Intel Core i7 12700K pode ser 60% mais potente que Ryzen 7 5800X, sugere rumor

Intel Core i7 12700K pode ser 60% mais potente que Ryzen 7 5800X, sugere rumor

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 15 de Julho de 2021 às 10h22
Divulgação/Intel

Enquanto a AMD desfruta da superioridade da microarquitetura Zen 3 frente à concorrência, a Intel planeja uma aposta arriscada com a 12ª geração Alder Lake, que adotará pela primeira vez em desktops um design híbrido, similar ao adotado por processadores de smartphones.

Além de finalmente empregarem o processo de 10 nm da empresa, os chips contarão com dois conjuntos de núcleos, um dedicado para tarefas pesadas e outro para funções mais simples. A abordagem trará vantagens significativas para notebooks, que requerem maior eficiência para entregar boa autonomia, mas será curioso ver como o design se comportará nos desktops, onde não há limitações com bateria.

Seja como for, caso os rumores mais recentes se confirmem, é possível que essa aposta traga resultados respeitáveis, trazendo de volta à empresa o título de CPU mais potente do mercado.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Core i7 12700K deve superar com folga o Ryzen 7 5800X

Conforme descoberto pelo leaker HXL, um usuário do fórum chinês NGA Forum publicou supostos resultados de testes do Cinebench R20 de modelos Qualification Samples (QS) dos três principais processadores da linha Alder Lake. Os chips QS são amostras de testes bastante próximas do modelo final que chegará as lojas, entregando assim desempenho similar ao que podemos esperar dos processadores no lançamento.

Considerando as limitações que a Intel apresentou nos últimos anos, os resultados impressionam: o Core i9 12900K marca algo em torno de 11.300 pontos, enquanto o Core i7 12700K atinge os 9.500 pontos, e o Core i5 12600K consegue chegar aos 7.400 pontos. Os números mostram um salto substancial em relação à 11ª geração, e chegam a superar por margens notáveis as soluções da AMD.

No caso do Core i9, há vantagem de cerca de 10% sobre o Ryzen 9 5950X, atual topo de linha do time vermelho, que costuma atingir os 10.000 pontos. São dos chips mais básicos, no entanto, os resultados mais surpreendentes — o Core i7 consegue superar em cerca de 60% o Ryzen 7 5800X, que entrega números próximos dos 6.000 pontos, enquanto o Core i5 chega a 65% mais performance que o Ryzen 5 5600X, cujos testes marcam em torno de 4.500 pontos.

 O rumor publicado no fórum NGA Forum indica que a linha Alder Lake pode ser até 65% mais potente que os Ryzen 5000 (Imagem: Reprodução/WCCFTech)

É importante ressaltar que todas essas informações ainda não passam de rumores, e podem não corresponder à realidade. Ainda assim, não se pode descartar a possibilidade da nova família da Intel realmente apresentar desempenho elevado — é fato que a linha Alder Lake contará com litografia reduzida, nova microarquitetura e as vantagens de uma abordagem híbrida.

Família Alder Lake tem especificações vazadas

Paralelo a isso, uma postagem em outro fórum chinês, Zhihu, pode ter detalhado as especificações dos três principais processadores da família Alder Lake, bem como os possíveis nomes pelos quais cada um dos tipos de núcleo serão identificados.

Topo de linha da série, o i9 12900K será equipado com 16 núcleos e 24 threads, dos quais 8 serão de alto desempenho (P-Core, com P podendo se referir à performance) e 8 serão de baixo consumo (E-Core, com E podendo estar relacionado à eficiência). Com a arquitetura híbrida, cada conjunto terá sua própria faixa de frequência de operação.

Supostas especificações da família Alder Lake (Imagem: Reprodução/VideoCardz)

Os P-Cores do i9 podem chegar aos 5,3 GHz em cargas de trabalho que utilizem um ou dois núcleos, e 5,0 GHz utilizando todo o conjunto. Já os E-Cores atingem 3,9 GHz no uso de um a quatro núcleos, e 3,7 GHz com o conjunto completo. O cache L3 contará com 30 MB de capacidade, com o consumo estimado (TDP) em 125 W, podendo chegar aos 228 W em uso intenso.

O i7 12700K será equipado com 12 núcleos e 20 threads, com 8 P-Cores e 4 E-Cores. O conjunto mais potente deve trabalhar a até 5,0 GHz em trabalhos com um a dois núcleos, e a até 4,7 GHz com todos os oito, enquanto o conjunto de eficiência deve operar entre 3,6 GHz e 3,8 GHz. A solução terá cache L3 de 25 MB, com os mesmos 125 W de TDP estimado e 228 W de consumo máximo.

Por fim, o i5 12600K contará com 10 núcleos e 16 threads, com 6 P-Cores e 4 E-Cores. Os núcleos mais potentes atingem até 4,9 GHz, enquanto o conjunto de eficiência chega aos 3,4 GHz. Há 20 MB de cache L3 neste caso, e as mesmas estimativas de consumo dos irmãos mais potentes.

O consumo dos novos chips segue elevado, mas já mostra uma evolução quando comparado à 11ª geração Rocket Lake (Imagem: Divulgação/Intel)

O TDP máximo de 228 W ainda é muito elevado quando consideramos a eficiência dos chips da AMD — o Ryzen 9 5950X, por exemplo, consome até 142 W em trabalho pesado. Ainda assim, há avanços significativos em comparação à atual geração Rocket Lake, que bate os 250 W no i9 atual, com desempenho muito inferior.

De toda forma, vale lembrar que essas especificações também não estão confirmadas, ainda que corroborem rumores passados. A 12ª geração Alder Lake da Intel está prevista para chegar ao mercado em algum momento de outubro.

Fonte: NeoWin, TechRadar, VideoCardz, WCCFTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.