Review Huawei Watch Fit 2 | um smartwatch com bastante bateria

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 29 de Julho de 2022 às 13h15
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Há alguns meses, a Huawei lançou, em seu país de origem, o Huawei Watch Fit 2. O dispositivo já chegou oficialmente ao mercado brasileiro e está disponível no site oficial da marca no país.

O vestível chega como uma “mistura” de smartwatch e smartband, com recursos de monitoramento de saúde mais avançados — como em um relógio inteligente — mas sem deixar de lado a simplicidade, discrição e autonomia de uma pulseira mais básica.

Mas será que vale a pena o investimento neste dispositivo, ou compensa partir logo para um modelo mais avançado? Neste review trago as principais características do Huawei Watch Fit 2 e levanto seus pontos positivos e negativos. Confira:

Prós

  • Design leve e confortável
  • Tela com boa iluminação
  • Recursos avançados de monitoramento de saúde
  • Bateria de longa duração

Contras

  • Sem tecla para atalhos de exercícios
  • Sensor de movimento com pouca precisão

Design e Construção

O Huawei Watch Fit 2 conta com um design bem elegante e confortável. Sua pulseira é de silicone, e o acabamento da caixa é em aço inoxidável. Com tudo isso, ele ainda fica muito bem no pulso e dificilmente causa algum tipo de incômodo, principalmente para mim, que sempre reclamo de modelos mais tradicionais, que são mais pesados.

Em números, ele pesa apenas 26 gramas a pulseira inclusa, e tem dimensões de 46 x 33,5 x 10,8 mm. Essa versão que recebi para testes é a Active, mas há ainda dois modelos diferentes: a Classic Edition e a Elegant Edition.

Visual da Huawei Watch Fit 2 é mais discreto do que smartwatches mais tradicionais (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

O maior diferencial, no entanto, são as pulseiras e seus encaixes no mostrador. Isso também afeta no peso final, é claro. Mas falarei apenas da versão Active por aqui.

O relógio, em si, tem apenas um botão, que serve para acessar o menu principal, com os recursos de monitoramento de saúde e as modalidades de treino disponíveis no gadget. Eu, particularmente, senti falta de uma tecla dedicada para acessar mais rápido os modos de exercícios físicos, mas isso é mais questão de gosto.

Tela

O Huawei Watch Fit 2 conta com um display AMOLED de 1,74 polegada, com resolução de 336 x 480 pixels e densidade de 336 ppi. No geral, é um painel muito bom para enxergar o conteúdo exibido, mesmo em dias bem ensolarados. Isso ajuda se você costuma fazer caminhadas diárias ao ar livre.

A tela, como em vários relógios inteligentes, é colorida, e o usuário pode baixar várias watchfaces na loja da Huawei pelo celular, para deixar o aparelho bem customizado. Muitas opções são pagas, mas é possível achar alguns modelos grátis, tanto para relógio digital quanto analógico.

Huawei Watch Fit 2 tem um design com mostrador retangular (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

O aparelho também conta com o recurso Always On Display — ou AOD — que permite deixar a tela sempre acesa para exibir detalhes mais simples, como a hora, sem precisar levantar o pulso ou acender a tela.

Configuração e Desempenho

A Huawei não dá muitos detalhes sobre o hardware do Watch Fit 2, apenas informa que ele conta com um sensor IMU de 9 eixos para o rastreamento. De qualquer forma, podemos ter uma noção de quanto ele tem de memória RAM pelo aplicativo, que revela que cerca de 23 GB estão disponíveis ao usuário. Dessa forma, suponho que ele tenha 32 GB totais.

Já a memória RAM não é revelada, mas o desempenho do dispositivo é bem agradável. Ele não sofre qualquer tipo de lentidão ou travamento para executar suas funções — como monitoramento de batimento cardíaco, nível de saturação de oxigênio, entre outros.

Huawei Watch Fit 2 tem um bom desempenho geral (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Apesar de não termos muitos detalhes sobre o hardware utilizado no aparelho, o vestível parece ser bem preciso para monitorar as atividades físicas e os dados de saúde, de acordo com os testes que realizei nele.

Usabilidade

O Huawei Watch Fit 2 conta com um sistema operacional próprio da chinesa, o HarmonyOS. Nele, infelizmente, não há muitas opções de aplicativos disponíveis para download, e o maior destaque é o app de mapas Petal, desenvolvido pela marca como uma alternativa ao Google Maps.

Fora isso, a maioria parece mais “extensões” para as funcionalidades do relógio, como um monitor cardíaco diferente, lembretes para beber água, entre outros.

A interface é, no geral, bem intuitiva, e o usuário ainda pode escolher a forma de exibição do menu principal. Como padrão, ele vem com o estilo em grade, mas é possível alterar para a organização em lista, que mostra o nome de cada app ou submenu.

O relógio também tem uma função para realizar chamadas telefônicas mas, na ausência de conexão celular nativa, isso serve apenas como um atalho para fazer a ligação pelo celular pareado. É possível conversar pelo relógio, graças ao alto-falante e microfone embutidos, mas a chamada, em si, é feita no celular.

Huawei Watch Fit 2 tem menu em grade que pode ser alterado para exibição em lista (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Por fim, o modelo também conta com um gerenciador de música que não só permite controlar a reprodução no celular, como tocar música direto no relógio. O wearable já chega com uma faixa na memória interna, mas é possível adicionar mais pelo aplicativo.

Ele tem um sistema de som embutido, e isso permite ouvir as canções em som alto. Mas, caso queira, dá para conectar um fone Bluetooth e aproveitar uma qualidade de áudio melhor e de forma mais discreta.

Acompanhamento Físico

O Huawei Watch Fit 2 conta com diversas modalidades para monitoramento de atividades físicas, desde as praticadas dentro de casa até fora, como caminhada, corrida ou ciclismo. O relógio também tem resistência a água de até 5 ATM e isso permite utilizá-lo para natação em piscina ou mar aberto.

Eu utilizei mais para caminhada, e o monitoramento é bem preciso. Algo que me incomodou, no entanto, foram os alertas sonoros conforme eu alcançava mais um quilômetro de percurso ou no começo de cada atividade. Mas logo descobri que dá para tirar completamente o volume — basta pressionar o botão físico e depois clicar no ícone de som na tela.

Durante a prática, o vestível fornece informações precisas sobre o progresso, como distância e ritmo da caminhada, além do tempo de percurso e de informações sobre o batimento cardíaco — nada muito diferente de outros relógios ou fitness trackers. Naturalmente, é possível conferir tudo no aplicativo depois.

O acompanhamento de saúde também segue os padrões atuais. Ele tem monitor de batimentos cardíacos, SpO2 e de sono, mas nada de ECG — isso geralmente é restrito para modelos mais premium.

Huawei Watch Fit 2 conta com vários modos para monitoramento de atividades físicas (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Eu só não me sinto muito confiante quanto à precisão do monitoramento de sono do wearable. Assim como outros relógios da Huawei que já testei, ele sempre fornece resultados mais discrepantes em relação aos gadgets de qualquer outra marca — como Samsung, Amazfit ou Garmin.

Talvez a forma como os relógios da chinesa fazem o rastreamento seja diferente das demais, mas o fato é que os dados de sono sempre são bem diferentes do que o habitual. Aliás, já destaquei isso em um outro texto que fiz recentemente, sobre qual é o melhor smartwatch para monitor o sono.

Conectividade

O Huawei Watch Fit 2 é compatível com celulares Android 6.0 ou superior e iOS 9.0 ou superior. A conexão é feita pelo aplicativo Huawei Saúde — ou Huawei Health — e o app é bem completo no que diz respeito à configuração do relógio e ao download de watchfaces e “apps” para o wearable.

Ele conta com Bluetooth 5.2 para conexão e, uma vez pareado com o smartphone, o relógio pode ler as notificações recebidas no celular. Só não é possível responder mensagens, nem mesmo com textos prontos, como acontece até mesmo em modelos mais simples.

Huawei Watch Fit 2 é compatível com Android e iOS (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Apesar de oferecer vários recursos interessantes quando está conectado ao celular, o relógio não é dependente do smartphone, ou seja, dá para usar normalmente sem que um esteja perto do outro. Para isso, é claro, só é preciso fazer a primeira conexão e as configurações iniciais.

Isso permite que você saia para caminhar só com o relógio e ainda ouvir uma música, já que é possível conectar fones de ouvido Bluetooth nele. Dessa forma, dá para se exercitar e ainda curtir um som sem incomodar quem esteja por perto.

Bateria e Carregamento

O carregamento do Huawei Watch Fit 2 é feito com um carregador padronizado da marca e não há suporte para carregamento sem fio — o que é natural, já que falamos de um modelo mais simples. O tempo de carga é bem rápido. Em cerca de uma hora já é possível encher a bateria do relógio de 15 a 100%.

A duração da bateria é algo que me chamou bastante atenção. A marca promete 10 dias de duração com um uso típico e 7 dias com um uso intenso. Aqui, ativei todos os recursos de monitoramento de saúde e, em cinco dias, o consumo foi de pouco mais de 50%.

Bateria é um dos principais atrativos do Huawei Watch Fit 2 (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Quando chegou em 40%, eu comecei a forçar uma descarga mais rápida — afinal, também queria verificar o tempo de carregamento. Para isso, deixei música reproduzindo o tempo todo, ativei o brilho no máximo e deixei a tela ligada o maior tempo possível com brilho no máximo.

Nesse tempo, também chegou uma nova atualização de software, o que fez o relógio consumir mais bateria, já que updates sempre requerem uma grande quantidade de carga.

Concorrentes Diretos

O Huawei Watch Fit 2 concorre diretamente com o Amazfit GTS 3. Ambos são relógios atuais com funcionamento e propostas um pouco parecidas. Para começar, os dois têm um mostrador quadrado — ou perto disso, já que o da Huawei, na verdade, é retangular.

O modelo da Amazfit perde em duração de bateria, mas ele também não deixa a desejar, já que pode chegar a quatro ou cinco dias, dependendo do uso que fizer do aparelho.

Ele compensa isso com um sistema mais intuitivo e uma navegação mais agradável — graças ao botão giratório que permite rolar o menu sem tocar na tela.

Eles são igualmente confortáveis, e seus pesos mais leves — aliados à pulseira de silicone — ajudam a manter a prática de atividades físicas mais agradável, mesmo após um bom tempo de exercício.

Os recursos de monitoramento de saúde e atividades físicas são basicamente os mesmos, então o que vai pesar na hora da decisão é, de fato, se você quer uma bateria maior ou um sistema mais intuitivo.

Outro concorrente

As propostas são completamente diferentes, mas não posso fechar essa categoria sem mencionar outro modelo — o Galaxy Watch 4. Trago ele à mesa por um simples motivo: pela faixa de preço que o vestível da Huawei é vendido, é possível comprar o relógio da Samsung, que é bem mais completo.

Você perde em bateria, mais uma vez, afinal o Galaxy precisa ser recarregado a cada dois ou três dias. Em compensação, você terá um relógio inteligente mais completo, com suporte para aplicativos mais funcionais e um sistema consideravelmente melhor.

Além disso, o wearable da Samsung é mais completo em relação ao monitoramento de saúde. Seus sensores mais avançados permitem, inclusive, realizar um ECG.

Galaxy Watch 4 é a melhor alternativa ao Huawei Watch Fit 2 (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

Por fim, a faixa de preço desses três relógios é a mesma. Os modelos mais antigos variam de R$ 800 a R$ 1.000, com ofertas ocasionais para melhorar o preço, enquanto o da Huawei fica entre R$ 900 e R$ 1.000.

Huawei Watch Fit 2 é bom, mas tem melhores

O Huawei Watch Fit 2 é um ótimo relógio inteligente para te acompanhar em atividades físicas, e a bateria de longa duração é o que mais chama a atenção neste dispositivo, já que permite passar longos dias sem precisar recarregá-lo.

Seu visual também é bem chamativo e passa a impressão de ser uma “junção” entre smartband e smartwatch. Além disso, ele conta com resistência à água e tem vários modos para acompanhamento de atividades físicas e saúde, como monitor de batimento cardíaco e SpO2.

No entanto, pela faixa de preço é possível encontrar alternativas melhores, com sensores mais avançados para acompanhamento físico, como é o caso do Galaxy Watch 4, que ainda oferece um sistema operacional mais “inteligente”.

O modelo da Samsung só perde — e de lavada — em bateria, portanto você precisa fazer uma escolha: você quer um relógio mais inteligente ou quer passar mais dias sem precisar carregar seu dispositivo?