Panasonic vende todas as suas ações na Tesla e obtém lucro bilionário

Panasonic vende todas as suas ações na Tesla e obtém lucro bilionário

Por Felipe Ribeiro | Editado por Jones Oliveira | 28 de Junho de 2021 às 09h00

A Panasonic é uma das empresas parceiras da Tesla desde quando a montadora começou seu crescimento exponencial, em 2010. Na época, os japoneses, que já eram os fornecedores de bateria dos carros elétricos da fabricante, compraram US$ 30 milhões em ações da companhia de Elon Musk. Após anos de união e um lucro absurdo, a gigante nipônica decidiu vender toda a sua participação na Tesla.

Somadas todas as ações da Panasonic dentro da Tesla, o valor total fica em US$ 3,6 bilhões, o que confirma um lucro absurdo se compararmos com o valor desprendido pelos japoneses para comprar uma fatia da montadora em 2010. O motivo desse negócio, porém, vai além do financeiro.

Segundo a agência Nikkei, a Panasonic está em vias de adquirir a empresa americana de software e consultorias Blue Yonder por US$ 7 bilhões, o que seria, disparadamente, o maior negócio da fabricante japonesa em termos de aquisições. Com a venda de suas ações da Tesla, o caminho fica mais facilitado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O Tesla Model S Plaid usa baterias Panasonic/ Imagem: Tesla

Segundo a Panasonic, o fornecimento de baterias para a Tesla seguirá normalmente, bem como os projetos de desenvolvimento de outros componentes, que também seguem em curso. Todas as ações já foram vendidas em março, na finalização do ano fiscal, e os japoneses haviam informado o time de Elon Musk com antecedência.

A Tesla, por sua vez, está para fechar um negócio milionário com a coreana LG e com chinesa CATL a para a fabricação de baterias, o que impulsionaria os planos da montadora de expansão no mercado asiático. Vale lembrar que há o projeto da construção de uma fábrica para produção de veículos em Xangai.

Fonte: Elektrec, Nikkei

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.