Facebook e Instagram ameaçam cobrar serviços se usuário não aceitar rastreamento

Por Alveni Lisboa | 03 de Maio de 2021 às 11h35

O Facebook e o Instagram começaram com as campanhas para incentivar usuários do iOS 14.5 a aceitarem a nova política de rastreamento com uma estratégia no mínimo ameaçadora. O que preocupa é um item específico no qual as maiores redes sociais do mundo alegam que poderia haver cobrança para o uso de seus serviços.

Em uma mensagem exibida logo na tela inicial, as plataformas tentam convencer as pessoas da importância de autorizar o rastreamento. Contudo, ambas dão a entender que, caso o dono do iPhone não aceite os novos termos, eles poderão ser taxados no futuro.

A mensagem tenta convencer usuário a aceitar rastreamento personalizado (Imagem: Divulgação/Facebook)

O texto não afirma explicitamente isso, mas diz que o aceite vai ajudar a empresa a manter o “serviço livre de cobranças”. A tentativa parece ser uma tática com apelo emocional, no intuito de assustar as pessoas, que obviamente não vão querer pagar para a usar sua rede social favorita.

A companhia de Mark Zuckerberg afirma que, caso permita o rastreamento, os anúncios já exibidos nos aplicativos não mudarão. Seo utilizador recusar, ainda verá anúncios, mas eles serão menos relevantes. A mensagem ressalta que não haverá coleta de novos tipos de dados e, sim, que o objetivo é continuar proporcionando experiências melhores para todos.

Segundo o Facebook, o objetivo da mensagem é sensibilizar as pessoas em razão da necessidade de enviar publicidade direcionada, afinal a empresa é gigante e se sustenta deste modelo econômico. "Como a Apple disse que será permitido fornecer contexto adicional, mostraremos uma tela educacional antes de apresentar a solicitação da Apple para ajudar as pessoas a tomarem uma decisão informada sobre como suas informações são usadas", explica Dan Levy, vice-presidente de Produtos de Anúncios e Negócios da companhia.

Esta é a mensagem em português:

(Imagem: Divulgação/Facebook Brasil)

Preocupação de quem vive de propaganda

Com o lançamento do iOS 14.5, todos os aplicativos devem pedir permissão antes de monitorar a atividade do usuário em aplicativos e sites. Faz parte do chamado App Tracking Transparency (ATT), uma nova política da Maçã para dar aos usuários mais controle sobre sua privacidade.

Isso deixou empresas como o Facebook preocupadas, já que sua principal fonte de renda provém de anúncios. Com menos opções de rastreamento, as campanhas voltadas para dispositivos móveis da Apple podem ser menos efetivas, o que reduziria os gastos com este tipo de propaganda.

Anúncios para iOS foram impactados no Facebook (Imagem: Nathana Rebouças/Unsplash)

Na semana passada, a rede social enviou uma carta aberta aos seus principais anunciantes para explicar como lidaria com a nova política. A empresa vai, por exemplo, desativar alguns tipos de anúncios direcionados para celulares da Apple neste período inicial, até que a migração para o novo iOS seja concluída.

Até o momento, não existe qualquer confirmação — ou boato sequer — de que Instagram e Facebook poderiam adotar um modelo pago. Possivelmente, eles jamais farão isso, tendo em vista que todas as outras concorrentes são 100% gratuitas e ainda possibilitam monetizar conteúdos de forma direta, como o TikTok e o Kwai, por exemplo.

Violação da política da Apple?

As regras da App Store, atualizadas recentemente pela gigante de Cupertino, proíbem os aplicativos de oferecer incentivos financeiros ou prêmios para que os usuários sejam rastreados. Também veda o uso de táticas para iludir o consumidor ou forçá-lo a aceitar o monitoramento. Quem descuprir os teremos, terá os aplicativos retidos e o desenvolvedor pode ser banido da loja virtual.

Até o momento, a Maçã não aplicou nenhum tipo de penalidade aos aplicativos pertencentes ao Facebook, porém há quem diga que a estratégia adotada quebraria as regras. O jeito é aguardar para saber qual será o futuro destas que são as duas maiores mídias sociais do planeta.

Você já atualizou seu iPhone para o iOS 14.5? Aceitou a nova política de rastreamento ou está negando para os apps? Deixe seu comentário logo abaixo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.