SAIU O RESULTADO DO SORTEIO DO PRÊMIO CANALTECH!CONFERIR
Publicidade

Nvidia GeForce RTX 4060 e 4060 Ti estreiam em versões de 8 GB e 16 GB

Por| Editado por Wallace Moté | 18 de Maio de 2023 às 16h19

Link copiado!

Reprodução/Nvidia
Reprodução/Nvidia
Tudo sobre Nvidia

Depois de meses de muita expectativa e diversos vazamentos, a Nvidia apresentou nesta quinta-feira (18) as novas GeForce RTX 4060 e RTX 4060 Ti, soluções que chegam trazendo a arquitetura Ada Lovelace ao segmento de entrada. O lançamento acontece em meio a discussões acaloradas entre entusiastas sobre qual deve ser o mínimo de memória presente em uma GPU moderna, e conta com dois fatos interessantes: uma versão de 16 GB do modelo Ti, além de um extenso comentário da própria Nvidia sobre a polêmica.

Mais potente das novidades, a GeForce RTX 4060 Ti não teve o chip especificado — ainda que os vazamentos apontem para o AD106 —, mas traz 34 Streaming Multiprocessors (SMs), totalizando assim 4.352 núcleos CUDA, 34 RT Cores para Ray Tracing e 136 Tensor Cores para DLSS e outros recursos de IA. Os clocks impressionam por serem bastante altos por padrão: temos 2.310 MHz de frequência base e 2.540 MHz de boost, o que permite à GPU atingir até 22,1 TFLOPs de poder computacional.

Continua após a publicidade

Ponto polêmico dos lançamentos mais recentes da gigante, a memória é um dos aspectos mais curiosos da RTX 4060 Ti, considerando que teremos uma versão de 8 GB, que será lançada primeiro, e uma de 16 GB, esperada para estrear mais tarde. Independente da capacidade, ambas utilizam memória GDDR6 de 18 Gbps, trabalhando em uma interface de 128-bit para entregar largura de banda de 288 GB/s.

Também chama atenção o consumo, com o TGP estabelecido em 160 W (8 GB) e 165 W (16 GB), uma redução notável de 20% em comparação aos 200 W da geração anterior. Em games, conforme foi observado em outras placas da família RTX 4000, esse número cairia ainda mais, atingindo apenas 140 W de acordo com os testes da companhia. Na prática, os números não são muito animadores, ao menos se observamos as tabelas divulgadas.

O time verde voltou a dar ênfase ao DLSS 3 e sua tecnologia de geração de quadros com IA para falar de performance, afirmando que a RTX 4060 Ti seria até 70% superior frente à RTX 3060 Ti. No entanto, sem eles, a GPU deve ser cerca de 15% mais veloz que a antecessora, o que deve posicioná-la no mesmo patamar da RTX 3070. É preciso aguardar pelos reviews para comprovarmos as estimativas.

Continua após a publicidade

Mais acessível, e que provavelmente vai se tornar a mais popular da nova geração, a GeForce RTX 4060 possui especificações praticamente idênticas à sua versão para notebooks anunciada em janeiro. Temos por aqui mais uma vez um chip desconhecido (provavelmente AD107) com 24 SMs, embarcando 3.072 núcleos CUDA, 24 RT Cores e 96 Tensor Cores. O clock base é de 1.830 MHz, enquanto o boost chega a 2.460 MHz, garantindo poder computacional de até 15,1 TFLOPs.

O conjunto de memória entra novamente na polêmica, especialmente por ser um downgrade em relação à RTX 3060, oferecendo apenas 8 GB GDDR6, trabalhando em uma velocidade bastante incomum de 17 Gbps. Acompanhada da interface de 128-bit, a memória proporciona largura de banda de 272 GB/s. O consumo é o aspecto mais impressionante da 4060 padrão, por ser configurado em apenas 115 W, uma queda brusca de mais de 30% em relação aos 170 W da geração passada. Nos games, esse número cai ainda mais, para 110 W.

Continua após a publicidade

De acordo com os testes oficiais, o modelo parece entregar um salto de desempenho mais interessante que a 4060 Ti, ainda que também se apoie no DLSS 3 e geração de quadros: com essas tecnologias ativadas, os ganhos seriam de 70% em média. Sem eles, o avanço seria de modestos 20%, o que colocaria a RTX 4060 em um patamar pouco abaixo da RTX 3060 Ti. Como dito anteriormente, é preciso aguardar pelos reviews.

Nvidia discute polêmica da memória

Continua após a publicidade

A Nvidia também aproveitou o lançamento para trazer um posicionamento mais técnico a respeito da polêmica de baixa capacidade de VRAM que alguns veículos de mídia têm apontado nas últimas semanas. O tema tomou grandes proporções recentemente, depois de canais como o australiano Hardware Unboxed terem feito testes amplos que revelaram que, pela baixa capacidade de memória, certas placas estavam apresentando desempenho bem inferior a concorrentes diretas.

Este foi o caso da RTX 3070 que, com 8 GB de memória, estaria sofrendo para rodar títulos mais pesados em comparação à Radeon RX 6800 e seus 16 GB, cuja performance é normalmente similar. A situação chegou a levar a AMD a promover em suas redes sociais a importância da maior capacidade de VRAM, além de sua linha de GPUs, que traz em sua maior parte 16 GB.

Outro ponto criticado é a interface de comunicação, ou Bus Width Interface, que dita a quantidade de informação que trafega da GPU para a memória e vice-versa, mas também tem papel importante na capacidade — a maior parte das memórias modernas usa densidade de 8 Gb (1 GB por chip) ou 16 Gb (2 GB por chip), com dois canais de 16-bit cada que "conversam" com um canal de 32-bit do chip gráfico.

Continua após a publicidade

Para tornar esse exemplo claro, podemos pegar a própria RTX 4060 Ti de 8 GB, que utiliza 4 chips de memória de 16 Gb (4 x 2 GB = 8 GB). Para aumentar a capacidade sem mexer na interface, a única mudança viável é duplicar a capacidade para 16 GB, utilizando 8 chips de memória de 16 Gb.

É por esse motivo que não temos uma 4060 de 12 GB, por exemplo, já que a largura mínima da interface precisaria ser de 192-bit (6 chips de 16 Gb para chegar aos 12 GB de capacidade, com 2 canais de 16-bit cada). Essa estrutura também obriga a fabricante a dobrar a capacidade de memória caso queira aumentá-la sem mexer na interface — decisão em que se encaixa a RTX 4060 Ti de 16 GB.

Ainda segundo a Nvidia, o aumento drástico do cache L2 em comparação com a RTX 3060 (de 4MB para 24 MB na 4060) e 3060 Ti (de 4 MB para 32 MB na 4060 Ti) seria outro fator que turbina a eficiência da comunicação. Cache é um pequeno banco de memória integrado à GPU, usado justamente para manter as informações mais perto do chip gráfico e evitar que energia e tempo sejam perdidos para buscar dados na VRAM. Mais cache normalmente significa melhor performance.

Continua após a publicidade

Com a redução no tráfego de dados, a largura de banda seria 2 vezes mais eficiente, o que de acordo com a companhia resultaria em uma velocidade "real" maior em comparação à geração anterior. Os 288 GB/s de uma 4060 Ti, por exemplo, seriam equivalentes a uma largura de 554 GB/s na geração anterior, com arquitetura Ampere.

Apesar de toda a conversa técnica, e mesmo que a interface não seja de fato um limitador de performance, a capacidade de VRAM deve ser um obstáculo importante para quem pretende manter a placa por muito tempo. Os jogos têm ficado cada vez mais exigentes e vai ser preciso aumentar a memória das GPUs, ou desenvolver mecanismos mais inteligentes, para lidar com esse avanço.

Preço e disponibilidade

A Nvidia GeForce RTX 4060 Ti de 8 GB será a primeira a chegar às lojas, na próxima quarta-feira, 24 de maio. Tanto o modelo de 16 GB quanto a RTX 4060 estão previstas para chegar em julho, ainda sem uma data mais precisa. Os preços sugeridos são os seguintes:

Continua após a publicidade
  • Nvidia GeForce RTX 4060 Ti 16 GB — US$ 499 (~R$ 2.490)
  • Nvidia GeForce RTX 4060 Ti 8 GB — US$ 399 (~R$ 1.990)
  • Nvidia GeForce RTX 4060 8 GB — US$ 299 (~R$ 1.490)

As placas devem ser disponibilizadas no Brasil junto ao restante do mundo, mas ainda não há informações sobre os valores a serem praticados por aqui.

Nvidia GeForce RTX 4060 Ti: ficha técnica

  • GPU: N/A (possivelmente AD106)
  • Streaming Multiprocessors (SMs): 34
  • CUDA Cores (Núcleos): 4.352
  • Tensor Cores (IA): 136
  • RT Cores (Ray Tracing): 34
  • Frequências: 2.310 MHz (Base), 2.540 MHz (Boost)
  • Poder computacional (FP32): até 22,1 TFLOPs
  • Memória VRAM: 8GB ou 16 GB GDDR6
  • Interface da memória: 128-bit
  • Velocidade da memória: 18 Gbps
  • Largura de banda: 288 GB/s
  • Consumo (TGP): 160 W (8 GB) ou 165 W (16 GB)
  • Conector de energia: 1x conector PCIe 5.0 (12VHPWR) de 12 pinos ou 1x conectores de 8 pinos (adaptador na caixa); modelos customizados podem usar apenas 1x conector de 8 pinos
  • Fonte recomendada: 550 W
Continua após a publicidade

Nvidia GeForce RTX 4060: ficha técnica

  • GPU: N/A (possivelmente AD107)
  • Streaming Multiprocessors (SMs): 24
  • CUDA Cores (Núcleos): 3.072
  • Tensor Cores (IA): 96
  • RT Cores (Ray Tracing): 24
  • Frequências: 1.830 MHz (Base), 2.460 MHz (Boost)
  • Poder computacional (FP32): até 15,1 TFLOPs
  • Memória VRAM: 8GB GDDR6
  • Interface da memória: 128-bit
  • Velocidade da memória: 17 Gbps
  • Largura de banda: 272 GB/s
  • Consumo (TGP): 115 W
  • Conector de energia: 1x conector PCIe 5.0 (12VHPWR) de 12 pinos ou 1x conectores de 8 pinos (adaptador na caixa); modelos customizados podem usar apenas 1x conector de 8 pinos ou 1x conector de 6 pinos
  • Fonte recomendada: 550 W

Fonte: Nvidia (1, 2)