A evolução das redes sociais e seu impacto na sociedade – Parte 1

Por Patrícia Gnipper | 06 de Fevereiro de 2018 às 12h59
photo_camera Depositphotos

Em pleno ano de 2018, difícil é encontrar alguém que não use nenhuma rede social. Essas poucas pessoas decidem viver à margem da sociedade 2.0 e, mesmo sabendo que ficam de fora de muita coisa bacana que acontece nessas plataformas, elas seguem firmes na decisão por uma série de fatores, que vão desde a garantia da privacidade até o medo de se tornarem "viciadas" em rede sociais – como acontece com muita gente por aí, que praticamente se esquece de todo o resto da internet, acessando somente Facebook, Instagram e Twitter no dia-a-dia.

Mas como foi que as redes sociais ganharam tanto poder, a ponto de transformar a maneira com que as pessoas se relacionam, se informam e se comunicam, em tão pouco tempo? Ainda, como exatamente as redes sociais impactaram a nossa sociedade cultural e socialmente falando? E o que vai acontecer daqui para frente com as plataformas sociais ganhando cada vez mais influência?

Nessa série de matérias, divididas em três partes, vamos fazer uma análise do surgimento, evolução e o status atual das redes sociais, bem como seu impacto na sociedade conectada em que vivemos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O que é rede social, como e quando elas surgiram

Há quem defina rede social como qualquer meio que proporcione a comunicação entre as pessoas, mas essa definição genérica acaba englobando métodos nada tecnológicos, como o envio de cartas, por exemplo. Já nos tempos modernos, rede social é como são chamados serviços que, usando a internet, permitem que as pessoas se conectem umas com as outras instantaneamente.

Na era pré-internet, o telégrafo fez as vezes de uma rede social pré-histórica, permitindo o envio de mensagens a longas distâncias usando a tecnologia. Então, antes da existência da internet como a conhecemos, existiu uma tecnologia militar chamada ARPANET, que conectava universidades em uma proto-internet. A primeira mensagem enviada por esta plataforma saiu da UCLA para o Stanford Research Institute em 1969.

Primeiro log IMP da ARPANET mostra transcrição da primeira mensagem enviada pela plataforma, em 29/10/1969 (Foto: Reprodução)

Então, já em 1982, a ARPANET foi a primeira rede a usar o protocolo TCP/IP, abrindo as portas para um mundo totalmente novo. Já com a chegada da computação pessoal, a CompuServe foi um dos primeiros serviços a oferecer conexão com a internet internacionalmente, sendo, também, a empresa que criou o formato GIF. Para acessar a rede, era preciso usar um cliente de acesso próprio, que oferecia serviços de e-mail e fóruns de discussão. Nos anos 1990, o serviço já era muito popular, sendo posteriormente fundido com a AOL, que dominou a internet na época.

Interface jurássica do CompuServe (Foto: Reprodução)

Mas, voltando um pouco nessa história, não podemos deixar de mencionar o BBS, que, em 1978, colocou no ar o seu primeiro sistema rudimentar de comunicação virtual. A coisa não era nada barata, visto que era necessário fazer chamadas telefônicas de longa distância para conseguir a conexão, sendo, portanto, algo restrito a um número seleto de usuários naquele tempo, mas popularizando-se à medida em que o acesso à rede era expandido.

Assim era o BBS nos anos 1980 (Foto: Reprodução)

Mais ou menos na mesma época, surgiu a Usenet, ativa até os dias de hoje. A coisa funcionava como um Reddit em seus primórdios, permitindo que os usuários acompanhassem longos tópicos de conversas em que se inscreviam para participar. Foi com a Usenet que muitos termos que usamos até hoje na rede se popularizaram, como "spam" ou "FAQ", por exemplo. Em 1995, o conteúdo mais antigo da Usenet foi arquivado, podendo ser acessado posteriormente.

Menu de um grupo antigo da Usenet (Foto: Reprodução)

Ainda que timidamente, essas novidades começaram a mudar a forma com que as pessoas se comunicam, permitindo, ainda, conhecer gente que não conheceríamos ao vivo por lá. Isso já marcou o início da transformação da nossa sociedade, com as pessoas cada vez mais buscando a internet como meio de entrar em contato com outras, se informar e se entreter.

A revolução do IRC e a World Wide Web

O termo "rede social" ainda não era usado nessa época, mas a chegada do IRC revolucionou esse universo. Criado em 1988, o protocolo serviu como base para vários serviços de comunicação virtual na época. Serviços baseados em mensagens de texto se dividiam em canais moderados por pessoas eleitas para colocar ordem na casa, e uma variedade de clientes de IRC começaram a surgir, com o mIRC sendo o mais famoso de todos eles.

Canal do mIRC na década de 1990 (Foto: Reprodução)

Na mesma época, a World Wide Web veio para ficar, com serviços como o Geocities se popularizando rapidamente. Com ele, era possível publicar sites rudimentares na rede mundial de computadores, e muitos fóruns de discussão surgiram hospedados ali. Isso aconteceu em 1994, bem na época em que a conexão discada com a internet estava começando a se popularizar em todo o mundo. Em 1999, o Yahoo! adquiriu o Geocities, que permaneceu no ar até 2009.

Página criada com o Geocities na década de 1990 (Foto: Reprodução)

Outros serviços similares ao Geocities pipocaram no período, ocasionando outra revolução: com eles, qualquer pessoa podia publicar suas ideias na internet, mesmo sem entender muita coisa de webdesign e programação, abrindo as portas para as chegadas dos blogs pessoais.

Mensageiros como os conhecemos

E por falar na popularização da internet discada, não podemos deixar de falar na AOL e seu Instant Messenger, lançado em 1997. O AIM, como ficou conhecido, trouxe às massas pela primeira vez um mensageiro instantâneo com interface agradável para quem não entende nada de códigos de programação.

Tela do programa da America Online, mostrando AIM ao fundo e os menus recheados de conteúdos (Foto: Reprodução)

Ali, era possível criar um perfil de usuário, adicionar amigos, conversar por meio de mensagens de voz e transferir arquivos, pavimentando o terreno para o surgimento das redes sociais atuais, incluindo seus mensageiros modernos, como o Messenger, do Facebook, o WhatsApp e o Telegram. Mas, antes disso, mensageiros similares ao AIM, como o MSN Messenger e o ICQ, se tornaram o principal meio de comunicação de uma imensidão de pessoas.

Na segunda parte deste especial vamos falar da era que surgiu depois de 1997, quando a primeira rede social propriamente dita surgiu para transformar o mundo, mesmo que sem essa intenção. Também vamos falar da era dos blogs pessoais, que ajudaram a pavimentar a estrada das redes sociais atuais, e o furacão de transformações que foram os anos 2000.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.