Cortex-A9, Cortex-A15...Conheça os diferentes tipos de processadores móveis

Por Pedro Cipoli

São tantos processadores móveis que às vezes é difícil ver diferenças entre um e outro. O chip Apple A6, que equipa o iPhone, e o Exynos 4 Quad, do Samsung Galaxy S III, são modelos completamente diferentes, mas ambos utilizam o Cortex-A9 como base. Então, por que parecem tão diferentes? O Nexus 10 do Google traz um processador dual-core baseado no Cortex-A15, então como consegue um nível de performance maior do que boa parte dos chips quad-core do mercado? Vamos entender essa sopa de letrinhas.

Podemos entender o Cortex como uma geração de processadores. No caso da Intel, por exemplo, temos os processadores i3, i5 e i7. A AMD possui duas séries principais: série A (A4, A6, A8 e A10) e FX (geração Bulldozer). A ARM trabalha da mesma forma, com o Cortex-M, voltado para dispositivos embarcados, Cortex-R, voltado para mediacenters e controladoras de HDs, por exemplo, e o Cortex-A, voltado para dispositivos móveis, como tablets e smartphones.

Em nosso artigo O que é um Soc? explicamos que ao contrário do que vemos em computadores, os SoCs são chips que incluem processador, placa de vídeo, memória RAM e muitas vezes outros recursos adicionais, como um modem 4G. Os principais fabricantes montam os seus chips com combinações diferentes de componentes para, mais do que alcançar um nível de performance específico, fornecer ao usuário diferentes experiências de uso. É aí que entram os diferentes tipos de Cortex.

Cortex-logo

Eles são projetados pela ARM Holdings, que cria diferentes tipos de especificações para que os fabricantes possam escolher que chip projetar. Neste artigo estamos interessados somente na família Cortex-A, que são os modelos utilizados em nossos smartphones e tablets, e são os grandes responsáveis pelos dispositivos inteligentes que temos atualmente.

São basicamente 5 tipos diferentes de Cortex A: A5, A7, A8, A9 e A15. Cada um deles possui diferentes combinações entre performance e economia de energia, onde o Cortex-A5 é o mais eficiente energeticamente e o Cortex-A15 é o mais voltado a desempenho final. Mesmo que funcionem com a mesma frequência, apresentarão resultados completamente diferentes.

Podemos comparar os modelos acima com o que vemos em computadores: um Pentium 4 pode rodar à mesma frequência de um Core i7 Ivy Bridge, mas este segundo não só entregará um nível muito maior de desempenho como também consumirá menos energia.

Exynos 5

Modelos um pouco mais antigos de smartphones top de linha utilizavam o Cortex-A8 como base, como é o caso do iPhone 4 e do Galaxy S. Depois, eles evoluíram para modelos com dois núcleos baseados no Cortex-A9 - caso do iPhone 4S e do Galaxy SII, que apresentam um nível superior de performance e uma maior eficiência energética.

Já modelos de entrada são equipados com Cortex-A5 e Cortex-A7, chips que consomem muito pouca bateria mas sacrificam um pouco de performance - caso do LG Optimus L5 e L7, que podem facilmente alcançar dois dias de autonomia.

Já o Cortex-A15 é capaz de funcionar com frequências mais altas e entregar um nível superior de performance. Esses modelos de dois núcleos conseguem fazer frente a modelos quad-core baseados no Cortex-A9, mas exigem uma bateria de maior capacidade por possuírem uma autonomia baixa se comparada aos modelos mais básicos, como é o Caso do Nexus 10 e Samsung Chromebook.

Voltando para a nossa comparação com computadores, um Intel Core i7 de quatro núcleos é mais potente do que um AMD FX-8150 de oito núcleos mesmo que este rode a frequências mais altas. O mesmo é válido quando comparamos dois modelos diferentes de Cortex-A.

Apple A6

Saiba mais:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.