Publicidade

O que é slop? Lixo eletrônico gerado por IA se alastra pela internet

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Maio de 2024 às 06h00

Link copiado!

Freepik
Freepik

Slop é um termo direcionado a conteúdos indesejados gerados por inteligência artificial. Essa prática é destinada a textos, imagens e vídeos criados através de chatbots e outras ferramentas de IA generativa, geralmente com algo caricato ou surreal compartilhado em redes sociais, por exemplo.

Qual é o significado de “slop”?

Assim como o termo “spam”, que é inspirado em uma esquete de Monty Python, “slop” é uma ressignificação de uma palavra já existente. Segundo a versão digital do Cambridge Dictionary, entre muitos significados, o verbo diz respeito ao ato de “fazer com que um líquido escorra pela borda de um recipiente por não tomar cuidado ou fazer um movimento brusco”.

Continua após a publicidade

Outros dicionários também apontam que o termo pode ser usado para desleixo ou até mesmo resíduo. Em alguns casos, a palavra é usada simplesmente com o significado “lixo”.

Esse termo também é utilizado no ambiente virtual para designar conteúdos gerados por IA indesejados e espalhados pela internet, como redes sociais. No geral, esses conteúdos apostam em ideias para lá de surreais, como uma imagem de Jesus com um corpo de camarão encontrada pelo jornal britânico Guardian e que já circula pelo Facebook.

“O slop vem de um termo inglês que dá a visão de sujeira, lavagem, aquilo que traz uma visão deturpada. Na prática, é a geração de conteúdo gerada por IA de forma não direcionada”, explica ao Canaltech o head da Unidade de Negócios de Cibersegurança da Think IT, Marcos Pires.

“Isso é inserido de forma aleatória dentro de páginas com objetivo de até mesmo tirar o foco do usuário para que ele possa desviar sua atenção", prossegue o especialista.

Continua após a publicidade
O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Existe outro uso do termo?

A aplicação do termo nem sempre é destinada a conteúdos esdrúxulos. Pelo X/Twitter, o perfil @allgarbled usou a palavra “slop” para falar dos resultados de busca gerados por IA do Google em 4 de maio. “É legal como toda pesquisa no Google agora começa com uma parede de slop de LLM [grande modelo de linguagem] que é completamente inútil e ocupa metade da tela”, diz o post.

Por isso o desenvolvedor Simon Willison, cocriador do Django Web Framework e criador do Datasette, fez um alerta em seu blog: “nem todo conteúdo promocional é spam e nem todo conteúdo gerado por IA é slop. Mas se for gerado inconscientemente e imposto a alguém que não o pediu, slop é o termo perfeito para isso.”

Continua após a publicidade

Qual é a diferença entre spam e slop?

Spam é um termo voltado para interações indesejadas. É o caso das promoções enviadas por e-mail, SMS ou WhatsApp que você nunca se interessou, por exemplo. Esse tipo de prática também é utilizado em outros tipos de campanhas, mesmo sem interesse comercial.

Já o slop é voltado a conteúdos criados por IA indesejados como um todo e que você encontra ao navegar pela internet sem pretensão alguma. Pode ser uma imagem completamente fora da realidade ou apenas um texto gerado por um buscador, como nos exemplos dados anteriormente. No geral, sequer há alguma forma de interação, como acontece com o spam.

Continua após a publicidade

Simon Willison também propôs um terceiro termo que une “slop” e “spam”: “slom”. A palavra é designada para quando o spam é gerado por IA — ou seja, duplamente indesejado.

Qual é o problema do slop?

No geral, essa prática é voltada para causar algum tipo de perturbação, como informado por Marcos Pires ao CT. É o caso de imagens aleatórias disponíveis em redes sociais, o que aumenta a quantidade de publicações desprezadas e dificulta a busca por conteúdos de qualidade.

Mas existe o risco de o texto, vídeo ou imagem trazer informações imprecisas ou falsas. Além disso, esses materiais podem ser usados para criar entulho em páginas da web e perfis de rede social para ganhar dinheiro através de anúncios, por exemplo.

Continua após a publicidade

Por outro lado, não se descarta o uso das imagens caricatas para atiçar a curiosidade de pessoas e levá-las a ambientes propícios a golpes, por exemplo.