Intel Celeron G6900 tem desempenho single-core superior ao Core i9 10900K

Intel Celeron G6900 tem desempenho single-core superior ao Core i9 10900K

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 12 de Janeiro de 2022 às 09h56
Reprodução/Intel

Um dos integrantes da família Alder Lake-S, revelada pela Intel na semana passada, o Celeron G6900 foi encontrado nesta semana no banco de dados do Geekbench, mostrando resultados promissores. Apesar das especificações modestas, como a ausência de Hyper-Threading, por exemplo, o novo processador superou as expectativas e se mostra capaz de competir com o que a empresa tinha de melhor poucos anos atrás.

Novo Celeron G6900 supera Core i9 10900K em single-core

O resultado foi encontrado pelo bot Benchleaks, que procura por novos resultados de testes pela internet. A versão 5.4.4 do benchmark mostra o G6900 entregando 1.403 pontos em single-core, e 2.577 pontos em multi-core. Apesar de modestos frente ao restante da família Alder Lake, os números chamam bastante atenção quando comparados às gerações anteriores da gigante de Santa Clara, mesmo recentes.

Em single-core, a solução consegue superar o Core i9 10900K, chip mais poderoso da Intel de 2019, que atinge média de 1.393 pontos. Ainda que não pareça um grande feito, por se tratar do desempenho de um único núcleo, é importante destacar as diferenças de clock — enquanto o i9 atinge os 5,3 GHz, o Celeron rodava a apenas 4,4 GHz, possivelmente utilizando um boost adicional da placa-mãe para ganhar velocidade sobre os 3,4 GHz padrão.

Novo Intel Celeron G6900 impressiona em single-core, performando de maneira similar ao Core i9 10900K (Imagem: Reprodução/Geekbench)

Mesmo que irrisória, há vantagem para o novo Celeron, que ainda consegue entregar praticamente o mesmo desempenho consumindo muito menos energia (TDP de 46 W, contra 95 W do Core i9) e rodando em velocidades significativamente mais baixas.

Isso comprova a evolução da arquitetura da Intel, e as vantagens proporcionadas pela adoção da nova litografia de 10 nm Enhanced SuperFin, ou Intel 7. Obviamente, por contar com 5 vezes mais núcleos, o i9 supera o irmão menor no teste multi-core.

Ainda assim, os ganhos da nova arquitetura também são notáveis em multi-core, ainda que o chip seja um dual-core sem Hyper-Threading. Sua pontuação nesse caso é equiparável ao de processadores quad-core razoavelmente recentes, como o Ryzen 3 3200G, que marca 2.827 pontos, menos de 10% mais performance apesar de contar com o dobro de núcleos. Na prática, isso deve significar que o Celeron G6900 será uma opção muito mais atraente para usuários mais básicos.

Chip se destaca pelos núcleos Golden Cove

O Intel Celeron G6900 é um chip de 2 núcleos e 2 threads com clock estabelecido em 3,4 GHz, cache L3 de 4 MB e consumo de 46 W. Há suporte a até 128 GB de memória RAM e, por ser integrante da família Alder Lake, é compatível não apenas com módulos DDR4 a até 3.200 MT/s, como também com RAM DDR5 a até 4.800 MT/s.

A união do processo Intel 7 de 10 nm com uma arquitetura repaginada faz do núcleo Golden Cove, presente no G6900, uma solução potente, com ganhos de 19% em instruções por clock (Imagem: Divulgação/Intel)

Seu maior trunfo está no uso dos novos núcleos Golden Cove, mesmos "P-Cores" presentes em chips mais potentes da linha, que mesclam a maior densidade e outros avanços da litografia Intel 7 com uma arquitetura redesenhada. Diferente dos irmãos da linha Core, no entanto, não há arquitetura híbrida por aqui, considerando o foco no baixo custo.

A novidade é vendida no exterior com preços por volta dos US$ 42 (~R$ 230). O G6900 ainda não está disponível no Brasil e não teve valores anunciados, mas deve seguir um caminho semelhante ao da geração anterior, que pode ser encontrada entre R$ 400 e R$ 500.

Fonte: BenchleaksWCCFTech

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.