Publicidade

Microsoft pode lançar chip próprio de IA para frear Nvidia

Por| Editado por Jones Oliveira | 10 de Outubro de 2023 às 15h30

Link copiado!

Unsplash/Turag Photography
Unsplash/Turag Photography
Tudo sobre Microsoft

Segundo rumor, a Microsoft estaria se preparando para lançar, já em novembro, um chip proprietário voltado para aplicações de Inteligência Artificial. Caso se confirme, o movimento visa diminuir a dependência da empresa das GPUs Nvidia em seus data centers.

Atualmente, os servidores Microsoft voltados para nuvem, LLM (large language models) e IA embarcada em serviços como Microsoft 365 e outras aplicações domésticas utilizam, quase exclusivamente, GPUs Nvidia H100.

Continua após a publicidade

Se antecipando à crise

Ao que tudo indica, a Nvidia, que opera praticamente sozinha no segmento de soluções para IA, pode enfrentar uma crise de componentes para IA nos próximos meses. Dessa forma, produzir um chip próprio traria uma vantagem competitiva à Microsoft em relação a outros competidores sem planos de criar infraestrutura própria.

Segundo o The Information, que teve acesso em caráter exclusivo a relatórios de fontes consideradas seguras, os chips codinome Athena foram mencionados pela primeira vez em abril de 2023. Supostamente, os primeiros protótipos devem ser apresentados em breve, lembrando que a Microsoft tem a conferência Microsoft Ignite programada para ocorrer entre os dias 14 e 17 de novembro.

Continua após a publicidade

Vale ressaltar também que, em junho de 2022, a Microsoft anunciou que os serviços em nuvem Azure estariam se juntando à Aliança para Nuvem dos Serviços de Fundição Intel (IFS Cloud Alliance). A parceria visa acelerar o desenvolvimento de ecossistemas e soluções em nuvem e também conta com participação do Amazon Web Services, outro gigante do segmento.

Não está claro, no entanto, se os chips proprietários da Microsoft serão fabricados pela IFS. Contudo, esta seria a estratégia que faria mais sentido, considerando que as Big Techs estadunidenses estão buscando alternativas domésticas para no mercado de semicondutores, para reduzir a dependência de empresas asiáticas, como a TSMC.

Continua após a publicidade

Fonte: The Information