Apple pode sabotar lucros da Samsung ao escolher a TSMC como única fornecedora

Por Redação | 22.07.2016 às 08:42

A notícia de que a Samsung não será mais fornecedora de componentes para os próximos iPhones caiu como uma bomba no mercado de smartphones. Com a escolha da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC) como sendo a única fornecedora dos processadores utilizados nos próximos smartphones da Maçã, os bolsos da Samsung deverão sentir um baque significativo.

Isso porque a sul-coreana dividia a produção de chips A9, presentes nos iPhones atuais. Contudo, em outubro do ano passado descobriu-se que os iPhones 6s com chips A9 fabricados pela Samsung apresentavam um maior consumo de bateria do que os demais. A revelação ocorreu após meses de especulações a respeito do desempenho dos componentes fabricados pela Samsung.

Oficialmente, um dos motivos pelos quais a Maçã teria escolhido a empresa taiwanesa para ser a única fabricante de seus chipsets no futuro teria sido o fato de ela utilizar o processo de fabricação de 10 nanômetros, que proporciona uma maior eficiência térmica e energética, além de ocupar menos espaço. A Samsung, por sua vez, trabalha com processos de 14 nanômetros. Mas acredita-se que a companhia de Cupertino esteja tomando essas providências para afetar diretamente os lucros da rival, que recentemente destronou a Apple na liderança de vendas de smartphones nos Estados Unidos.

Além de se tornar a única fornecedora de processadores para o iPhone 7 e demais modelos das gerações futuras de smartphones, a TSMC também deverá fornecer os processadores A11, que serão usados no iPhone 8 - com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2017. E é justamente esse o modelo de iPhone que deverá fazer com que a Apple recupere a liderança do mercado, uma vez que a geração de iPhones do próximo ano será comemorativa dos dez anos do lançamento do primeiro aparelho da Maçã. A expectativa é que que o iPhone 8 (apesar de ainda não se saber se sua nomenclatura seguirá a ordem dos modelos anteriores ou se ganhará um nome comemorativo especial) traga toda a inovação que se espera de uma companhia como a Apple, que vem deixando a inovação de lado nos últimos lançamentos e vem sendo duramente criticada por conta disso.

Do outro lado do ringue, a Samsung tem ficado “na sua”, continuando a produzir smartphones competitivos e também inovando nesse segmento - como acontecerá com o lançamento do Galaxy Note7, que será apresentado para todo o mundo em um evento no início de agosto.

Fonte: Forbes