iCloud+ começa a chegar gratuitamente aos assinantes da versão convencional

iCloud+ começa a chegar gratuitamente aos assinantes da versão convencional

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 21 de Setembro de 2021 às 11h58
Divulgação/Apple

A Apple começou a avisar os usuários do iCloud sobre a migração para o novo serviço após o lançamento do iOS 15. O iCloud+ é uma versão melhorada do popular serviço de armazenamento da companhia, com novos recursos exclusivos alinhados à realidade atual. Quem usa os planos pagos da Maçã devem contar com várias opções para tornar sua experiência aprimorada.

Uma das novidades é o Hide My Email (Ocultar meu e-mail), voltado para pessoas que desejam evitar spam e propagandas indesejadas. O assinante poderá usar um nome próprio, desde que ainda não esteja em uso, para compartilhar com membros da sua família, grupo de amigos ou até para fins profissionais.

Você pode omitir seu e-mail principal e usar um alternativo para serviços diversos (Imagem: Reprodução/Apple)

Quem já possui e-mail do iCloud cadastrado também poderá alterá-lo para algo mais personalizado. Por exemplo: o e-mail [email protected] poderia virar [email protected]

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A parte boa do serviço é que você poderá criar e-mails de uso único ou voltados para uma finalidade específica. Para os sites de comércio eletrônico, que costumam bombardear a caixa de entrada com anúncios promocionais, pode ser uma conta, enquanto para o relacionamento com seu chefe pode ser outro.

"VPN da Apple"

Outra novidade do serviço é o Private Relay (Retransmissão Privada), uma ferramenta similar a uma rede virtual privada (VPN) oferecida pela Apple para proteger dispositivos de rastreamento por sites diversos. Ao habilitá-lo, usuários mascaram sua origem de acesso e seu tráfego de pacotes para os agentes intermediários da conexão. Segundo a Apple, o nível de privacidade é tão elevado que nem mesmo a empresa consegue monitorar seus acessos.

A VPN da Apple promete proteger sua localização e evitar rastreadores (Imagem: Reprodução/Apple)

Quando o serviço é usado pelo Safari, a Apple até sabe quem você é, mas não consegue determinar quais sites foram acessados. Isso impede, por exemplo, aquela avalanche de propagandas direcionadas após pesquisar por um produto no Mercado Livre, por exemplo.

Diferente das VPNs tradicionais, o Private Relay não altera o seu acesso para um endereço remoto, mas o mentém endereçado para uma área próxima da sua, o que não impede o acesso a conteúdo local. O serviço do iCloud+ também não permite que você troque seu endereço para outra região ou país, então acessar conteúdo dos Estados Unidos ou da Europa, por exemplo, está fora de questão.

Monitore a segurança da sua casa

Um dos recursos menos claros quando houve o anúncio oficial na WWDC 2021, o Vídeo Seguro do HomeKit permite a personalização das opções de gravação de vídeo, notificação, armazenamento e compartilhamento. Ele permite integrar dispositivos de segurança de casas, como câmeras, sensores de presença e alarmes, diretamente ao aplicativo Casa no iPhone, iPad ou iPod touch.

Você pode ver suas câmeras e controlar a segurança da casa remotamente (Imagem: Reprodução/Apple)

Segundo a Maçã, não é necessário ter um plano de armazenamento para transmitir vídeos e armazenar clipes, mas para gravar a empresa exige um plano de armazenamento do iCloud de 200 GB para compatibilidade com uma câmera e um plano de armazenamento de 2 TB para compatibilidade com até cinco câmeras.

O usuário principal do app pode restringir quais pessoas podem assistir às gravações de vídeo, ativar o reconhecimento facial ou configurar automações para tornar a residência mais inteligente. Por exemplo: se alguém entrar em um cômodo específico, uma opção de ligar a luz automaticamente pode ser criada para que possa haver a identificação do indivíduo.

Compartilhamento familiar

Todos os planos do iCloud+ podem ser compartilhados com integrantes da sua família pelo serviço Family Sharing (Compartilhamento Familiar). Assim, todos que moram na mesma casa podem desfrutar dos novos recursos, armazenamento extra e experiências agregadas. Como não há cobrança adicional, talvez seja uma boa ideia assinar o serviço para permitir o compartilhamento rápido de arquivos ou para fazer o backup de fotos na nuvem dos celulares vinculados.

Quem já é assinante deve receber um e-mail nos próximos dias com o anúncio da migração do serviço antigo para o novo. Todos que pagam por armazenamento extra no iCloud receberão automaticamente o upgrade para o novo serviço —mesmo se for o plano mais básico com 50GB de armazenamento por R$ 3,50 ou o mais avançado com 2 TB e valor mensal de R$ 34,90.

Assinantes do iCloud antigo receberão e-mails com o comunicado sobre a atualização (Imagem: Reprodução/iMore)

O iOS 15 já está disponível para usuários e deve marcar o lançamento do novo iPhone 13, anunciado na semana passada. O iCloud+ é o sucessor do modelo atual e será entregue como um upgrade para quem já é assinante e liberado posteriormente para os demais interessados.

Fonte: Apple [1] [2] [3], iMore  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.