Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Microsoft é condenada a multa de R$ 1,2 bilhão por violação de patente

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 13 de Maio de 2024 às 16h47

Link copiado!

Unsplash/Turag Photography
Unsplash/Turag Photography
Tudo sobre Microsoft

A Microsoft foi condenada a pagar uma multa de US$ 242 milhões (aproximadamente R$ 1,2 bilhão) à IPA Technologies por violação de patente envolvendo a assistente virtual Cortana. A decisão foi tomada pela Justiça de Delaware, nos Estados Unidos, que concordou com a alegação da IPA de que a tecnologia de reconhecimento de voz da Microsoft viola as patentes registradas pela companhia.

Em comunicado à agência Reuters, um porta-voz da Microsoft informou que a Big Tech vai recorrer da decisão e que está “confiante de que não infringiu patentes da IPA”.

Microsoft condenada

Continua após a publicidade

A disputa legal começou em 2018, quando a IPA Technologies, subsidiária da empresa de licenciamento de patentes Wi-LAN, acusou a Microsoft de infringir uma patente relacionada a assistentes digitais pessoais e navegação de dados baseada em voz.

A IPA adquiriu a patente em questão, entre outras, da Siri Inc., uma subsidiária da SRI International adquirida pela Apple em 2010 e cuja tecnologia foi incorporada à sua assistente virtual Siri.

Segundo a IPA, a dona do Windows violou essa patente na elaboração da Cortana. A Microsoft desativou a assistente virtual no Windows 11, no ano passado, quando ela foi substituída pelo Bing Chat — a solução é atualmente chamada apenas como Copilot, em uma estratégia para reforçar o nome da ferramenta de assistente de IA da companhia.

Outros processos da IPA

Esse não é o primeiro processo movido pela IPA contra grandes empresas de tecnologia: Amazon e Google também foram acusadas de violações semelhantes — a Amazon derrotou o processo da IPA em 2021, enquanto o caso do Google ainda está em andamento.

No entanto, a decisão contra a Microsoft chama a atenção devido ao valor da indenização. O resultado do julgamento ressalta a importância da proteção de propriedade intelectual e as complexidades envolvidas na disputa por inovações entre as grandes empresas de tecnologia do mundo.