Publicidade

Google pagou US$ 8 bilhões para Samsung usar Assistente e Play Store

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 14 de Novembro de 2023 às 10h59

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr/ Canaltech
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech
Tudo sobre Google

O depoimento de um advogado da Epic Games à Justiça dos EUA revelou que o Google pagou US$ 8 bilhões para a Samsung por quatro anos para manter os apps da empresa como padrão na linha Galaxy. A audiência, parte do processo que acusa a Gigante de Mountain View de violar leis antitruste, envolveu o vice-presidente de parcerias da empresa, James Kolotouros.

O acordo financeiro teria o objetivo de priorizar a busca do Google, o Google Assistente e a Play Store nos celulares e tablets da fabricante sul-coreana. Vale lembrar que a Samsung já possui um assistente próprio (a Bixby) e uma loja de apps (a Galaxy Store), mas a Gigante de Mountain View agiu para garantir que seus próprios produtos fossem a opção padrão no Android.

Por trás do acordo

Continua após a publicidade

De acordo com o Bloomberg, James Kolotouros confirmou que os dispositivos da Samsung são responsáveis por mais da metade de toda a receita obtida na Google Play. Portanto, faz sentido que o Google tenha ido atrás de uma solução financeira para garantir a predominância dos próprios serviços na linha Galaxy.

A Epic Games, por sua vez, usou o testemunho para acusar mais uma prática antitruste do Google. A desenvolvedora de Fortnite aponta que esses acordos dificultam a popularização de lojas de aplicativos de terceiros no Android — a Epic já se envolveu em disputas com Google e Apple devido às taxas cobradas para a publicação de apps.

Inclusive, quando Fortnite foi lançado para Android, não era possível baixá-lo pela Play Store. No mesmo processo, a Epic ainda acusa a criadora da Play Store de tentar impedir acordos com a OnePlus e a LG para lançar o game por fora da loja nos aparelhos das respectivas marcas.

Continua após a publicidade

O advogado Lauren Moskowitz, representante da Epic Games no caso, trouxe à tona uma apresentação interna do Google sobre um “Projeto Banyan”, voltado para discutir sobre como reforçar a presença da Play Store em detrimento da Galaxy Store e de outras lojas independentes.

As informações obtidas pela acusação revelam que o Google ofereceu US$ 200 milhões em quatro anos para que a loja de apps da Samsung fosse disponibilizada dentro da Play Store, ou seja, sem um aplicativo próprio. Além disso, a empresa sul-coreana não poderia oferecer o próprio método de cobranças e pagamento por lá.

A proposta não foi aceita e, no lugar disso, o Google selou um acordo para pagar US$ 8 bilhões (cerca de R$ 40 bilhões em conversão direta) para a Samsung por quatro anos.

Google ainda enfrenta outro processo

Continua após a publicidade

A disputa judicial com a Epic Games é apenas um dos processos que envolvem o Google. A empresa ainda é investigada pelo Departamento de Justiça dos EUA sob a acusação de práticas de monopólio: nesse caso, o processo aborda os pagamentos da Gigante de Mountain View para tornar o buscador como padrão em dispositivos da Apple, Samsung e outras plataformas.

Fonte: Bloomberg