos sobre um produto ou serviço, omitindo propositalmente as críticas verdadeiras. Se isto ocorrer, talvez a rede perca o apelo junto ao mundo dos negócios e passe a focar apenas no entretenimento.

De algum jeito, o TikTok precisará adaptar esse formato para dar aos usuários alguma possibilidade de desmentir aquele conteúdo. Seria algo como um botão de denúncia ou o envio para verificação manual de uma equipe, caso haja muitas reclamações.

Exclusões e remoções de conteúdo

Apesar disso, pode-se considerar que a rede social chinesa está na vanguarda desta temática. Todos os concorrentes do TikTok levaram muitos anos para implementar políticas de filtragem de conteúdo e de aviso sobre comentários inapropriados. O Instagram, por exemplo, só conseguiu testar um recurso similar quase uma década depois.

O Twitter também levou mais de 10 anos para tomar alguma providência neste sentido. No ano passado, se viu envolvido em polêmicas por ter excluído tuítes de autoridades globais que divulgaram informações falsas em relação à pandemia de Covid-19. Para evitar mais problemas, os desenvolvedores trabalham em um sistema que notifica previamente o usuário sobre o caráter inapropriado daquela fala, dando-lhe a oportunidade de evitar penalizações.

Tuítes duvidosos são alertados pelas rede (Imagem: Divulgação/Twitter)

Normalmente, as mídias sociais hesitam em incluir este tipo de filtro com temor de cercear a liberdade dos frequentadores. Só que é inviável não haver nenhum tipo de moderação, caso contrário a rede vira palanque para agressões, mentiras e baixarias. Em vez de contribuir para a diversão, torna-se uma ferramenta de alienação e de ódio.

No TikTok, cujo público é formado majoritariamente por crianças e adolescentes, é fundamental estabelecer mecanismos de combate ao bullying, ao abuso e à exploração sexual. Afinal, trata-se de uma população extremamente vulnerável no aspecto físico e psicológico. Na semana passada, a rede social criou um conselho para analisar políticas de conteúdo inapropriado na Europa.


O que você acha sobre a moderação de conteúdo no TikTok? Dê sua opinião!

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.