Qual foi o maior tsunami do mundo?

Qual foi o maior tsunami do mundo?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 21 de Janeiro de 2022 às 17h40
Axel Antas-Bergkvist/Pexels

O maior tsunami do mundo de que se tem conhecimento aconteceu na Baía Lituya, no Alasca, no final de década de 1950. O megatsunami da Baía Lituya, como ficou conhecido, superou os 500 metros de altura e varreu violentamente a vegetação costeira.

O fenômeno foi provocado por uma enorme quantidade de rochas e blocos de gelo que despencaram nas águas após um intenso terremoto na região, que fica próxima à falha geológica Fairweather. Ainda hoje, é possível observar as marcas deixadas pelo poderoso tsunami.

Como foi o maior tsunami do mundo

Em 9 de julho de 1958, um terremoto de magnitude 7,8 na falha geológica Fairweather abalou profundamente a região na qual se encontra a Baía Lituya, no Alasca. O evento geológico provocou o deslizamento de 90 milhões de toneladas de rochas e blocos de gelo nas águas.

Árvores a 200 metros de altura na encosta da baía foram varridas pelo tsunami, como observada na região mais clara (Imagem: Reprodução/USGS)

O volume de rochas e gelo despencou de uma altura aproximada de 609 metros e o impacto na baía produziu de imediato uma onda de 524 metros de altura — para comparação, o Empire State Building, em Nova York, tem apenas 381 metros de altura.

A onda produzida foi tão intensa que varreu completamente a vegetação à beira da baía a uma altura de 200 metros acima do nível do mar — faixa chamada pelos geólogos de linha de corte. O maremoto percorreu toda a Baía Lituya até alcançar o Golfo do Alasca.

Visão aérea da Baía Lituya. O desmoronamento ocorreu na encosta localizada no canto superior direito da imagem, na "cabeça" da baía (Imagem: Reprodução/DJ Miller/USGS

Apesar do tamanho e força da grande onda, apenas cinco pessoas morreram. Três delas na ilha de Cenotaph, localizada no meio da baía, cuja praia onde estavam ficou 30 metros abaixo da água. Os outros dois tiveram seus barcos afundados pelo tsunami.

A Baía Lituya

A Baía Lituya é um fiorde, ou seja, uma grande entrada de mar entre montanhas, produzida pela erosão de geleiras. Ela fica na costa nordeste do Golfo do Alasca e se estende por 11,3 km, com 3,2 km de largura — em formato de “T”. Seu ponto mais profundo não passa dos 219 metros e, o mais raso, fica em torno de 9 metros.

Em vermelho, a localização do desmoronamento e, em amarelo, a área costeira devastada pelo tsunami (Imagem: Reprodução/Geology.com)

O maior tsunami do mundo, no entanto, não foi um fenômeno inédito no local. Estudos anteriores realizados pelo Serviço Geológico dos EUA (USGS, na sigla em inglês) já haviam documentado a ocorrência de pelo menos quatro grandes ondas, datadas de 1853, 1874, 1899 e 1936.

Ainda assim, nenhum desses eventos produziu um efeito tão devastador quanto o megatsunami da Baía Lituya, que, infelizmente, apagou por completo todas as evidências locais das grandes ondas passadas. Dado o histórico recente, é muito provável que um novo maremoto ocorra na baía.

Por que uma baía relativamente pequena, então, experimentou o maior tsunami do mundo? Por muito tempo, os cientistas ficaram intrigados por não detectar qual mecanismo gerou a grande onda. Depois, descobriu-se que um bloco de rocha com um tamanho de 731,52 m por 914,4 m foi o causador do maremoto.

A imagem de satélite, feita em novembro de 2020, revela a linha de corte por toda costa da baía, onde as árvores foram arrancadas pelo tsunami (Imagem: Reprodução/NASA)

Pesquisadores do USGS, envolvidos na análise posterior ao evento, compararam a reação gerada pela queda da grande rocha com o choque de um asteroide nas águas da pequena baía. Além disso, o formato estreito dela funcionou como um amplificador das ondas — como se fosse uma grande banheira.

Os geólogos estimam que uma onda gigante como esta possa acontecer uma vez a cada 25 anos — uma chance de 1 em 9.000 — na Baía Lituya. Mesmo após tanto tempo, as marcas deixadas pelo megatsunami ainda podem ser observadas do espaço.

Os maiores tsunamis do mundo

O maior número de ocorrências de tsunamis se concentra nos oceanos Pacífico e Índico, devido à grande atividade geológica da região, sendo os terremotos a principal causa das ondas gigantes.

Os maiores tsunamis do mundo foram os seguintes:

  • Japão: no dia 11 de março de 2011, a costa leste do Japão foi atingida pelo quarto maior tsunami do mundo. O fenômeno produziu uma sequência de ondas com até 10 metros de altura, a uma velocidade média de 800 km/k, provocadas por um terremoto de magnitude 9. O número total de mortos é estimado em 18 mil;
  • Sumatra: em 26 de dezembro de 2006, Sumatra, cidade da Indonésia, experimentou o tsunami mais destrutivo da história recente. Um terremoto de magnitude 9,1 a 30 km de profundidade produziu uma onda de 1.300 km de extensão e até 50 metros de altura. No total, cerca de 230 mil pessoas morreram;
  • Lisboa: o terremoto que atingiu Lisboa, em Portugal, em 1755 é conhecido como uma das maiores catástrofes da Europa. Um terremoto de magnitude 8,7 gerou um tsunami com ondas de até 30 metros de altura, que destruíram boa parte da cidade. A grande onda foi tão intensa que atravessou o Atlântico, chegando à costa do nordeste brasileiro. Mais de 10 mil pessoas morreram;
  • Krakatoa: em 27 de agosto de 1883, a erupção explosiva do vulcão Krakatoa, o mais poderoso da Indonésia, lançou blocos da caldeira vulcânica ao mar. A consequência foi uma sequência de ondas que atingiram 37 metros de altura. Estima-se que 40 mil pessoas tenham morrido com o evento;
  • Nankaido: no dia 28 de outubro de 1707 um terremoto de magnitude 8,4 produziu um tsunami que alcançou uma altura de 25 metros que atingiu em cheio a costa das ilhas do Pacífico, como a cidade japonesa de Nankaido. Estima-se que 30 mil pessoas tenham morrido.

Fonte: USGS, NASA, Australian Geographic

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.